SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.17 issue4Editorial author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Revista da Sociedade Brasileira de Fonoaudiologia

On-line version ISSN 1982-0232

Rev. soc. bras. fonoaudiol. vol.17 no.4 São Paulo Dec. 2012

http://dx.doi.org/10.1590/S1516-80342012000400001 

Editorial

 

 

Dra. Fernanda Dreux M. Fernandes

 

 

Neste último fascículo de 2012, a Revista da Sociedade Brasileira de Fonoaudiologia publica, como vem fazendo há vários anos, um painel abrangente a respeito das pesquisas que vem sendo desenvolvidas no Brasil, que são significativas para a realidade brasileira e, dessa forma, cumpre uma das mais importantes funções da Sociedade Brasileira de Fonoaudiologia: a aproximação entre a produção científica e o profissional que poderá fazer uso dessas informações, fundamentando cientificamente sua pratica profissional.

Dores corporais em teleoperadores e sua relação com o uso da voz em atividades laborais é o título do estudo apresentado por Constancio, Moreti, Guerrieri e Behlau, com 470 sujeitos.

Outro estudo do mesmo grupo, escrito por Padilha, Moreti, Raize, Sauda, Lourenço, Oliveira e Behlau é intitulado Grau de quantidade de fala e intensidade vocal de teleoperadores em ambiente laboral e extralaboral e envolve 299 sujeitos.

Distúrbio de voz em professores: autorreferência, avaliação perceptiva da voz e das pregas vocais foram estudados por Lima-Silva, Ferreira, Oliveira, Silva e Ghirardi em 60 professores.

Ainda na área da voz, o estudo Correlações entre ruído ambiental em sala de aula e voz do professor é apresentado por Guidini, Bertoncello, Zanchetta e Dragone.

Os Efeitos auditivos da exposição combinada: interação entre monóxido de carbono, ruído e tabagismo foram estudados por Ferreira, Oliveira, Meira e Lacerda em 80 trabalhadores.

A Comparação dos estímulos clique e CE-chirp® no registro do Potencial Evocado Auditivo de Tronco Encefálico foi realizada por Rodrigues e Lewis.

Jacob, Bevilacqua, Molina, Queiroz, Hoshii, Lauris e Moret apresentam o estudo Sistema de frequência modulada em crianças com deficiência auditiva: avaliação de resultados.

Wertzner, Santos e Pagan-Neves estudaram os Tipos de erros de fala em crianças com transtorno fonológico em função do histórico de otite média.

A Ocorrência de dessonorização no desvio fonológico: relação com fonemas mais acometidos, gravidade do desvio e idade foi estudada por Mota, Berticelli, Costa, Wiethan e Melo.

Mudanças no sistema fonológico após terapia fonológica de abordagem contrastiva é o título de outro trabalho, apresentado por Gubiani, Brancalioni e Keske-Soares.

A Prevalência do desvio fonológico em crianças da cidade de Salvador, Bahia também foi estudada pelo mesmo grupo, Cavalheiro, Brancalioni e Keske-Soares, em pesquisa com 2880 crianças.

Memória operacional fonológica e consciência fonológica em escolares ao final do ciclo I do ensino fundamental é o título da pesquisa relatada por Soares, Jacinto e Cárnio.

Functional Communication Profile - Revised: uma proposta de caracterização objetiva de crianças e adolescentes do espectro do autismo é o título do artigo escrito por Santos e Fernandes, que descreve pesquisa realizada com 50 crianças do espectro do autismo.

O Comportamento motor oral e global de recém-nascidos de mães usuárias de crack e/ou cocaína foi pesquisado por Gasparin, Silveira, Garcez e Levy.

A Influência do ambiente hospitalar nos aspectos relacionados ao aleitamento materno foi investigada por Beck, Assunção, Barbosa e Gomes.

Wertzner and Pagan-Neves apresentam um estudo de caso a respeito da Efetividade dos testes complementares no acompanhamento da intervenção terapêutica no transtorno fonológico.

Outro estudo de caso é descrito por Melo, Yamaguti, Moret e Bevilacqua e refere-se à Audição e linguagem em crianças deficientes auditivas implantadas inseridas em ambiente bilíngue: um estudo de casos.

Pires, Sassi, Mangilli, Limongi e Andrade apresentam uma revisão crítica da literatura a respeito de Alimentos na consistência líquida e deglutição: uma revisão crítica da literatura.

O outro artigo de revisão é de Oliveira, Domingues, Juste, Andrade e Moretti-Ferreira, sobre Gagueira desenvolvimental persistente familial: perspectivas genéticas.

Lima e Cruz-Santos são as autoras do artigo especial a respeito da Aquisição dos gestos na comunicação pré-linguística: uma abordagem teórica.

O artigo refletindo sobre o novo foi escrito por Madazio e Moreti e refere-se a um artigo sobre a resolução do tratamento de pólipos em pregas vocais.

Molini-Avejonas resenhou um artigo a respeito da identificação precoce de atrasos de linguagem.

Finalmente, são apresentados os seguintes resumos: Resolução temporal em perdas auditivas neurossensoriais e lesões cerebrais de Gallo; Análise do ruído de impacto na audição de integrantes do batalhão de operações especiais da polícia militar do Paraná: uma proposta de prevenção de Heupa; YouTube e surdez: análise de discursos de surdos no ambiente virtual de Festa; Perfil de escolares do 3º ao 5º ano do ensino fundamental I em compreensão de leitura: elaboração de um instrumento avaliativo de Cunha e Desempenho ortográfico de escolares do ensino fundamental: elaboração e aplicação de um instrumento de intervenção de Sampaio.

Na verdade este trata-se do último fascículo da Revista da Sociedade Brasileira de Fonoaudiologia sob a responsabilidade da SBFa. A partir de 2013 a Revista passará a ser publicada pela Academia Brasileira de Audiologia (veja o editorial convidado sobre o tema).

As mudanças realizadas nos periódicos da SBFa visam possibilitar o desenvolvimento dessas publicações e, principalmente, a ampliação da sua indexação. Durante os dois últimos anos a SBFa publicou dois periódicos: a Revista da SBFa e o Jornal da SBFa. Embora envolva um trabalho enorme, seria possível continuar a fazer isso. Mas não seria possível continuar a fazer isso e ainda promover a ampliação da indexação e o aumento do impacto das publicações.

Em junho deste ano recebemos um parecer de avaliação para a indexação da Revista no ISI que indicou claramente que a palavra "Fonoaudiologia" no título provocava confusão.

..."We have examined the Revista da Sociedade Brasileira de Fonoaudiologia and find that we cannot accept it for coverage in Thomson Reuters products at this time. Thomson Reuters strives to provide comprehensive but not all-inclusive coverage of the world's best journals. Audiology is a very competitive field of study. We have sufficient coverage of audiology."

Mesmo após um pedido de reconsideração, em que foi explicado o caráter específico da Fonoaudiologia, a resposta continuou a indicar que a Revista estava sendo comparada às publicações na área da Audiologia

"...Our evaluation process of Revista da Sociedade Brasileira de Fonoaudiologia, considers many factors, including the extent of our current coverage of the discipline and the journal citation record-how often a journal is cited, which journals cite it, and are cited by it. Our database captures both the indexed and non-indexed items in the bibliographies of Web of Science journals. Within that database, your journal has a low estimated ranking in the journal category of Audiology and related subjects."

Frente a essa negativa e à necessidade de continuar a investir na melhoria da indexação do periódico, fomos buscar assessorias, fizemos cursos e participamos de seminários a respeito de processos editoriais, com apoio da Fapesp e da SciELO. A indicação de que nos dedicássemos exclusivamente a um periódico foi imediata e unanime e a escolha natural para esse investimento foi o Jornal da SBFa, que já tem indexação Medline e Scopus, o que facilita sua inclusão no PubMed Central e portanto maior visibilidade internacional. Os leitores terão mais informações a respeito das mudanças propostas para o Jornal da SBFa na edição de dezembro.

Restava a decisão a respeito do futuro da Revista da Sociedade Brasileira de Fonoaudiologia. A generosa decisão da ABA representou, mais do que uma solução, a união da Fonoaudiologia. Claro que serão realizadas as mudanças naturais nesse processo de transferência, mas a proposta de que a Revista continuará a ter um caráter generalista, incluindo toda a Fonoaudiologia, garante a continuidade das alternativas de publicação e de visibilidade da produção científica brasileira.

Pessoalmente, depois de sete anos como editora científica da Revista, tenho certeza de que o projeto continuará a ser conduzido com seriedade e competência. Em 2013 enfrentaremos os desafios de sempre, de forma diferente.

A experiência de realizar esse trabalho e aprender com ele foi um privilégio pelo qual tenho que agradecer muito.

O final do ano é também o momento adequado para agradecer a todos os que colaboraram com a Revista, como leitores, autores, revisores, técnicos, Juliana Gândara, Érica Ferraz e Mara Behlau, pelas oportunidades, companheirismo e confiança.

Que o final do ano seja cheio de alegrias e 2013 mais um ano de conquistas e aprendizado.

Este editorial já estava fechado quando eu fui assistir à entrega do Prêmio Saúde Abril e assisti à nossa colega Maria Inês Pegoraro Krook ganhar o prêmio na àrea de saúde bucal. Um evento simbólico do reconhecimento da relevância e da competência. Parabéns e obrigada.

 

Fernanda Dreux
Editora científica da RSBF

Creative Commons License All the contents of this journal, except where otherwise noted, is licensed under a Creative Commons Attribution License