SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.15 número2Correlação entre comprimento de prega vocal e classificação da voz de cantores: um estudo de medidas morfológicas por meio de raios XA relação das habilidades do processamento auditivo com a consciência fonológica e com o desenvolvimento da fala índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Revista da Sociedade Brasileira de Fonoaudiologia

versão On-line ISSN 1982-0232

Rev. soc. bras. fonoaudiol. vol.15 no.2 São Paulo  2010

http://dx.doi.org/10.1590/S1516-80342010000200027 

RESUMO

 

Condições de letramento de professores das séries iniciais

 

 

Márcia Regina dos Reis

Mestre, Professora do Programa de Pós-graduação da Universidade Estadual do Norte do Paraná - UENP - Jacarezinho (PR), Brasil

Endereço para correspondência

 

 

Reis MR. Condições de letramento de professores das séries iniciais [dissertação]. Curitiba: Universidade Tuiuti do Paraná; 2009.

O objetivo deste trabalho é apreender práticas de leitura e escrita de professores inseridos nas séries iniciais do ensino fundamental. A questão norteadora está relacionada à visão de um grupo de professores acerca de aspectos que caracterizam suas condições de letramento. O professor, figura fundamental na constituição de sujeitos letrados, e as formas como medeia as práticas de letramento na escola são determinantes das condições de apropriação da escrita pelos educandos. A pesquisa de campo foi realizada com 100 professores do Ensino Fundamental, regentes na 1ª e 2ª séries, da Rede Pública pertencentes a duas regiões do Estado do Paraná, em específico os municípios de: Ivaiporã, Arapuã, Colombo, Piraquara e Campina Grande do Sul. Como instrumento de coleta de dados, foi utilizado um questionário composto por 26 perguntas voltadas à caracterização dos sujeitos, bem como às práticas de leitura e escrita desenvolvidas nos contextos profissional e doméstico/lazer. Dentre os aspectos abordados ressaltam-se: influências positivas e negativas em relação a tais práticas; dificuldades e não dificuldades na realização das mesmas; tipos, prazer e frequência com que tais práticas são vivenciadas nos contextos delimitados. Dentre os resultados constatou-se que 100% dos professores realizam leitura e escrita no contexto profissional e mais de 93% têm prazer em ler e escrever. No contexto doméstico/lazer, 83% realizam leitura e 78% têm prazer, porém, em relação à escrita nesse contexto, 68% costumam realizar essa prática e 65% têm prazer em escrever. Quanto aos dados de dificuldades e não dificuldades em ler e escrever, 74% dos pesquisados não têm dificuldades para realizar práticas de leitura e 58%, de escrita. A partir dos relatos escritos foi possível verificar que há busca por qualificação por parte dos professores e que os mesmos são os maiores influenciadores tanto na leitura como na escrita. São mais leitores que escritores, porém, tanto em relação à leitura como à escrita, as escolhas dos materiais são principalmente de gênero primário. Os resultados asseveram a necessidade da realização de estudos para avançar no entendimento referente a trajetória acadêmica de professores e a que práticas letradas foram expostos no percurso de formação, assim como o significado da leitura e da escrita para esses professores.

 

 

Endereço para correspondência:
Márcia Regina dos Reis
R. Dois de Abril, 919, Jacarezinho (PR)
Brasil, CEP: 86400-000
E-mail: fonomarcia@yahoo.com.br

 

 

Trabalho realizado na Universidade Tuiuti do Paraná para obtenção do título de Mestre em Distúrbios da Comunicação sob orientação da Profa. Dra. Ana Paula Berberian.

Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons