SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.26 issue2Allogeneic hematopoietic stem cell transplantation for primary myelodysplastic syndrome author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Revista Brasileira de Hematologia e Hemoterapia

Print version ISSN 1516-8484On-line version ISSN 1806-0870

Rev. Bras. Hematol. Hemoter. vol.26 no.2 São José do Rio Preto  2004

http://dx.doi.org/10.1590/S1516-84842004000200001 

EDITORIAL EDITORIAL

 

Associação Ítalo-Brasileira de hematologia (AIBE)

 

Italo-Brazilian Association of Hematology (AIBE)

 

 

A. Maiolino

Professor Assistente de Hematologia do Departamento de Clinica Médica da UFRJ. Coordenador Brasileiro da AIBE

Endereço para correspondência

 

 

Foi fundada em 02/04/2004 na cidade de Gênova, Itália, a Associação Ítalo-Brasileira de Hematologia (AIBE). Os objetivos desta associação são o de promover a integração entre os Serviços de Hematologia dos dois países através do intercâmbio de profissionais da área de saúde e o desenvolvimento de protocolos clínicos e laboratoriais de interesse comum.

Hoje, a cooperação e a realização de estudos multicêntricos são de fundamental importância para o desenvolvimento da ciência médica. A Itália tem uma longa tradição e vem avançando muito nos últimos anos, na promoção destes estudos. A sua inclusão no cenário da Comunidade Européia também contribuiu em muito para este progresso.

Os membros italianos, fundadores da AIBE, estão na liderança e participam de diversos grupos cooperativos que desenvolvem protocolos da mais alta relevância científica. Podemos dar como exemplo o Gruppo Italiano Trapianto Midollo Ósseo (GITMO)1 e o Italian Non-Hodgkin's Lymphoma Cooperative Study Group.2 Existe também uma forte integração destes grupos italianos com grupos internacionais tais como o European Group for Blood and Marrow Transplantation (EBMT).3

Tivemos a oportunidade, ao trabalharmos na Itália, de participar efetivamente no desenvolvimento de alguns destes estudos, desde as discussões preliminares até a efetiva inserção de pacientes. Acreditamos ser de fundamental importância a formação de grupos cooperativos em nosso país e podemos citar o Grupo de Estudos Multicêntricos em Onco-Hematologia (GEMOH) como um exemplo deste modelo de trabalho, que já vem dando frutos. Nosso estudo cooperativo sobre tratamento do mieloma múltiplo, sob a égide do GEMOH, conta com a destacada participação de renomadas instituições brasileiras, tais como a Unicamp, a USP-Ribeirão Preto, a Santa Casa de Misericórdia de São Paulo e o Hospital Israelita Albert Einstein. A qualidade deste projeto foi reconhecida recentemente pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp), através da concessão de uma verba de pesquisa. A integração deste e de outros grupos nacionais com grupos internacionais é possível e amplamente desejável. Esperamos que a AIBE possa se constituir em um instrumento eficaz para atingirmos este fim

A fundação da AIBE foi maturada a partir do grande sucesso obtido com os Encontros Ítalo-Brasileiros de Hemopatias Malignas e Transplante de Medula Óssea realizados em conjunto com os congressos da SBTMO 2002 no Rio de Janeiro e SBTMO 2003 em Ouro Preto. O próximo encontro já está marcado para este ano, também no congresso da SBTMO, a se realizar em Curitiba. Além deste evento pretendemos realizar no mês de novembro, na Itália, uma reunião executiva, para definirmos as linhas de ação no que se refere à elaboração de protocolos de pesquisa comuns.

A AIBE encontra-se aberta à filiação e à colaboração dos hematologistas brasileiros.

 

Referências Bibliográficas

1. Ladetto M, Corradini P, Vallet S, et al. High rate of clinical and molecular remissions in follicular lymphoma patients receiving high-dose sequential chemotherapy and autografting at diagnosis: a multicenter, prospective study by the Gruppo Italiano Trapianto Midollo Osseo (GITMO). Blood 2002; 100(5): 1.559-65.

2. Santini G, De Souza C, Aversa S, et al. A third generation regimen VACOP-B with or without adjuvant radiotherapy fpr aggressive localized non-Hodgkin's lymphoma. A report from the Italian Non-Hodgkin's Lymphoma Cooperative Study Group. Braz J Med Biol Res 2004; 37(5):719-28.

3. Sweetenham JW, Santini G, Qian W, et al. High-dose therapy and autologous stem-cell transplantation versus conventional — dose consolidation/maintenance therapy as postremission therapy for adult patients with lymphoblastic lymphoma: results of a randomized trial of the European Group for Blood and Marrow Transplantation and the United Kingdom Lymphoma Group. J Clin Oncol 2001; 19 (11): 2927-36

 

 

Endereço para correspondência
Angelo Maiolino
Av. Brigadeiro Trompovsky s/n
21941-590 — Rio de Janeiro-RJ
Email: maiolino@hucff.ufrj.br

Recebido: 28/06/2004
Aceito: 29/06/2004

 

 

Avaliação: O tema abordado foi sugerido e avaliado pelo editor.

Creative Commons License All the contents of this journal, except where otherwise noted, is licensed under a Creative Commons Attribution License