SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.17 número2O perfil de casais que vivenciam divórcios consensuais e litigiosos: uma análise das demandas judiciais índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Artigo

Indicadores

Links relacionados

  • Não possue artigos similaresSimilares em SciELO

Compartilhar


Psico-USF

versão impressa ISSN 1413-8271

Psico-USF vol.17 no.2 Itatiba maio/ago. 2012

http://dx.doi.org/10.1590/S1413-82712012000200001 

Editorial

 

 

É fato importante a ser compartilhado que a editoração do número 2 da revista Psico-USF pode contar com a publicação de artigos submetidos há até dois anos e que, por diferentes razões plausíveis e contingenciais, não haviam completado o processo editorial. Isso revela o compromisso que temos, e que nos é atribuído, enquanto periódico vinculado à Pós-Graduação Stricto Sensu. Ao lado disso, cabe destaque, e cordiais agradecimentos, à equipe editorial, conselheiros e pareceristas ad hoc que dedicaram seu tempo e, com expertise e agilidade, viabilizaram essa publicação.

Constatamos também um aumento crescente do número de artigos que recebemos o que revela maior visibilidade e reconhecimento por parte da comunidade científica nacional e estrangeira de que a ciência comunicada por meio da revista Psico-USF tem selo de qualidade. Este, chancelado pelo Qualis-CAPES, é atribuído pela sua regularidade, ineditismo nas publicações de pesquisa original com avaliação às cegas por pares e indexação. Registramos, pois, que publicar em periódico nacional é fruto de seriedade e ética, impulsionado pela crença de que produzimos conhecimento científico qualificado no Brasil e não apenas o fazemos por mero produtivismo.

Os artigos do número 2 do volume 17 comprovam o nível de excelência da ciência psicológica no Brasil nas diversas regiões. As resenhas publicadas revelam também a riqueza das coletâneas, consideradas em nível da America Latina. Sendo assim, este fascículo conta com 15 artigos e duas resenhas disponíveis em português.

O artigo O perfil de casais que vivenciam divórcios consensuais e litigiosos: uma análise das demandas judiciais, de autoria de Eliana Piccoli Zordan, Adriana Wagner e Clarisse Mosmann apresenta por meio de uma análise documental, um levantamento sobre os motivos, circunstâncias e contextos das separações conjugais a partir de registros em processos judiciais. O segundo artigo de autoria de Denise de Souza Fleith e Eunice Maria Lima Soriano de Alencar, intitulado Autoconceito e Clima Criativo em Sala de Aula na percepção de alunos do ensino fundamental, examina a percepção e relação do clima de sala de aula para criatividade e o autoconceito de alunos do ensino fundamental, mais especificamente, nas disciplinas de Língua Portuguesa e Matemática, por constituírem disciplinas centrais na formação do aluno.

Fermino Fernandes Sisto, Fernando José Silveira e Dario Cecilio-Fernandes, apresentam o seu estudo sobre as diferenças de condutas agressivas entre dois grupos, um de pessoas que cometeram delitos e o outro com universitários sem antecedentes criminais, mas com as maiores pontuações em uma escala de tendência a agressividade no artigo Jovens delinquentes e universitários agressivos: diferenças comportamentais. Foi relatada por Amanda da Costa da Silveira, Thiago Gomes de Castro e William Barbosa Gomes a adaptação e evidências de validade convergente e divergente para uma escala de autorrelato que visa a mensurar mindfulness, no artigo Adaptação e validação da Escala Filadélfia de Mindfulness para adultos brasileiros.

O quinto artigo intitulado Uma investigação do ser-aí do menino selvagem à luz do pensamento heideggeriano, de autoria de Ana Maria Lopez Calvo de Feijoo, Débora Gill e Myriam Moreira Protasio relatam a história de um menino selvagem, o Victor de Aveyron, em que se discute o modo pelo qual a existência humana se constitui, na perspectiva da fenomenologia hermenêutica de Heidegger. Consciência metatextual: evidências de validade para instrumento de medida é um artigo de Acácia Aparecida Angeli dos Santos e Neide de Brito Cunha acerca da averiguação da consciência metatextual por meio de um questionário, no qual foi analisada sua validade pela relação com medidas de compreensão de leitura e o critério de diferenciação do nível escolar.

Lidiane Silva de Araújo, Maria da Penha de Lima Coutinho, Rosane de Sousa Miranda e Evelyn Rúbia de Albuquerque Saraiva buscaram apreender as representações sociais da violência escolar elaboradas por adolescentes de uma escola pública do Estado da Paraíba, no artigo Universo consensual de adolescentes acerca da violência escolar. Marcadores reduzidos para a avaliação da personalidade em adolescentes de autoria de Nelson Hauck Filho, Marco Antônio Pereira Teixeira, Wagner de Lara Machado e Denise Ruschel Bandeira, é pautado na avaliação da estrutura fatorial de um instrumento em duas amostras de estudantes adolescentes.

Frederico Miranda Rodrigues Pinheiro e Joaquim Carlos Rossini fizeram uma revisão das investigações acerca da atenção seletiva e também, uma discussão dos principais aspectos divergentes entre os modelos discretos do processamento atentivo, no artigo intitulado Atenção seletiva e informação de alto nível: modelos de seleção da informação em cenas naturais. No artigo Estudo fatorial dos componentes da leitura: velocidade, compreensão e reconhecimento de palavras, de autoria de Alessandra Gotuzo Seabra, Natália Martins Dias e José Maria Montiel, avaliaram as distintas habilidades de reconhecimento de palavras, podendo o reconhecimento ocorrer por três diferentes estratégias, logográfica, alfabética e ortográfica.

Foi analisada a jurisprudência emitida por três tribunais brasileiros a fim de verificar como os depoimentos de crianças vêm sendo considerados na jurisprudência referente a processos que envolvem denúncias de abuso sexual infantil, no artigo Depoimento de crianças: um divisor de águas nos processos judiciais? de autoria de Leila Maria Torraca de Brito e Joyce Barros Pereira. O estudo Avaliação da sonolência em estudantes universitários de turnos distintos, sob autoria de Danilo de Freitas Araújo e Katie Moraes de Almondes, analisou os níveis de sonolência de estudantes universitários de turnos distintos, diurno e noturno.

O artigo de Adriana Benevides Soares e Luciana Mourão, intitulado Adaptação e validação da Escala de Senso de Humor Situacional, constituiu na adaptação e na validação do instrumento, que mensura o humor situacional que contextualiza as relações interpessoais, para o português do Brasil. Luciana Rubensan Ourique e Marco Antônio Pereira Teixeira avaliaram as relações da personalidade e da autoeficácia profissional com o comportamento de planejamento de carreira de universitários no artigo Autoeficácia e personalidade no planejamento de carreira de universitários.

Por fim, o artigo Interesses profissionais e afetos positivos e negativos: estudo exploratório com estudantes de ensino médio de autoria de Ana Paula Porto Noronha e Camélia Santina Murgo Mansão é um estudo exploratório acerca de jovens no momento de escolha profissional, no qual investigou as relações entre interesses profissionais e afetos positivos e negativos. Além desses 15 artigos sumariados, o fascículo 2 do volume 17 possui duas resenhas de livros. A primeira delas, O desenvolvimento da Psicologia Social na América Latina, organizada por Diego Vinícius da Silva, refere-se ao livro Perspectiva psicosocial aproximaciones históricas y epistemológicas e intervención, que descreve as contribuições de pesquisadores sobre psicologia social referente à sua conceituação teórica e prática profissional. A segunda resenha, intitulada Teorias e práticas no campo do acompanhamento terapêutico, de autoria de Ítor Finotelli Júnior, refere-se uma obra sobre acompanhamento terapêutico, na qual, apresenta esta modalidade de atendimento com diferentes maneiras de atuação em diversos aspectos, ante a uma diversidade de situações, teorias e práticas organizadas nos capítulos que compõem o livro.

A revista contemplou neste fascículo uma diversidade de publicações que constituem a fundamentação do conhecimento e da ciência em Psicologia. Assim, desejamos que a leitura destas produções seja proveitosa para profissionais e investigadores da área.

 

M. Cristina Rodrigues Azevedo Joly
Editora
Agosto de 2012