SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.28 issue1Bone pain and its relation to the initial presentation of acute lymphoblastic leukemiaLipoprotein(a) and fibrinolysis inhibition in coronary artery disease author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Revista Brasileira de Hematologia e Hemoterapia

Print version ISSN 1516-8484On-line version ISSN 1806-0870

Rev. Bras. Hematol. Hemoter. vol.28 no.1 São José do Rio Preto Jan./Mar. 2006

http://dx.doi.org/10.1590/S1516-84842006000100012 

ARTIGO ESPECIAL SPECIAL ARTICLE

 

Os sete anos da Revista Brasileira de Hematologia e Hemoterapia

 

Seven years of the Brazilian Journal of Hematology and Hemotherapy

 

 

Milton A. RuizI; David A. HewittII; Cármino A. SouzaIII; Carlos S. ChiattoneIV

IEditor cientifico da Revista Brasileira de Hematologia e Hemoterapia
IIEditor assistente da Revista Brasileira de Hematologia e Hemoterapia
IIIEditor executivo da Revista Brasileira de Hematologia e Hemoterapia
IVPresidente da Sociedade Brasileira de Hematologia e Hemoterapia

Endereço para correspondência

 

 


RESUMO

A Revista Brasileira de Hematologia e Hemoterapia inicia, com este fascículo, o oitavo ano de circulação ininterrupta. Sucedânea do Boletim da Sociedade Brasileira de Hemoterapia é também o órgão oficial da Sociedade Brasileira de Transplante de Medula Óssea e da Associação Ítalo-Brasileira de Hematologia. O objetivo deste relato é o de avaliar os resultados obtidos pelo periódico científico desde que mudou o seu título, os resultados que redundaram na sua inclusão na coleção Scielo, Brasil, a sua classificação como revista A nacional e B internacional segundo a Coordenação de Aperfeiçoamento de Profissionais de Ensino Superior. Com a análise dos fascículos editados de 1999 a 2001, período de edição quadrimestral, e dos fascículos que se seguiram de edição trimestral de 2002 a 2005, fica evidente o incremento progressivo do número de contribuições editadas e de páginas impressas. Os dados observados serão de grande valia para nortear futuras decisões em benefício de melhoria do periódico científico.

Palavras-chave: Revista Brasileira de Hematologia e Hemoterapia; publicação científica.


ABSTRACT

The Brazilian Journal of Hematology and Hemotherapy is beginning its eighth year of uninterrupted circulation. Successor of the Bulletin of the Brazilian Society of Hemotherapy the journal is the official organ of the Brazilian Society of Bone Marrow Transplantation and the Italian-Brazilian Association of Hematology. The objective of this report is to evaluate the results obtained by the scientific periodic since its title was changed, results that culminated in its inclusion in the Scielo Electronic Library and its classification as a national class A and international class B journal according to Coordination for the improvement of Higher Education Personnel (Capes).With the analysis of the issues edited from 1999 to 2001 (three-monthly) and those that followed from 2002 to 2005 (quarterly editions), the progressive increase in the number of submissions and pages published becomes evident. The data observed will be of much use to direct future decisions in order to improve the scientific periodic.

Key words: Brazilian Journal of Hematology and Hemotherapy; scientific publication.


 

 

Introdução

A Revista Brasileira de Hematologia e Hemoterapia (RBHH), ISSN 1516 8484, com o volume 28 inicia o seu oitavo ano de publicação de circulação trimestral ininterrupta. A RBHH é sucedânea do "Boletim da Sociedade Brasileira de Hematologia e Hemoterapia, ISSN 0102 7662", que circulou de 1973 a 1998 com 179 fascículos, distribuídos em vinte volumes. A história e a evolução do periódico científico, que se iniciou como um boletim mensal e transformou-se em periódico científico em 1984, encontra-se relatada de forma mais ampla e detalhada em publicação anterior da RBHH de 1999.1 Neste ano, através de decisão da diretoria da Sociedade Brasileira de Hematologia e Hemo-terapia (SBHH), o "Boletim" mudou seu título para o atual e foram empreendidas diversas modificações. Assim, foi elaborado e introduzido o "manual de padronização" para nortear o Publisher na diagramação, que propiciou alterações na produção gráfica das várias edições que se seguiram e permitiu que a RBHH ganhasse uma nova personalidade.2 Outra decisão foi a de adotar as normas da Organização Mundial dos Editores Científicos (WAME), também conhecida como grupo de Vancouver, e fazer com que os seus postulados éticos e de política editorial fossem abraçados pelas diretorias da SBHH. Houve melhoria nas seções e incremento no conteúdo das edições.3 Em 2000, o periódico passou também a ser órgão da Sociedade Brasileira de Hema-tologia e Hemoterapia (SBTMO) e, em 2004, da AIBE (Associação Ítalo-Brasileira de Hematologia). Após estes eventos, a RBHH passou a ter um afluxo cada vez maior de contribuições, o que propiciou a manutenção de sua periodicidade e circulação, fato que redundou na sua inclusão na base de dados da Coleção Scielo Brasil e classificação com o grau máximo nacional segundo a Capes.4-6

O objetivo deste relato é avaliar o período de sete anos de edição da RBHH e, através da observação do seu conteúdo, obter informações que permitam analisar o desempenho e acerto das medidas até o presente momento com a finalidade de direcionar novas ações para esmerar ainda mais o periódico científico.

Foram avaliados 25 fascículos regulares da RBHH, sendo nove do período de 1999 a 2001, época em que a periodicidade da RBHH era quadrimestral, e 16 de 2002 a 2005, quando a periodicidade passou a ser trimestral. Observaram-se o número de páginas impressas, o número de contribuições e a sua distribuição nas seções do periódico, e a procedência por estado da federação das colaborações publicadas. Foram observados também dados estatísticos disponíveis junto à coleção Scielo, Brasil (www.scielo.br/rbhh).

Os resultados globais do desempenho da RBHH no período de 1999 a 2005, quando foram publicados 25 fascículos regulares em relação a páginas impressas, podem ser observados na figura 1. A tabela 1 apresenta as relações entre o número de contribuições e de páginas impressas e publicadas em cada fascículo. Foram subdivididas as publicações em três blocos:a) período de publicação quadrimestral de 1999 a 2001; b) período de publicação trimestral de 2002 a 2004 e; c) isoladamente o ano de 2005.

A distribuição das contribuições, por seções e origem, está bem evidenciada nas Tabelas 2a, 2b e 3

 

 

 

 

 

 

Discussão e comentários

Com este relato, os editores da RBHH apresentam os resultados de sete anos do periódico científico e têm a oportunidade de discutir as nuances de elaboração da revista e os passos realizados com a finalidade de criar um periódico científico de credibilidade. A RBHH apresentou um aumento substancial de contribuições anuais. Iniciada em 1999 como um periódico quadrimestral, a revista mantinha uma média de 57 páginas impressas para um total de 11 comunicações em todos os fascículos.

Um fato relevante que não deve deixar de ser mencionado foi a edição, no ano 2000, de um suplemento especial de caráter educativo, do Congresso comemorativo dos 50 anos da SBHH. Este suplemento apresentou 59 artigos e um editorial distribuídos em quase 300 páginas. O suplemento estimulou a utilização da RBHH como veiculador dos Suplementos e Resumos de eventos científicos. Assim, a SBHH, a SBTMO, o CLAHT e o Colégio Brasileiro de Hematologia, a partir daquela iniciativa, passaram a editar suplementos dos eventos científicos anuais. Atualmente há em média dois suplementos anuais com resumos dos eventos editados. Esta medida fortaleceu e divulgou o periódico e aumentou a sua visibilidade. Quando observamos o período de 2002 a 2004 fica evidente o aumento do número de páginas impressas, devido à inclusão de mais um fascículo anual e a passagem da revista para edição trimestral.

No ano de 2005, o incremento da RBHH se tornou mais evidente e a média de comunicações passou de 15 para 18 por fascículo. Além disso, o número de contribuições submetidas para publicação, que habitualmente era de 50 por ano até 2004, se elevou para 110 contribuições no ano de 2005. Outro fato importante foi a adequação da RBHH aos critérios e à política de procedimentos da coleção Scielo Brasil (www.scielo.br/criteria/scielo_brasil_pt.html), que recomendava a periodicidade trimestral e a veiculação de um número mínimo de comunicações anuais.

Outro dado importante a ser observado e que caracteriza a revista como importante veículo da área é o aumento de contribuições da área básica e das diversas sub-especialidades da Hematologia e Hemoterapia. A revista, eminentemente paulista ao início, com mais de 90% de contribuições oriundas do estado de São Paulo, apresentou uma redução deste percentual pela maior participação de outros estados da federação, demonstrando que o periódico assume definitivamente um caráter nacional e educativo. Importante ainda citar que a RBHH tem sido referência e base de critério de avaliação, progressão e de admissão nos programas de pós-graduação do País.

A RBHH é hoje classificada como A nacional e B internacional, pelos critérios da Capes. Outro dado relevante refere-se ao fator de impacto, que, segundo a Scielo, inexistia até 2004 e hoje, presente, demonstra que o periódico é referência pela maior citação dos artigos nela publicados. Neste ponto, após a observação da evolução da revista, algumas medidas devem ser realizadas e são desafios para a RBHH.

Dentre elas podemos citar a passagem da revista para bimestral, para manter atualizadas as comunicações e reduzir o tempo entre o recebimento e publicação das contribuições submetidas.

A internacionalização da revista com a adição de experts internacionais no conselho editorial, além de uma ampla discussão da publicação da revista em inglês e não na forma bilingüe, como ocorre atualmente. Para tanto, a editoria propõe uma ampla consulta entre os associados e as entidades que mantêm a RBHH como seu orgão oficial.

Essas discussões se impõem pela pressão em inserir a RBHH nas bases de dados internacionais, em decorrência de sua evolução e da necessidade dos pesquisadores nacionais que nela publicam obterem maior visibilidade internacional.

Com todos estes desafios, além da revisão global de sua política editorial, a RBHH deverá evoluir para submissões online, e ofertar mais transparência e a possibilidade de todos os autores no seguimento das análises de suas contribuições para publicação.

Concluindo, podemos afirmar que a RBHH encontra-se sedimentada.

 

Referências Bibliográficas

1. Ruiz MA, Fragoso YD, Boletim da Sociedade de Hematologia e Hemo-terapia. Rev Bras Hematol Hemot 1999;21(1):3-6.        [ Links ]

2. Guerra CCC. Uma nova Revista. Rev Bras Hematol Hemot 1999; 21(1):1        [ Links ]

3. Carella AM.Tandem Transplantation — Autografting followed by mini-allografting for resistant hematological neoplasia and metastatic breast cancer. Rev Bras Hematol Hemot 1999;21(2):45-46.        [ Links ]

4. Langhi Júnior DM. Revista Brasileira de Hematologia e Hemoterapia — novas conquistas. Rev Bras Hematol Hemot 2002;24(1):1-2.        [ Links ]

5. Ruiz MA. A Revista Brasileira de Hematologia e Hemoterapia na coleção Scielo Brasil 2002;24(1).        [ Links ]

6. Ruiz MA. A revista em 2003. Rev Bras Hematol Hemot 2004;26(1):1-2.         [ Links ]

7. Guerra CCC. 50 anos da SBHH. Rev Bras Hematol Hemot 2000;22 (1):67.        [ Links ]

 

Correspondência para:
Milton A. Ruiz
Avenida Brigadeiro Faria Lima 5544
1509-000 - São José do Rio Preto - São Paulo
E-mail: milruiz@yahoo.com.br

Creative Commons License All the contents of this journal, except where otherwise noted, is licensed under a Creative Commons Attribution License