SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.17 número4Early identification of language delay by direct language assessment or parent report?Análise do ruído de impacto na audição de integrantes do batalhão de operações especiais da polícia militar do Paraná: uma proposta de prevenção índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Revista da Sociedade Brasileira de Fonoaudiologia

versão On-line ISSN 1982-0232

Rev. soc. bras. fonoaudiol. vol.17 no.4 São Paulo dez. 2012

http://dx.doi.org/10.1590/S1516-80342012000400025 

RESUMO

 

Resolução temporal em perdas auditivas neurossensoriais e lesões cerebrais

 

 

Júlia Gallo

Programa de Pós-graduação (Mestrado) em Distúrbios da Comunicação Humana, Universidade Federal de São Paulo - UNIFESP - São Paulo (SP), Brasil

Endereço para correspondência

 

 

Gallo J. Resolução temporal em perdas auditivas neurossensoriais e lesões cerebrais [dissertação]. São Paulo: Universidade Federal de São Paulo; 2011.

 

OBJETIVO: Verificar e comparar o comportamento auditivo de resolução temporal em indivíduos com perda auditiva neurossensorial simétrica, assimétrica, indivíduos com lesão cerebral e indivíduos normais.
MÉTODOS: Trinta e oito indivíduos divididos em quatro grupos: 11 indivíduos com perda auditiva neurossensorial simétrica (GPS); quatro indivíduos com perda neurossensorial assimétrica (GPAS); oito indivíduos com lesão em lobo temporal (GL); 15 indivíduos grupo comparação (GC). Estes indivíduos foram submetidos à avaliação auditiva, para definição das características audiológicas dos grupos, e avaliação da habilidade auditiva de resolução temporal através dos testes RGDT e GIN. Os resultados encontrados nesta avaliação foram analisados estatisticamente e as respostas obtidas entre os grupos foram comparadas.
RESULTADOS: O nível de audição de cada uma das orelhas nos grupos GPS, GL, e GC são simétricos. Os grupos comparação (GC) e lesão (GL) são iguais com relação aos resultados audiométricos. Observou-se diferença estatisticamente significante entre os grupos comparação, GC, e estudos: perda auditiva simétrica (GPS) e lesão (GL) para os testes RGDT e GIN. Entre os grupos perda auditiva simétrica e grupo lesão houve tendência a significância estatística. Os dados obtidos nos testes RGDT e GIN dos indivíduos do grupo com perda auditiva neurossensorial assimétrica (GPAS) foi utilizado apenas na comparação final com o grupo com perda auditiva simétrica, devido ao reduzido tamanho da amostra deste grupo. Na comparação dos resultados entre os grupos GPS e GPAS não foram encontradas diferenças estatisticamente significantes.
CONCLUSÃO: A habilidade de resolução temporal foi semelhante entre o grupo de indivíduos com perda auditiva simétrica (GPS) e o grupo com lesão (GL). Ambos os grupos mostraram desempenho pior do que o grupo comparação (GC). O grupo de indivíduos com perda auditiva assimétrica (GPAS) apresentou resultados semelhantes quanto à habilidade auditiva de resolução temporal, em ambos os testes, quando comparados aos indivíduos com perda auditiva simétrica (GPS). A tarefa de resolução temporal com ruído (teste GIN) foi mais fácil do que a tarefa de resolução temporal com tom puro (teste RGDT) mais evidenciado nos grupos com perda auditiva e lesão cerebral, pois estes indivíduos apresentaram limiares melhores no teste GIN do que no teste RGDT.

 

 

Endereço para correspondência:
Júlia Gallo
Av. Raimundo Pereira de Magalhães, 1720/12, Bloco 12, Jd. Iris
São Paulo (SP), Brasil, CEP: 05145-000
E-mail: fga.juliagallo@gmail.com

Financiamento: Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPQ)

 

 

Trabalho realizado na Disciplina de Distúrbios da Audição, Universidade Federal de São Paulo - UNIFESP - São Paulo (SP), Brasil, para a obtenção do título de Mestre em Ciências pelo programa de pós-graduação em Distúrbios da Comunicação Humana, sob orientação da Profa. Dra. Liliane Desgualdo Pereira e co-orientação da Profa. Dra. Maria Cecília Martinelli Iório.

Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons