SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.44 issue3EditorialOvercoming hurdles through innovation, persistence and creativeness in the development of probiotic foods author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Revista Brasileira de Ciências Farmacêuticas

Print version ISSN 1516-9332

Rev. Bras. Cienc. Farm. vol.44 no.3 São Paulo July/Sept. 2008

http://dx.doi.org/10.1590/S1516-93322008000300002 

RELEMBRANDO

 

Prof. Dr. Paulo Suyoshi Minami (1940-2008)

 

 

 

O Professor Paulo Minami, ou melhor, Professor Minami, como era chamado entre os amigos e alunos desta Faculdade, era uma pessoa dedicada, trabalhadora, voltada sempre para o melhor desenvolvimento da nossa Unidade de Ensino.

Conheci o Professor Paulo como professor de Microbiologia, disciplina ministrada na então Faculdade de Farmácia e Bioquímica da USP, nas instalações do antigo prédio da Biologia. Era um professor polêmico, crítico, persistente e paciente. Ele soube equilibrar as atividades de pesquisador, de docente e de administrador, de forma a demonstrar um amor inequívoco à Farmácia, tanto enquanto ciência como instituição. Ascendeu à categoria mais alta dentro da USP, por concurso, no cargo de Professor Titular do Departamento de Análises Clínicas e Toxicológicas.

Colaborou muito nas primeiras jornadas científicas organizadas pelo Centro Acadêmico de Farmácia e Bioquímica e era grande incentivador de novas idéias.

Mais tarde, como colega da Unidade, interessava-se pelas pesquisas de todos e sempre procurava colaborar. Participou da estruturação do curso de pós-graduação da FCF, cujas diretrizes são seguidas até hoje.

Sempre mostrou entusiasmo em atualizar e melhorar o currículo farmacêutico, aliás, até a véspera da sua hospitalização, estava trabalhando neste tema junto ao Conselho Regional de Farmácia.

Participou ativamente da formação de jovens profissionais e acadêmicos titulados em mestrados e doutorados.

Era participante ativo e também atuava como representante nas diversas comissões da Universidade e da Unidade como membro ou como chefe do Departamento de Análises Clínicas e Toxicológicas, coordenador do Programa de Pós-Graduação, presidente da Comissão de Pós-Graduação da FCF e membro da Congregação. Organizava, e mantinha atualizado, o catálogo com todas as dissertações e teses defendidas na FCF.

Teve importante participação, junto com outros membros da Unidade, na criação e no funcionamento inicial do Laboratório Clínico do Hospital Universitário da USP, onde veio a falecer.

Renomado especialista em Micologia, foi membro do Conselho Editorial do Journal of the Brazilian Society for Microbiology e autor do livro Micologia: Métodos Laboratoriais de Diagnósticos das Micoses.

Participou de diversas entidades associativas, colaborando ativamente. Foi presidente da Sociedade de Farmácia e Química de São Paulo, membro da comissão Fundo Bunka de Pesquisa da Sociedade Brasileira de Cultura Japonesa e Assistência Social _ Bunkyo, e em comissões da União Farmacêutica de São Paulo e do Conselho Regional de Farmácia do Estado de São Paulo.

Devido a seus profundos conhecimentos era sempre bastante crítico nas avaliações de trabalhos científicos e nos momentos em que sugeria nomes da comunidade científica para homenagens.

Ele deu início ao processo de informatização na Faculdade, introduzindo, aos poucos, os conhecimentos sobre a informática.

Com a sua aposentadoria, a Faculdade não perdeu um colaborador, pois ele continuou colaborando ativamente na organização da memória da Faculdade, iniciando com o trabalho da memória fotográfica, colecionando uma série de fotografias junto aos colegas, professores e profissionais que passaram por esta Faculdade.

Teve interesse particular pela história da Farmácia, adquirindo, com recursos próprios, interessante material histórico e organizando exposições dentro e fora da Universidade.

Lembro do seu ideal de preservação do passado com a idéia e ação ativa na montagem do museu de Farmácia, com equipamentos e aparelhos de uso em farmácia, obtidos nas disciplinas da Faculdade, como também de colaboradores externos.

Com seu falecimento, a figura do professor que caminhava lentamente pelos corredores da Faculdade com os braços para trás não mais será vista, mas não posso deixar de pensar: O que será que estava pensando? Ao cruzarmos, não deixava de dar uma palavrinha que, às vezes, se alongava por um bom tempo. O professor Paulo, com certeza, tinha muitas contribuições tais como, recordações, críticas e muitas sugestões para o futuro desta Faculdade. Grande amigo e uma grande perda. Quem sabe ELE reservou um lugar especial para o Professor Paulo.

 

Sunao Sato
Prof. Titular FBT/FCF/USP