SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.3 número3SECAGEM NATURAL DE GERGELIM E DETERMINAÇÃO DA UMIDADE DE EQUILÍBRIOAVALIAÇÃO SANITÁRIA E FÍSICO-QUÍMICA DAS ÁGUAS PARA IRRIGAÇÃO DE HORTALIÇAS NO AGRESTE E BREJO PARAIBANOS índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental

versão impressa ISSN 1415-4366versão On-line ISSN 1807-1929

Rev. bras. eng. agríc. ambient. vol.3 no.3 Campina Grande set./dez. 1999

http://dx.doi.org/10.1590/1807-1929/agriambi.v3n3p349-353 

ARMAZENAMENTO E PROCESSAMENTO DE PRODUTOS AGRÍCOLAS

COMPARAÇÃO DE MODELOS MATEMÁTICOS PARA DESCRIÇÃO DA CINÉTICA DE SECAGEM EM CAMADA FINA DE SEMENTES DE FEIJÃO

COMPARISON OF MATHEMATICAL MODELS FOR DESCRIPTION OF THE KINETICS OF THIN-LAYER DRYING OF BEAN SEEDS

Paulo Cesar Afonso Júnior1 

Paulo Cesar Corrêa2 

1Eng. Agrícola, M.Sc.., Doutorando em Eng. Agrícola, DEA-UFV, CEP 36571 - 000, Viçosa, MG, E-mail: pjunior@alunos.ufv.br

2Eng. Agrônomo, D.S., Prof. Adjunto, DEA-UFV, CEP 36571 - 000, Viçosa, MG, Fone: (031) 891 2270, Fax: (031) 891 1943, E-mail: copace@mail.ufv.br

RESUMO

Para fornecer informações sobre o processo de secagem de sementes de feijão, este trabalho foi desenvolvido objetivando-se determinar as curvas de secagem em camada fina, para quatro níveis de temperatura do ar de secagem (35, 40, 45 e 50 ºC) e três níveis de teor de umidade inicial (0,206; 0,373 e 0,596 b.s.). Os testes de secagem foram realizados com três repetições, utilizando-se um secador experimental com fluxo de ar aproximadamente constante, de 10 m3 min-1 m-2 e os resultados da secagem foram avaliados ajustando-se os seguintes modelos matemáticos: Thompson, Exponencial, Page e Difusão. Os resultados obtidos, neste trabalho, permitiram concluir que a equação proposta por Page é a que melhor representa os dados experimentais.

Palavras-chave: secagem; camada fina; Phaseolus vulgaris

ABSTRACT

To provide information about the drying process of bean seeds, this study was conducted with the objective of determining the thin-layer drying curves, for four levels of temperature of drying air (35, 40, 45 and 50 ºC) and three levels of initial moisture content (0.206, 0.373 and 0.596 d.b.). The drying tests were accomplished with three replications, using an experimental dryer with a constant air flow of approximately 10 m3 min-1 m-2. The results of the drying were adjusted to the following mathematical models: Thompson, Exponential, Page and Diffusion. The results obtained in this study lead to the conclusion that the equation proposed by Page best represented the experimental data.

Key words: drying; thin-layer; Phaseolus vulgaris

Texto completo disponível apenas em PDF.

Full text available only in PDF format.

AGRADECIMENTOS

Os autores agradecem à FINEP/RECOPE, pelo auxílio financeiro.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

BACH, D.B. Curvas de equilíbrio higroscópico de feijão-preto ( Phaseolus vulgaris L.) . Viçosa: Universidade Federal de Viçosa, 1979. 39p. Dissertação Mestrado [ Links ]

BALA, B.K.; WOODS, J.L. Thin layer drying models for malt. Journal of Food Engineering , Barking, v.16, n.1, p.239-249, 1992. [ Links ]

BRASIL, Ministério da Agricultura e Reforma Agrária. Regras para análise de sementes . Brasília: DNDV/CLAV, 1992. 365p. [ Links ]

BROOKER, D.B.; BAKKER-ARKENA, F.W.; HALL, C.W. Drying and storage of grains and oilseeds . New York: AVI Publishing Company, 1992. 450p. [ Links ]

BRUCE, D.M. Exposed-layer barley drying: Three models fitted to new data up to 150 °C. Journal of Agricultural Engineering Research , London, v.32, n.4, p.337-347, 1985. [ Links ]

CHRIST, D. Curvas de equilíbrio higroscópico e de secagem da canola ( Brassica napus L. var. oleifera) e efeito da temperatura e da umidade relativa do ar de secagem sobre a qualidade das sementes . Viçosa: Universidade Federal de Viçosa, 1996. 50p. Dissertação Mestrado [ Links ]

DUNG, N.V.; FOWLER, R.T.; BOWREY, R.G. Variables affecting the drying rate of paddy rice. Food Technology in Australia , Sidney, v.32, n.12, p.604-606, 1980. [ Links ]

IGBEKA, J.C. Simulation of moisture movement during drying a starchy food product-cassava. Journal of Food Technology , London, v.17, n.1, p.27-36, 1982. [ Links ]

MULET, A.; BERNA, A.; ROSSELO, C. Drying of carrots: Drying models. Drying Technology , New York, v.7, n.3, p.537-557, 1989. [ Links ]

QUEIROZ, M.R.; NEBRA, S.A. Soluções analíticas e numéricas do modelo de difusão à secagem de bananas. Engenharia Agrícola , Jaboticabal, v.17, n.1, p.74-83, 1997. [ Links ]

RAMOS, A.M.; PEREIRA, J.A.M.; QUEIROZ, D.M. Equações de secagem de trigo em camada fina e determinação dos coeficientes de difusão de líquido. Revista Brasileira de Armazenamento , Viçosa, v.18-19, n.1-2, p.43-47, 1993/1994. [ Links ]

SERENO, A.M.; MEDEIROS, G.L. Simplified model for the prediction of drying rates for foods. Journal of Food Engineering , Barking, v.12, n.1, p.1-11, 1990. [ Links ]

SHARMA, A.D.; KUNZER, O.R.; TOLLEY, H.D. Rough rice drying as a two-compartment model. Transaction of the ASAE , St. Joseph, v.25, n.1, p.221-224, 1982. [ Links ]

SOARES, J.B. Curvas de secagem em camada fina e propriedades físicas de soja ( Glicine max L.) . Viçosa: Universidade Federal de Viçosa, 1986. 91p. Dissertação Mestrado [ Links ]

SYARIEF, A.M.; MOREY, R.V.; GUSTAFSON, R.J. Thin-layer drying rate of sunflower seed. Transaction of the ASAE , St. Joseph, v.27, n.1, p.195-200, 1984. [ Links ]

THOMPSON, T.L; PEART, R.M.; FOSTER, G.H. Mathematical simulation of corn drying - A new model. Transaction of the ASAE , St. Joseph, v.11, n.4, p.582-586, 1968. [ Links ]

WHITE, G.M.; BRIDGES, T.C.; LOEWER, O.J.; ROSS, I.J. Thin-layer drying model for soybeans. Transaction of the ASAE , St. Joseph, v.24, n.6, p.1643-1646, 1981. [ Links ]

Creative Commons License Este é um artigo publicado em acesso aberto (Open Access) sob a licença Creative Commons Attribution, que permite uso, distribuição e reprodução em qualquer meio, sem restrições desde que o trabalho original seja corretamente citado.