SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
Effects of rapid maxillary expansion on condylar position author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Revista Dental Press de Ortodontia e Ortopedia Facial

On-line version ISSN 1980-5500

Rev. Dent. Press Ortodon. Ortop. Facial vol.14 no.5 Maringá Sept./Oct. 2009

http://dx.doi.org/10.1590/S1415-54192009010500001 

Tratamento de fissura labiopalatal por expansão do arco dentário superior

 

 

Um grupo de pesquisadores da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS) comparou os efeitos de dois diferentes protocolos de tratamento utilizados para corrigir a má conformação do arco dentário superior (maxila) e publicou suas conclusões na Revista Dental Press de Ortodontia e Ortopedia Facial v. 14, n. 5, de setembro/outubro de 2009.

Esse tipo de tratamento é também aplicado em pacientes com fissura labiopalatal (um tipo de malformação que afeta tanto o lábio quanto o palato, e pode acarretar grande prejuízo estético e funcional), os quais apresentam um crescimento maxilar diferente dos indivíduos não-fissurados.

Os pesquisadores Maíra Massuia de Souza, Luciane Macedo de Menezes, Susana Maria Deon Rizzatto, Gustavo da Luz Vieira e Ricardo Damo Meneguzzi analisaram 15 pacientes portadores de fissura transforame incisivo unilateral, com idades entre 7 e 14 anos.

Um dos grupos, composto por sete indivíduos, foi tratado com a Expansão Rápida da Maxila (ERM) com protocolo de ativação convencional. Os pacientes foram submetidos a uma semana de ativação do aparelho expansor da maxila, seguida de 23 semanas de protração maxilar com uso da máscara facial.

O outro grupo, com oito integrantes, foi submetido a um protocolo diferenciado, proposto em 2005 por Liou e Tsai, no qual é utilizado um aparelho expansor com duas dobradiças. Esse grupo foi submetido, por sete semanas, ao protocolo de expansões e contrações semanais alternadas e, posteriormente, a mais 17 semanas de protração maxilar com máscara facial.

Para a comparação dos efeitos dos diferentes protocolos, foram avaliadas – em modelos de gesso das maxilas dos pacientes de ambos os grupos – as distâncias interpré-molares superiores e intermolares superiores, antes e após os tratamentos. Após a análise dos resultados obtidos, constatou-se que os dois protocolos de tratamento mostraram-se igualmente efetivos na expansão do arco dentário maxilar, não havendo diferença entre os dois grupos.

O tratamento de pacientes com esse tipo de alterações morfológicas é extremamente oportuno, devido às implicações que as mesmas acarretam não só nos aspectos estéticos, mas também nos funcionais, como por exemplo: modificações na fala, alimentação e respiração. Tudo isso reflete no aspecto psicológico do indivíduo e dificulta sua inserção na sociedade.

Pode-se concluir, com base nos resultados desse estudo, que ambos os protocolos avaliados são efetivos no intuito de alcançar uma melhor conformação do arco dentário superior, o que constitui um dos principais requisitos para a obtenção de uma oclusão dentária adequada e para o aperfeiçoamento estético e funcional.

 

 

Acesse o trabalho completo em:
http://www.scielo.br/pdf/dpress/v14n5/v14n5a11.pdf

Contato:
Maíra Massuia de Souza
E-mail: mairamassuia@gmail.com

Creative Commons License All the contents of this journal, except where otherwise noted, is licensed under a Creative Commons Attribution License