SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.13 issue30Ciência e metafísica na homeopatia de Samuel HahnemannThe social representations of the users about the Family Health Program author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Interface - Comunicação, Saúde, Educação

Print version ISSN 1414-3283On-line version ISSN 1807-5762

Interface (Botucatu) vol.13 no.30 Botucatu July/Sept. 2009

http://dx.doi.org/10.1590/S1414-32832009000300020 

TESES

 

Rede social: saberes e práticas no cotidiano do ex-hanseniano

 

Social network: knowledge and practices in daily life of ex-leprosy

 

 

Ana Carolina Rocha

Dissertação de Mestrado (2008) Mestrado em Saúde Coletiva, Universidade de Fortaleza anacarolinarochapeixoto@yahoo.com.br

 

 


Palavras-chave: Hanseníase. História oral. Discurso do Sujeito Coletivo.


Keywords: Leprosy; Verbal history. Speech of the Collective Citizen.


Palabras clave: Lepra. Historia oral. Discurso del Sujeto Colectivo.


 

 

Importante problema de saúde pública, a hanseníase é parte ainda de um indesejado patrimônio da humanidade, associado ao subdesenvolvimento, à exclusão e à dor. Com o fim do internamento compulsório, os leprosários se tornaram grandes comunidades que albergam tanto os ex-hansenianos, como também seus familiares. Diante da lacuna histórica em torno deste fenômeno, desenvolveu-se este estudo objetivando: registrar a história de saúdedoença do ex-hanseniano, com ênfase nos saberes, nas experiências vividas e na práxis dos atores sociais envolvidos desde os momentos iniciais da colonização até os dias de hoje; conhecer o discurso acerca do mundo de vida do Ser (ex) hanseniano na atual conjuntura do Centro de Convivência Antônio Diogo; identificar o que permite ao familiar/agregado não hanseniano se sentir "daqui" e "em casa" nos espaços destinados aos ex-hansenianos. Caracteriza-se como um estudo exploratóriodescritivo, realizado durante o ano de 2008, nas dependências da Colônia Antônio Diogo, no Estado do Ceará, Brasil. Foram tomados, como fonte de informação, documentos pessoais e do acervo da própria colônia, assim como 18 (dezoito) moradores da colônia, entre ex-hansenianos e familiares, aos quais foram aplicados entrevista e o roteiro da História Oral. Os dados foram organizados com o apoio da técnica do Discurso do sujeito Coletivo. Os resultados revelam que a institucionalização da hanseníase acarretou graves perdas, sobretudo, social. A cura faz parte de um capítulo fundamental na vida dos depoentes. Há os que a percebem como uma conquista, outros para os quais a mudança do status da doença não parece mudar muita coisa. Os que ficaram com sequelas acham impossível usufruir da sensação de cura, preferindo limitar-se aos espaços da colônia, evitando, assim, o preconceito; e criticam a condição atual da comunidade, onde existem mais sadios morando do que pessoas doentes. O apego ao passado e ao lugar onde morou grande parte da vida, a rede de relações, enfim, que o ex-hanseniano insiste em manter, servem, nestas circunstâncias, ao propósito de permitir a identificação com um grupo, favorecendo um vigoroso sentimento de pertença. Nas representações partilhadas por ex-hanseniano e seus familiares acerca do contexto atual do Centro de Convivência Antônio Diogo, ser pessoa curada tem significado simbólico de religação com o mundo "de fora" da colônia, e, junto com isso, de autorreconstrução e aceitação de si.

Creative Commons License All the contents of this journal, except where otherwise noted, is licensed under a Creative Commons Attribution License