SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.4 issue2As dimensões múltiplas do comprometimento organizacional: um estudo na ECT/MG author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Article

Indicators

Related links

Share


Revista de Administração Contemporânea

On-line version ISSN 1982-7849

Rev. adm. contemp. vol.4 no.2 Curitiba May/Aug. 2000

http://dx.doi.org/10.1590/S1415-65552000000200009 

DOCUMENTOS E DEBATES

 

Inventário de artigos científicos na área de marketing no Brasil

 

 

Lurdes Marlene Seide Froemming; Fernando Bins Luce; Marcelo Gattermann Perin; Cláudio Hoffmann Sampaio; Sedinei José Nardelli Beber; Guilherme Trez

 

 


RESUMO

Neste artigo os autores elaboraram um inventário das características metodológicas básicas da produção científica da área de marketing no Brasil na década de 90 (até 1998). Esta produção científica está disponível nos periódicos Revista de Administração de Empresas da Fundação Getúlio Vargas (RAE) e Revista de Administração da Universidade de São Paulo (RAUSP) e nos anais dos Encontros Anuais da Associação Nacional dos Programas de Pós-Graduação em Administração (ENANPAD). De 217 artigos identificados foram analisados 134, pois os restantes 83 centravam-se em dimensões conceituais ou eram resenhas. Daqueles 134 artigos, 55 tinham o cunho exploratório (41%), 71 eram de natureza descritiva (53%) e somente 8 exploraram relações de causalidade (6%). No trabalho ainda são examinadas características metodológicas como: apresentação e relevância do problema de pesquisa, desenho da pesquisa, tipo de dado coletado, validade, bem como menção a limitações e recomendações para pesquisas futuras.

Palavras-chaves: marketing; pesquisa em marketing; metodologia de pesquisa científica.


ABSTRACT

In this article, the authors elaborated an inventory of basic methodologic characteristics of the scientific production of the marketing area in Brazil, in the years 90 (until 1998). This scientific production is available in the periodics Revista de Administração de Empresas da Fundação Getúlio Vargas (RAE) and Revista de Administração da Universidade de São Paulo (RAUSP), and in the anuals of Encontros Anuais da Associação Nacional dos Programas de Pós-Graduação em Administração (ENANPAD). From 217 identified articles, 134 have been analised, because the remainder 83 refered to conceptual dimensions or reviews. From the 134 articles, 55 have an exploratory view (41%), 71 have a descriptive nature (53%) and only 8 explore the casual relations (6%). In the article they are analised yet the methodolical characteristics such as: presentation and significance of the research question, research design, the kind of colected data, validity, as well as mention to limitations and recomendations for future researchs.

Key words: marketing; marketing research; scientific research methodology.


 

 

INTRODUÇÃO

Este é o primeiro de dois documentos a serem publicados na Revista de Administração Contemporânea (RAC), com o objetivo de avaliar a produção científica da área de marketing no Brasil na década de 90(1). Esta produção científica está disponível nos periódicos Revista de Administração de Empresas da Fundação Getúlio Vargas (RAE) e Revista de Administração da Universidade de São Paulo (RAUSP) e nos anais dos Encontros Anuais da Associação Nacional dos Programas de Pós-Graduação em Administração (ENANPAD). Esta avaliação está sendo elaborada, abordando os seguintes aspectos desta produção científica:

. inventário das características metodológicas básicas, no período de 1990 a 1998;

. enquadramento classificatório dos temas abordados;

. discussão das abordagens metodológicas utilizadas, por tipo de pesquisa (survey, qualitativa e experimental).

Neste primeiro trabalho são apresentados os resultados do inventário das características metodológicas básicas dos artigos. Neste documento, inicialmente discorremos sobre o método aplicado para a pesquisa no item 2. No item 3 são relatados os resultados do estudo, bem como identificadas as variáveis analisadas. Por fim, o item 4 apresenta as principais conclusões oriundas dos resultados obtidos com a pesquisa.

 

MÉTODO

O procedimento metodológico utilizado foi o de desk research, envolvendo o conjunto de artigos científicos da área de marketing, publicados na Revista de Administração de Empresas da Fundação Getúlio Vargas (RAE), na Revista de Administração da Universidade de São Paulo (RAUSP) e nos anais dos Encontros Anuais da Associação Nacional dos Programas de Pós-Graduação em Administração (ENANPAD), no período de janeiro de 1990 a setembro de 1998.

O processo de identificação e seleção de artigos resultou em uma relação de 217 artigos para a análise. Os critérios para a seleção dos artigos foram os seguintes: artigo considerado efetivamente da área de marketing, artigo não publicado anteriormente em qualquer dos periódicos considerados e artigo sem relato similar de pesquisa já publicada. Nos casos de duplicata, foram consideradas as publicações mais antigas.

Dos 217 artigos selecionados, 83 foram considerados conceituais e 134 baseados em pesquisas empíricas que apresentaram método de pesquisa envolvendo, direta ou indiretamente, alguma coleta de dados. O estudo aqui descrito envolve apenas os artigos classificados como de base empírica, uma vez que as características metodológicas analisadas não se apresentam em artigos conceituais.

O processo de análise dos 134 artigos de pesquisas empíricas constituiu-se da verificação dos elementos metodológicos básicos de investigações científicas. As variáveis avaliadas para cada artigo selecionado, específicas para cada método de pesquisa (survey, qualitativa e experimental), foram adaptadas de Hoppen, Lapointe e Moreau (1997). No presente artigo, contudo, são relatados apenas os resultados das variáveis comuns aos três métodos de pesquisa considerados. Foram elas: natureza da pesquisa, justificativa, teorias de base, objetivo e questão de pesquisa, hipóteses ou pressupostos de base, modelo de pesquisa, mix de métodos, operacionalização das variáveis, descrição dos procedimentos metodológicos, tipo de dados, validade externa, validade nomológica, limites do estudo, recomendações para pesquisas e recomendações aplicadas. Cada uma das variáveis é descrita nos itens a seguir, juntamente com os resultados da pesquisa.

A avaliação destas variáveis foi realizada por um grupo de seis pesquisadores de marketing, sendo que cada artigo foi analisado por apenas um avaliador. Contudo, buscando-se uma maior validade para o estudo, os critérios de análise foram amplamente discutidos entre os membros da equipe de avaliadores. Além disto, os casos de artigos com aspectos duvidosos foram intercambiados entre os avaliadores e dirimidos em reuniões do grupo. Os dados, coletados através de formulários padronizados por método de pesquisa (vide Anexos 1, 2 e 3), foram tabulados e processados através dos softwares Le Sphinx Plus e Excel.

 

RESULTADOS DAS ANÁLISES

A distribuição de freqüência dos artigos científicos de marketing publicados no período de janeiro de 1990 a setembro de 1998 em periódicos brasileiros, respeitados os critérios de seleção desta pesquisa, é apresentada na Tabela 1, separada por periódico e ano de publicação.

 

 

Nota-se que o ENANPAD, entre os periódicos analisados, é aquele que efetivamente apresenta o maior número de publicações de artigos de marketing. Cabe salientar a ausência de artigos de marketing nas publicações da RAE e da RAUSP em alguns anos.

Foram publicados nas revistas RAE e RAUSP 13,4% dos 134 artigos baseados em pesquisas empíricas, e 28,9% dos 83 artigos conceituais, representando 19,3% do total de 217 artigos científicos de marketing selecionados. Especificamente sobre os artigos de marketing publicados no ENANPAD, destaca-se a evidente evolução dos artigos empíricos, especialmente nos dois últimos anos.

A seguir são descritos os principais resultados relativos às variáveis analisadas, considerando apenas os 134 artigos baseados em pesquisas empíricas.

Métodos de Pesquisa

Os 134 artigos empíricos foram inicialmente classificados por método de pesquisa, quais sejam, survey, qualitativa ou experimental (Hoppen, Lapointe e Moreau, 1997). A Tabela 2 apresenta a distribuição da freqüência dos artigos analisados por tipo de método.

 

 

A classificação do método de pesquisa como survey considerou elementos básicos como o fornecimento de descrições quantitativas da população estudada, a realização de coleta de dados por meio de instrumentos estruturados e o uso de informações coletadas junto a uma amostra da população analisada.

As pesquisas definidas como qualitativas foram aquelas que objetivaram uma interpretação mais ampla do fenômeno social em estudo, visando a compreensão do estado da arte de situações onde a prática se antecipa à teoria. Em geral, a técnica utilizada neste tipo de pesquisa foi a de estudo de casos.

Os trabalhos considerados do tipo experimental foram aqueles que apresentaram manipulação deliberada de uma ou mais variáveis independentes para analisar as conseqüências desta manipulação em uma ou mais variáveis dependentes, dentro de um ambiente controlado pelo investigador.

Observa-se, em relação aos métodos de pesquisa adotados, a predominância das pesquisas do tipo survey, que representaram 76,12% das publicações. Destaca-se, também, o restritivo uso da metodologia experimental nas pesquisas de marketing (4 publicações), talvez pelas dificuldades inerentes ao processo de controle das variáveis de um experimento.

Natureza da Pesquisa

A natureza da pesquisa foi classificada em exploratória, descritiva ou causal (Churchill, 1999). No caso de uma pesquisa exploratória, trata-se de aprofundar conceitos preliminares, muitas vezes inéditos. Seu objetivo básico é desenvolver hipóteses e proposições que irão redundar em pesquisas complementares. Por outro lado, uma pesquisa descritiva tem por objetivo informar o pesquisador sobre situações, fatos, opiniões ou comportamentos que têm lugar na população analisada, buscando mapear a distribuição de um fenômeno na população estudada. Finalmente, a pesquisa causal foi considerada aquela que testa uma teoria e suas relações causais. A Tabela 3 descreve a natureza das pesquisas em marketing publicadas nos periódicos analisados.

 

 

Os artigos de natureza descritiva representaram a maior parte das pesquisas realizadas em marketing, aproximadamente 53%. Esse resultado indica a busca de maior consolidação da área em relação ao contexto nacional, procurando descrever as situações, fatos e comportamentos da população analisada, sendo coerente com as pesquisas do tipo survey que predominam na área (vide Tabela 2).

Por outro lado, nota-se que 41,04% das publicações são de natureza exploratória, demonstrando a preocupação em aprofundar conceitos preliminares ou melhor definir novos conceitos da área, permitindo também explorar situações inéditas na área de marketing.

Deve-se salientar, também, o pequeno número de artigos publicados de natureza causal (8 artigos).

Apresentação e Relevância do Problema de Pesquisa

Esta categoria trata de dimensões que identificam a fundamentação conceitual utilizada e a relevância do estudo para a área, bem como os objetivos da pesquisa apresentada e suas hipóteses. A Tabela 4 apresenta os resultados da análise quanto a este item.

 

 

Em relação à justificativa, registrou-se apenas se o artigo analisado apresentava justificativa ou relato de importância da pesquisa. A teoria de base foi considerada aprofundada quando o artigo continha uma descrição detalhada do fenômeno em estudo do ponto de vista dos principais autores da área ou de uma linha de estudo específica de um grupo de autores. Caso a descrição do fenômeno apresentasse pouco detalhamento, mas ainda dentro do fenômeno em estudo, considerou-se a teoria de base como superficial. Em qualquer outro caso, considerou-se a mesma como ausente ou não relacionada.

Quanto ao objetivo e à questão de pesquisa, avaliou-se se o artigo descrevia ou não o problema de pesquisa e/ou objetivo geral. O problema de pesquisa implica uma questão que envolve dificuldade teórica ou prática para a qual se quer encontrar uma resposta ou solução. Da mesma forma, as hipóteses ou pressupostos de base foram apenas considerados como existentes (declarados) ou não para cada artigo analisado.

Conforme a Tabela 4, os artigos apresentaram, em termos gerais, preocupação com a apresentação e a relevância do problema de pesquisa. Grande parte dos artigos apresentou justificativa do estudo (91,87%), bem como objetivos e questão de pesquisa (98,51%).

A maioria dos artigos (93,28%) apresentou a fundamentação teórica para a pesquisa descrita, sendo que em 38,06% deles a teoria de base foi considerada como aprofundada e em 54,47% como superficial.

Por outro lado, destaca-se que a maior parte dos artigos (67,48%) não apresenta hipóteses ou pressupostos de base.

Desenho de Pesquisa

Esta categoria engloba as dimensões relacionadas com o modelo de pesquisa, utilização de mix de métodos, operacionalização das variáveis do estudo e descrição dos procedimentos metodológicos utilizados. A presença destas dimensões foi verificada em cada um dos artigos analisados. A Tabela 5 resume os resultados obtidos.

 

 

Como modelo de pesquisa considerou-se o posicionamento do objeto em estudo dentro da base teórica ou de uma descrição mais ampla do fenômeno estudado, podendo ser gráfico ou não.

Quanto ao mix de métodos, levou-se em conta a utilização de mais de um método de pesquisa para avaliar a mesma questão de pesquisa. Note-se que este mix de métodos não se refere à diversidade dos métodos de coleta de dados.

A operacionalização das variáveis referiu-se à descrição das variáveis consideradas no fenômeno estudado, além da sua forma de mensuração.

A análise da Tabela 5 revela que, de modo geral nos artigos analisados, há pouca ênfase no refinamento do desenho de pesquisa. Verifica-se que somente 14,93% dos artigos apresentam o modelo de pesquisa, posicionando, graficamente ou não, o objeto em estudo dentro da base teórica ou de uma descrição mais ampla do fenômeno estudado. A utilização de uma abordagem multimétodo para avaliar a mesma questão de pesquisa aparece em apenas 2,99% dos artigos analisados. Por fim, a maior parte dos artigos (72,39%) não apresenta a operacionalização das variáveis do estudo, isto é, não descreve essas variáveis e nem indica a sua forma de mensuração.

Já em relação à descrição dos procedimentos metodológicos, nota-se uma preocupação dos pesquisadores em descrever as etapas metodológicas desenvolvidas no estudo (88,81%).

Tipos de Dados Coletados

Descreve-se aqui os tipos de dados coletados e/ou utilizados pelas pesquisas descritas, ou seja, dados primários (coletados especificamente para a pesquisa) ou dados secundários (já existentes em outras fontes, coletados anteriormente). A Tabela 6 demonstra a distribuição de freqüência dos artigos analisados por tipo de dado coletado/utilizado, considerando a possibilidade de utilização de ambos os tipos no mesmo estudo.

 

 

Grande parte dos artigos utiliza dados coletados especificamente para a pesquisa (93,28%), sendo que 79,10% dos estudos utilizam apenas dados primários.

Forma de Apresentação dos Resultados

Relata-se aqui a forma como os resultados de pesquisa foram apresentados nos artigos analisados, isto é, se os mesmos indicaram a validade externa e nomológica, bem como os limites do estudo e as recomendações aplicadas e para futuras pesquisas.

Quanto à validade externa, buscou-se avaliar se os artigos descreviam em que medida os resultados obtidos poderiam ser aplicados a outras situações, além daquelas referentes ao estudo apresentado.

Já no item relativo à validade nomológica, considerou-se a presença ou não de uma descrição da consistência dos resultados obtidos com o modelo teórico e as hipóteses definidas a priori.

Em relação aos limites do estudo e recomendações para pesquisas, verificou-se apenas a sua presença ou não nos artigos.

Na Tabela 7 a seguir, verifica-se que a preocupação dos autores com validade externa e nomológica pode ser considerada como pequena. Coincidentemente, apenas 12,69% dos artigos descreveram aspectos relacionados à validade externa e nomológica.

 

 

Nota-se, ainda, que os autores dão maior ênfase às recomendações aplicadas (71,64% dos artigos) do que às recomendações de pesquisas futuras (35,82% dos artigos). Isto pode denotar uma prioridade para resultados aplicáveis diretamente na prática do marketing em detrimento de resultados teórico-acadêmicos. O volume de artigos que não descreve as limitações do estudo (68,66%) parece corroborar esta conclusão.

 

CONCLUSÕES

A análise dos artigos publicados na RAE, na RAUSP e no ENANPAD, no período de janeiro de 1990 a setembro de 1998, em termos gerais, sinaliza uma busca pelo aprofundamento dos conhecimentos e da base conceitual da área de marketing no Brasil.

A soma dos artigos de natureza exploratória (55) com os artigos considerados conceituais (83), representa 63,6% do total de 217 artigos analisados. Este percentual é muito grande, se comparado àquele relativo aos artigos de natureza causal (3,7%). Supostamente, apenas 8 artigos objetivaram testar teorias e suas relações causais. A busca pela consolidação da área de marketing no Brasil e a correspondente necessidade de conhecimento de suas peculiaridades se expressa, claramente, pela concentração de pesquisas de natureza descritiva.

Os dados demonstraram, contudo, pouca preocupação com alguns aspectos importantes relativos à qualidade metodológica de pesquisa, entre eles: hipóteses e pressupostos básicos, modelo de pesquisa, mix de método, operacionalização das variáveis, validade externa e nomológica, limites do estudo e recomendações para pesquisas futuras.

A ausência de alguns destes aspectos, em princípio, poderia ser justificada pelo volume de pesquisas de natureza exploratória ou pela orientação para resultados práticos, mais distantes do rigor metodológico.

Nesta linha, poder-se-ia argumentar que, na medida em que a intensidade dos estudos se voltar para a natureza causal, o rigor metodológico deva crescer.

Limites do Estudo

Pode-se relacionar como limites deste estudo os seguintes pontos:

. as conclusões do estudo estão restritas aos três periódicos (RAE, RAUSP e ENANPAD) e ao período (janeiro de 1990 a setembro de 1998) considerados;

. a subjetividade implícita de cada avaliador em suas análises individuais pode ter representado conclusões distintas para uma mesma situação, apesar dos critérios claros de análise e das reuniões de revisão de dúvidas;

. o primeiro dos critérios de seleção/exclusão dos artigos para análise foi, por si só, subjetivo.

Pesquisas Futuras

A partir dos resultados deste estudo, sugere-se as seguintes pesquisas futuras:

. comparação dos resultados da área de marketing com outras áreas;

. comparação dos resultados nacionais com resultados de outros países;

. avaliação específica e detalhada por tipo de método (survey, qualitativo e experimental).

 

NOTA

1 O próximo artigo será publicado na seção Documento do v. 4, n. 3, de setembro/dezembro da Revista de Administração Contemporânea (RAC).

 

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

CHURCHILL JR., G. A. Marketing research: methodological foundation. Orlando, FL : The Dryden Press, 1999.         [ Links ]

HOPPEN, N.; LAPOINTE, L.; MOREAU, E. Avaliação de artigos de pesquisa em sistemas de informação: proposta de um guia. In: XXI ENCONTRO ANUAL DA ANPAD (1997 : Angra dos Reis). Anais Eletrônicos... Rio de Janeiro: ANPAD, 1997.         [ Links ]

 

 

Lurdes Marlene Seide Froemming, é Mestre em Marketing e Doutoranda em Administração na Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Professora da Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul. Sua área de interesse em pesquisa é comportamento e satisfação do consumidor.
Endereço: Rua José Bonifácio, 457/apt. 501, 98700-000, Ijuí, RS, Brasil. E-mail: lurdesf@unijui.tche.br

Fernando Bins Luce, é Ph.D. em Administração pela Michigan State University, USA. Professor do Programa de Pós-Graduação em Administração da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Sua área de interesse em pesquisa é marketing.
Endereço: Universidade Federal do Rio Grande do Sul - UFRGS, Programa de Pós-Graduação em Administração - PPGA, Av. Washington Luiz, 855, 90010-460, Porto Alegre, RS, Brasil. E-mail: fbluce@adm.ufrgs.br

Marcelo Gattermann Perin, é Mestre em Sistemas de Informações e Doutorando em Administração na Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Professor Adjunto da Universidade do Vale do Rio dos Sinos. Suas áreas de interesse em pesquisa são planejamento estratégico, planejamento de marketing, orientação para mercado, informações em marketing.
Endereço: Av. Lucas de Oliveira, 1476/apt. 601, 90460-000, Porto Alegre, RS, Brasil. E-mail: perin@portoweb.com.br

Cláudio Hoffmann Sampaio, é Mestre em Administração e Doutorando em Administração na Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Professor da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul. Suas áreas de interesse em pesquisa são marketing, estratégia, marketing estratégico, orientação para o mercado.
Endereço: Rua Marquês do Pombal, 761/apt. 302, 90540-001, Porto Alegre, RS, Brasil. E-mail: chsampaio@adm.ufrgs.br

Sedinei José Nardelli Beber, é Mestre em Administração pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Professor da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, além de Pesquisador do Centro de Estudos e Pesquisas em Administração da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Suas áreas de interesse em pesquisa são matemática financeira, análise de investimentos, pesquisa de mercado, marketing estratégico.
Endereço: não fornecido. E-mail: sbeber@adm.ufrgs.br

Guilherme Trez, é Mestre em Administração pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Professor da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, além de Pesquisador do Centro de Estudos e Pesquisas em Administração da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Suas áreas de interesse em pesquisa são estratégias de marketing, marketing de serviços, métodos de pesquisa e análise de dados.
Endereço: Av. Independência, 98/apt. 101, 90035-070, Porto Alegre, RS, Brasil. E-mail: gtrez@orion.ufrgs.br

 

 

ANEXO 1: FORMULÁRIO PARA PESQUISAS DO TIPO SURVEY

 

 

ANEXO 2: FORMULÁRIO PARA PESQUISAS DO TIPO QUALITATIVA

 

 

ANEXO 3: FORMULÁRIO PARA PESQUISAS DO TIPO EXPERIMENTAL