SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.18 suppl.2Education processes and knowledge production: five perspectives on Popular Education and HealthKnowledge construction and dissemination in the field of Popular Education and Health author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Interface - Comunicação, Saúde, Educação

Print version ISSN 1414-3283On-line version ISSN 1807-5762

Interface (Botucatu) vol.18  supl.2 Botucatu  2014

https://doi.org/10.1590/1807-57622013.0494 

Teses

Extensão popular: a pedagogia da participação estudantil em seu movimento nacional

Extension popular: la pedagogía de la participación estudiantil en su movimiento nacional

Pedro José Santos Carneiro Cruz

1Dissertação (Mestrado), 2010. Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Federal da Paraíba. pedrojosecruzpb@yahoo.com.br.


Palavras-Chave: Formação universitária; Extensão universitária; Educação popular; Movimentos sociais

Palavras-Chave: Educación universitária; La educación por extensión; La educación popular; Los movimientos sociales

Key words: University Education; Extension Education; Popular Education; Social Movements

A Articulação Nacional de Extensão Popular (ANEPOP) reúne sujeitos envolvidos em ações de extensão universitária orientadas pelo referencial teórico-metodológico da Educação Popular (EP). Participam estudantes, professores, técnicos e movimentos populares ligados a essas ações de extensão, visando compor espaços de troca de experiências, discussão e estudos sobre suas possibilidades e dificuldades e construir coletivamente estratégias de luta para fortalecer institucionalmente essa vertente de extensão no cenário universitário brasileiro.

Envolvendo-se ativamente no processo de criação e desenvolvimento da ANEPOP, os pesquisadores deste estudo teceram reflexões críticas sobre essa experiência, especialmente quanto às repercussões desse tipo de vivência para a formação universitária na perspectiva da EP. Particularmente, chamou a atenção o quanto a participação na construção de um movimento nacional, no campo da EP, ajudou os extensionistas a desenvolverem aprendizados distintos dos acumulados nos projetos e nos programas locais de extensão.

Então, por se considerar que a pedagogia do Movimento Nacional de Extensão Popular é um problema de pesquisa, este estudo foi desenvolvido no decorrer do Curso de Mestrado em Educação, com o objetivo primeiro de analisar o significado pedagógico da participação estudantil na organização ANEPOP. Para tanto, utilizaram-se metodologias de pesquisa qualitativa, por meio das quais é possível apreender os aspectos pedagógicos inerentes a esta experiência, em especial, a sistematização de experiências. Assim, inicialmente, procedeu-se ao resgate histórico da ANEPOP e se valorizou o acesso dos pesquisadores aos registros dos acontecimentos e das diferentes ações e reações, incluindo suas observações pessoais, as conversas informais e os seus olhares curiosos. Em seguida, empreendeu-se uma análise crítica, tendo como foco a explicitação dos elementos pedagógicos desta experiência, bem como situações-limite e inéditos viáveis que ela traz para a atual discussão a respeito da formação estudantil e da reforma universitária.

Observou-se que, na ANEPOP, os aprendizados estudantis residiam, sobretudo, no aprimoramento de sua participação política e no estreitamento com lutas compromissadas com a difusão e a institucionalização da EP, bem como na comunicação com outras experiências regionais e nacionais no campo da Extensão Popular, o que favorecia aprendizados sobre metodologias educativas emancipatórias no cenário universitário.

Vivenciar a ANEPOP é constatar a expressão vibrante de um número significativo de atores universitários e sociais dedicados à construção permanente da utopia de uma universidade popular, ou seja, participativa, libertária, amorosa e democrática, onde a EP deixe de ser algo estranho ou esquisito para significar uma matriz orientadora e uma fonte permanente de inspirações de uma instituição – a universidade – que dê sentido à vida de todas as pessoas.

Há, portanto, uma singularidade nessa pedagogia, expressa marcantemente na capacidade de inserir os estudantes em espaços de protagonismo com repercussões de amplitude nacional e com interfaces de ordem conjuntural. Ainda se revela o aprendizado de conviver entre diferentes numa escala pouco exercitada no âmbito dos projetos locais de extensão.

Assim, a EP deixa de ser somente inspiração teórica ou bandeira de luta e vai sendo incorporada como principio ético e filosófico, como um horizonte segundo o qual esses estudantes procuram guiar e conduzir suas ações individuais e coletivas.

Notes

Texto na íntegra disponível em: http://issuu.com/praticasintegraisnutricao/docs/disserta____o_pedrocruz_versao_fina

Recebido: 12 de Junho de 2013; Aceito: 11 de Março de 2014

Creative Commons License This is an Open Access article distributed under the terms of the Creative Commons Attribution Non-Commercial License, which permits unrestricted non-commercial use, distribution, and reproduction in any medium, provided the original work is properly cited.