SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.4 número6CiberculturaO significado da prática profissional e do ensino em Unidade Básica de Saúde: um estudo de cultura organizacional no Centro de Saúde-Escola Barra Funda índice de autoresíndice de materiabúsqueda de artículos
Home Pagelista alfabética de revistas  

Servicios Personalizados

Revista

Articulo

Indicadores

Links relacionados

Compartir


Interface - Comunicação, Saúde, Educação

versión impresa ISSN 1414-3283versión On-line ISSN 1807-5762

Interface (Botucatu) vol.4 no.6 Botucatu feb. 2000

http://dx.doi.org/10.1590/S1414-32832000000100016 

TESES

 

Equipe multiprofissional de saúde: a interface entre trabalho e interação

 

 

Marina Peduzzi

Tese de Doutorado, 1998. Faculdade de Ciências Médicas. Universidade Estadual de Campinas

 

 

Equipe multiprofissional de saúde: a interface entre trabalho e interação
Treinamento de enfermeiras no St. Luka's Hospital, 1899.
Museum of City of New York.

Estudamos o trabalho em saúde, com o objetivo de analisar as concepções de agentes sobre o sentido do trabalho em equipe multiprofissional e as evidências empíricas do caráter coletivo desse trabalho. Tomamos, como referencial teórico, os estudos do processo de trabalho em saúde e do agir comunicativo, buscando observar a dialética trabalho-interação no material empírico coletado. Realizamos a pesquisa de campo pela observação direta do cotidiano de trabalho em quatro situações distintas (enfermaria clínica e unidade de terapia intensiva, hospitalares; ambulatório de especialidades gerais e ambulatório de saúde mental) e por meio de entrevistas com profissionais inseridos nas equipes de trabalho. Partindo da definição de uma tipologia que distingue equipe agrupamento e equipe integração, e analisando como se configuram os aspectos de complementaridade e interdependência dos trabalhos especializados, de articulação desses trabalhos, da autonomia técnica e da

interação dos agentes, observamos que nas quatro situações estudadas os profissionais projetam a perspectiva da equipe integração, embora encontrem-se em situações de agrupamento, estando o ambulatório de saúde mental mais próximo do que denominamos equipe integração. Também observamos que a diferença técnica dos trabalhos especializados transmuta-se em desigualdade valorativa dos mesmos. O trabalho em equipe emerge como modalidade de trabalho coletivo que se configura na relação recíproca entre as intervenções técnicas e a interação dos agentes. No bojo da relação entre trabalho e interação os profissionais constróem consensos que configuram um projeto assistencial comum, em torno do qual se dá a integração da equipe de trabalho.

Creative Commons License Todo el contenido de esta revista, excepto dónde está identificado, está bajo una Licencia Creative Commons