SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
Desenvolvido no Brasil o primeiro guia para terapia nutricional de pacientes com câncerQual a importância do consumo frequente de café da manhã para a saúde? author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Revista de Nutrição

Print version ISSN 1415-5273

Rev. Nutr. vol.23 no.5 Campinas Oct. 2010

http://dx.doi.org/10.1590/S1415-52732010010500004 

Estudo mostra que estado nutricional depletado favorece o desenvolvimento de úlceras de pressão em pacientes hospitalizados

 

 

Pesquisa revela que pacientes hospitalizados com indicadores antropométricos comprometidos e ingestão alimentar reduzida têm maior risco de desenvolver úlceras de pressão (lesões formadas pela compressão da pele entre os ossos e uma superfície externa), quando comparados àqueles com um melhor estado nutricional. Essa é a conclusão do trabalho entitulado: "Fatores associados ao desenvolvimento de úlceras de pressão: o impacto da nutrição", publicado na Revista de Nutrição de Campinas e realizado em parceria entre a Universidade Federal de Minas Gerais e o Hospital Universitário Risoleta Tolentino Neves (Belo Horizonte, MG).

Entre os meses de abril e maio de 2008, os pesquisadores acompanharam 50 pacientes admitidos no Centro de Terapia Intensiva e na Unidade de Clínica Médica do hospital, observando-os quanto as condições clínicas (diagnósticos, exames bioquímicos, medicações), ingestão alimentar e estado nutricional. Após a observação foram investigadas as possíveis características desses pacientes que pudessem estar relacionadas com o aparecimento de úlceras de pressão. Ao longo do estudo, quatorze pacientes (28%) desenvolveram pelo menos uma úlcera, sendo que as feridas surgiram em média 5 dias após a internação.

Dentre os achados do estudo, observou-se que apresentaram maior risco de desenvolvimento de úlceras de pressão: pacientes emagrecidos com menores porções de tecido adiposo e massa muscular; pacientes em uso de alimentação enteral (sonda) e pacientes com exames bioquímicos relacionados a diagnóstico de anemia e infecções alterados. Nesse grupo observou-se também menores ingestões médias de proteína, carboidratos e calorias.

Outros fatores de risco para o aparecimento de úlceras de pressão foram: uso de fralda, déficit de mobilidade, anemia, doença mental, doença do sistema nervoso e uso de antibiótico. O estudo mostrou ainda que o desenvolvimento de úlceras aumentou os índices de mortalidade, sendo que metade dos pacientes com úlceras vieram a óbito. Esses também apresentaram maior tempo médio de internação (16 dias) quando comparados com os pacientes que não desenvolveram a ferida (10 dias).

As úlceras de pressão são lesões que surgem quando a pele é exposta a uma determinada pressão contra alguma superfície por um longo período. Pacientes que desenvolvem essas feridas aumentam o risco de mortalidade e complicações ao longo da internação. Os resultados mostram que um estado nutricional deficiente está estreitamente relacionado ao desenvolvimento de úlceras.

Os parâmetros nutricionais detalhados no artigo poderão ser ferramentas importantes para os profissionais de saúde e familiares no que diz respeito à identificação e ao tratamento de pacientes em risco.

 

 

Contato:
Suellen Fabiane Campos
Universidade Federal de Minas Gerais, Escola de Enfermagem, Curso de Nutrição
e-mail: susufabi@yahoo.com.br

Creative Commons License All the contents of this journal, except where otherwise noted, is licensed under a Creative Commons Attribution License