SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.18 issue48Global health: an analysis of the relations between the processes of globalization and the use of health indicators author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Interface - Comunicação, Saúde, Educação

On-line version ISSN 1807-5762

Interface (Botucatu) vol.18 no.48 Botucatu  2014

http://dx.doi.org/10.1590/1807-57622014.0125 

apresentação

Apresentação


Os autores que colaboram neste fascículo 48, o primeiro de 2014, trabalham com as seguintes temáticas: políticas de Saúde, biopolítica, relação médico-paciente, saúde reprodutiva, violência de gênero, atenção primária, saúde mental, medicamentalização, trabalho e saúde, prática profissional em saúde, formação em saúde, Sistema Único de Saúde e processos criativos.

As políticas de saúde no âmbito da saúde global são tema do artigo de Gustavo Matta e Arlinda Moreno, tendo, como referência, a obra de Boaventura Santos. Destaca a disputa política e epistemológica nas relações entre globalização e saúde, e o uso retórico de indicadores de saúde globais para a construção de políticas para países pobres e em desenvolvimento.

A biopolítica e a relação médico-paciente são objeto de uma pesquisa fundamentada na filosofia política de Michel Foucault, analisando registros de reclamações sobre o trabalho médico pericial, da Ouvidoria da Previdência Social. Para Maria da Penha Pereira de Melo, discutir previdência significa clarificar seus pressupostos de seguridade social.

A saúde reprodutiva e a sexualidade são temas de uma reflexão de Luiza Bastos, Miriam Ventura e Elaine Brandão sobre alguns elementos discursivos apresentados pelo Consórcio Internacional sobre Contracepção de Emergência (ICEC), em seu website, visando expandir o acesso à contracepção de emergência.

Em estudo analisando as práticas profissionais na atenção à saúde da mulher em situação de violência, Luana Almeida, Ana Teresa Silva e Liliane Machado evidenciam a invisibilidade da violência no serviço e o desconhecimento da categoria gênero e sua complexidade.

A necessidade de ações desmedicalizantes é apontada por Indara Bezerra, Maria Jorge, Mardênia Vasconcelos, Leilson Lima e Ana Gondim, em um trabalho que busca compreender como o cuidado em saúde mental vem sendo produzido na Atenção Primária, a partir das experiências de profissionais, usuários e familiares. A prática de profissionais de saúde também é focalizada em outro artigo do fascículo, de Mariana Silva, Laís Souza e Mara Santos, que analisa a percepção de usuários dos serviços de fisioterapia ambulatorial do Sistema Único de Saúde (SUS) sobre a resolutividade da atenção e barreiras enfrentadas.

Em artigo envolvendo música popular brasileira, José Pina destaca temas relativos à temática da Saúde e Trabalho, especialmente no samba. O autor ressalta o manancial da canção popular proporcionando conteúdos sobre múltiplas dimensões do processo de trabalho e de saúde-doença dos trabalhadores e a dimensão coletiva e histórica da luta pelo direito à saúde.

Saúde e qualidade de vida é o tema de um trabalho de revisão integrativa, de Neuma Chaveiro e colaboradores, focalizando a saúde de surdos, cujos resultados indicam que a surdez tem um impacto negativo sobre a qualidade de vida relacionada à saúde desses indivíduos.

A temática da formação de profissionais de saúde comparece em vários artigos do fascículo, entre eles: um ensaio sobre a prática médica e sua formação, à luz do pensamento de Hannah Arendt, de Rodrigo Silveira, Bruno Stelet e Roseni Pinheiro, e um artigo sobre as possíveis contribuições da obra do fundador da Medicina Antroposófica, Rudolf Steiner, à integralidade na educação médica, desenvolvido por Leandro Wenceslau, Ferdinand Röhr e Charles Tesser. Outros artigos do fascículo focalizam aspectos específicos de currículos de cursos de formação de profissionais de saúde, em trabalhos de revisão, de pesquisa e de relato de experiências sobre a prática da formação em saúde.

O fascículo ainda inclui: a resenha do livro Humanização e Humanidades em Medicina, de Izabel Cristina Rios e Lilia Schraiber, elaborada por André Mota; o resumo de duas teses sobre Saúde da Família, e, na seção Notas breves, Simone Diniz analisa o documentário Renascimento do parto, que bateu o recorde de crowdfunding mais rápido no Brasil. Respondendo à indagação posta no título do artigo – “O renascimento do parto, e o que o SUS tem a ver com isso” –, a autora afirma que um filme sobre “direito à escolha” no parto tem tudo a ver com o SUS, justificando essa afirmação.

Finalizando esta edição, a seção de Criação inclui o projeto de extensão universitária de Carla Silva “Talentos Juvenis do Gonzaga”, desenvolvido por meio de oficinas de atividades, dinâmicas e propostas artístico-culturais, e o ensaio de fotos da fotógrafa Cintia Ribas “Sobre processos de apropriação e intersecção em imagens”. A partir deste fascículo, Cintia fará parte da nossa equipe de Criação, colaborando no trabalho com as imagens e sua finalização para o website da revista, agora, exclusivamente, em versão online, fortalecendo ainda mais essa seção e sua proposição.

Miriam Foresti
Editor

Creative Commons License This is an Open Access article distributed under the terms of the Creative Commons Attribution Non-Commercial License, which permits unrestricted non-commercial use, distribution, and reproduction in any medium, provided the original work is properly cited.