SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.34 issue4Effect of constant and cyclical temperatures on the mortality of Triatoma infestans (Klug) (Hemiptera: Reduviidae) treated with Beauvaria bassiana (Bals.) Vuill. (Hyphomycetes)Predatory mites associated with Tetranychus evansi Baker & Pritchard (Acari: Tetranychidae) on native solanaceous plants of coastal Pernambuco State, Brazil author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

  • Portuguese (pdf)
  • Article in xml format
  • How to cite this article
  • SciELO Analytics
  • Curriculum ScienTI
  • Automatic translation

Indicators

Related links

Share


Neotropical Entomology

Print version ISSN 1519-566XOn-line version ISSN 1678-8052

Neotrop. Entomol. vol.34 no.4 Londrina July/Aug. 2005

https://doi.org/10.1590/S1519-566X2005000400020 

PUBLIC HEALTH

 

Observações sobre padrões alimentares de mosquitos (Diptera: Culicidae) no Pantanal Mato-Grossense

 

Observations on feeding patterns among mosquitoes (Diptera: Culicidae) in the Pantanal, MT, Brazil

 

 

Jeronimo AlencarI; Elias S. LorosaII; Júlia dos S. SilvaI; Catarina M. LopesIII; Anthony E. GuimarãesI

ILab. Diptera
IILab. Nacional e Internacional de Referência em Taxonomia de Triatomíneos
IIILab. Transmissores de Leishmanioses. Depto. Entomologia, Instituto Oswaldo Cruz, Av. Brasil 4365, 21045-900 Manguinhos, RJ

 

 


RESUMO

O hábito alimentar dos culicídeos foi estudado através da técnica de precipitina. As coletas foram realizadas no km 52 da rodovia Transpantaneira (MT-060), a 65km da sede do município de Poconé (MT). Bimestralmente, de dezembro de 2002 a dezembro de 2003, foram realizadas capturas em armadilha Shannon e CDC automática à base de CO2 das 15:00h às 21:00h. Foram utilizados os seguintes anti-soros: ave, roedor, humano, cavalo, boi, capivara e sapo. Das 2.134 fêmeas capturadas, 1.946 (92,2%) foram coletadas em armadilha de Shannon e 188 (8,8%) em armadilha CDC. Desse total, 276 fêmeas (13,0%) estavam ingurgitadas e próprias para o teste de precipitina, sendo 235 (85,1%) coletadas em armadilha de Shannon e 41 (14,9%) em CDC. Verificou-se que 84,2% dos espécimes analisados reagiram para uma fonte alimentar e 15,8% para duas fontes. As espécies Mansonia titillans (Walker), Culex nigripalpus (Theobald), Aedeomyia squamipennis (Theobald) e Psorophora albigenu (Peryassu) foram as mais freqüentes e reagiram para todos os anti-soros. Os anofelinos Anopheles albitarsis (Lynch-Arribalzaga), An. matogrossensis (Lutz & Neiva) e An. triannulatus (Neiva & Pinto), com poucos espécimes, reagiram para cinco anti-soros. As demais espécies apresentaram positividade que variou de três a seis anti-soros. As estimativas do índice alimentar (feeding index) revelaram resultados positivos para oito espécies de culicídeos, destas cinco apresentaram preferência marcante para o hospedeiro capivara.

Palavras-chave: Hábito alimentar, teste de precipitina, comportamento


ABSTRACT

The feeding habits of culicids were studied by means of the precipitin technique. The collections were made the Trans-Pantanal highway (MT-060- km 52), at 65 km from the main settlement of the municipality of Poconé, MT, every other month, from December 2002 to December 2003. Trapping was performed using Shannon traps and CDC automatic CO2-based traps from 3:00 p.m. to 9:00 p.m. The following antisera were utilized: bird, rodent, human, horse, cattle, capybara and toad. Of the 2,134 females captured, 1,946 (92,2%) were collected in Shannon traps and 188 (8,8%) in CDC traps. Among these totals, 276 females (13,0%) were engorged and suitable for the precipitin test, of which 235 (85,1%) were collected in Shannon traps and 41 (14,9%) in CDC traps. It was found that 84.2% of the specimens analyzed reacted to one food source and 15.8% to two sources. Mansonia titillans (Walker), Culex nigripalpus (Theobald), Aedeomyia squamipennis (Lynch-Arribalzaga) and Psorophora albigenu (Peryassu) were the most frequently found species, and reacted to all the antisera. On the other hand, few specimens of the anophelines, Anopheles albitarsis (Lynch-Arribalzaga), An. matogrossensis (Lutz & Neiva) and An. triannulatus (Neiva & Pinto), reacted to five antisera. The other species were positive to three up to six antisera. The estimate of the feeding index revealed positive results for eight species, of these five they presented outstanding preference for the host capybara.

Key words: feeding habit, precipitin test, behaviour


 

 

A necessidade dos culicídeos de realizarem repastos sangüíneos vem sendo constatada pelo homem há alguns séculos e o conhecimento do hábito alimentar dos insetos transmissores tornou-se uma ferramenta importante para o delineamento de estratégias de controle de várias enfermidades veiculadas por estes invertebrados. A identificação do sangue ingerido por artrópodos hematófagos, pela prova clássica de Uhlenhut, em tubos capilares, vem sendo utilizada há muito tempo no estudo da ecologia de doenças infecciosas, nas quais intervêm insetos e outros artrópodes (Deane et al. 1948b).

O estudo do comportamento alimentar de mosquitos, através da técnica de precipitina, vem proporcionando suporte para análises epidemiológicas e ajudando na avaliação do potencial vetorial de importantes e numerosas espécies transmissoras de agentes patógenos ao homem (Lorosa et al.1998).

A técnica de precipitina vem sendo utilizada para identificação sanguínea com significativo sucesso na determinação dos repastos sanguíneos em espécimes coletados mediante vários procedimentos (Forattini et al. 1987, Flores-Mendonza et al. 1996, Lorosa et al. 1998).

Lorosa et al. (1999) constataram que a técnica de precipitina, realizada em tubos capilares, demonstrou maior sensibilidade e apresentou melhores resultados que as técnicas de imunodifusão, com a vantagem da simplicidade de execução, além de redução do tempo.

O presente estudo teve como meta precípua focalizar o hábito alimentar dos mosquitos capturados no Pantanal Mato-Grossense, avaliando sua importância sob o aspecto epidemiológico.

A área estudada está localizada no km 52 da rodovia Transpantaneira (MT-060), a 65km da sede do município de Poconé (MT), S 16° 74é e W 56° 88é (Fig. 1). O relevo da região encontra-se formado por planície sedimentar, a qual é periodicamente inundada pelo rio Paraguai e seus afluentes. Após as grandes cheias, as terras anteriormente submersas tornam-se férteis e são amplamente aproveitadas para a pastagem dos rebanhos bovinos. A característica mais marcante da vegetação é do bioma cerrado, significativamente diversificado, apresentando desde formas campestres abertas a formas florestais relativamente densas, os cerradões. No geral, podemos identificar os dois estratos da vegetação típica dos cerrados: o estrato lenhoso constituído por árvores de médio porte e arbustos, e o estrato herbáceo formado por subarbustos e ervas. A complexidade do ecossistema, com enorme diversidade de espécies vegetais, faz com que a região receba a denominação de "Complexo do Pantanal". Segundo as observações de Pádua & Coimbra Filho (1979) a fauna local de vertebrados é diversificada.

As capturas dos culicídeos foram realizadas bimestralmente, entre dezembro de 2002 e dezembro de 2003, das 15:00h às 21:00h, compensados os horários de verão. Os mosquitos foram capturados em duas armadilhas de Shannon, com auxílio de tubo de sucção oral (Forattini 1962) e em duas CDCs automática (Igloo®) à base de CO2 (0,5 kg de gelo seco) fixada na copa arbórea entre 3 m e 5 m de altura. As armadilhas de Shannon e as CDCs a base de CO2 foram instaladas com um raio de distância de 900 m, entre elas. Os espécimes capturados foram acondicionados em gaiolas de polietileno, rotuladas segundo a procedência, e armazenados em caixas térmicas, sendo transportados vivos ao laboratório. Posteriormente, os mosquitos foram anestesiados pela exposição de vapores de clorofórmio e mantidos no freezer (4°C) para interrupção do processo digestivo.

Para o diagnóstico do sangue ingerido foi utilizada a técnica de precipitina segundo Siqueira (1960) com algumas modificações (Lorosa et al. 1998). Os índices alimentares (feeding index) foram calculados, de acordo com a conceituação de Kay et al. (1979), somente para as espécies que apresentaram N > 5. A partir dos dados existentes na Reserva Ecológica do Sesc – Pantanal sobre o número de animais nos quais poderiam ser realizados repasto sangüíneos, foi estimado o possível número de repastos esperados pela totalidade dos mosquitos estudados. Para tal, foi realizado o somatório entre o número de mosquitos capturados parcialmente e/ou completamente alimentados, sobre o número total de mosquitos presentes nas amostragens.

No laboratório, os espécimes foram identificados, e em seguida triturados inteiros em tubo de ensaio contendo 0,5µl de solução salina (NaCL 0,85%), para a aplicação da técnica de precipitina.

Produção de Anti-Soro. Em um béquer foram adicionados 10 ml de soro diluído em água destilada. Em seguida, acrescentou-se solução de alúmen de potássio [AIK (SO4)2 12 H2 O], ajustou-se o pH com solução de NaOH e procedeu-se à centrifugação. Na precipitação das proteínas do soro, foram utilizados 10 ml de soro de um determinado vertebrado e adicionaram-se 32 ml de água destilada e 35 ml de solução de alúmen de potássio a 10%. Posteriormente ajustou-se o pH entre 6,5 e 7,0 com solução de hidróxido de sódio. Nessa faixa de pH ocorre a precipitação das proteínas totais do soro. Após a precipitação, o material foi centrifugado a 1800 rpm por 5 min., desprezou-se o sobrenadante e o precipitado foi homogeneizado com solução salina pH 7.0 em volume igual ao inicial. Para lavagem, repetiu-se esse procedimento por duas vezes, e ao final das lavagens, desprezou-se o sobrenadante e ressuspendeu-se o precipitado em 40 ml de solução salina mertiolatada 1:10.000 pH 7.0. Esse precipitado foi inoculado, semanalmente, em dois coelhos jovens ± 1.500 g, durante um mês. Cada animal recebeu uma dose intramuscular de 5 ml, sendo 2,5 ml em cada coxa. Após três dias do término da inoculação global foi coletado sangue da orelha para testar o título do anti-soro, atingindo a titulação desejada entre 1:5.000 e 1:15.000. A seguir foi realizada a sangria total, mediante punção cardíaca, e o sangue coletado foi mantido em geladeira à temperatura de 4ºC a 8ºC para a devida coagulação e separação do soro. Este foi centrifugado, identificado e acondicionado a -20ºC. Para testar a sensibilidade dos anti-soros foi diluído o soro homólogo em salina a 0,85% em diluições de 1/10, 1/100, 1/1.000, 1/5.000, 1/15.000. Confrontou-se o soro homólogo nessas diluições com os anti-soros e observou-se o anel conseqüente do complexo antígeno-anticorpo por 2h, com leituras de 5 em 5 min. Após foi avaliada a especificidade, diluindo-se os soros homólogos de 1/10 em salina a 0,85%. Essas diluições foram confrontadas com os anti-soros, onde se verificaram as duas condições: uma onde não ocorreu a reação imunológica (anticorpos inespecíficos) resultando no anti-soro específico e outra em que ocorreu o anel conseqüente do complexo antígeno-anticorpo (inespecificidade) aplicando-se a técnica de absorção. Esta técnica constou da mistura de uma parte do soro homólogo o qual apresentou anticorpo inespecífico em 99 partes do anti-soro diluído 1/100. Incubou-se esta diluição por 2h a 37ºC e mais 12:00h a 4ºC. Depois esse complexo (soro homólogo + anti-homólogo) foi centrifugado a 2.000 rpm por 5 min. Retirou-se o sobrenadante para confrontá-lo com o soro homólogo na diluição 1/10.

Foram utilizados os seguintes anti-soros com respectivos títulos: 1:10.000 (Gallus), humano 1:10.000 (Homo), roedor 1:15.000 (Rattus), capivara 1:15.000 (Hydros), bovino 1:15.000 (Bos), cavalo 1:15.000 (Equus), lagarto 1:15.000 (Tropidurus) e sapo 1:15.000 (Bufo). Os anti-soros foram selecionados de acordo com a fauna local.

De 2.134 fêmeas capturadas, 1.946 (92,2%) foram em armadilha de Shannon e 188 (8,8%) em CDC automática à base de CO2. De 403 (18,9%) ingurgitadas e submetidas ao teste de precipitina, apenas 276 (13,0%) reagiram, sendo 235 (85,1%) em armadilha de Shannon e 41 (14,9%) em CDC automática à base de CO2.

Pela Tabela 1 observamos as espécies que apresentaram repostas às diferentes fontes sangüíneas. Dentre essas espécies, 84,2% reagiram especificamente para uma determinada fonte sangüínea: ave (36%); roedor (18%); humano (12%); cavalo (8%); lagarto (8%); boi (7%); capivara (7%) e sapo (4%). A Tabela 2 apresenta, em números totais, as freqüências de combinações entre as espécies analisadas, e forneceram em seu conjunto, 15,8% das reações positivas para duas fontes sangüíneas.

Os cálculos do índice alimentar das espécies de culicídeos revelaram resultados positivos para oito espécies de hospedeiros. As espécies Ad. squamipennis, Cx. nigripalpus, Ma. humeralis, Oc. scapularis, Ps. albigenu, apresentaram preferência marcante para o hospedeiro capivara. A fonte alimentar constituída por humano foi a segunda com maior predileção, para Cx. (Melanoconion) sp., Ma. indubitans e Ma. titillans (Fig. 2).

Ma. titillans foi a espécie de maior incidência (26,4%) seguida de Cx. nigripalpus (20,7%) Ad. squamipennis (15,6%) e Ps. albigenu (13,4%), reagindo com maior positividade para os anti-soros testados de ave e roedor. (Tabela 1).

Com 6,2% das reações positivas, Ma. indubitans revelou-se reagente para as seguintes fontes: ave (47,1%), lagarto (23,5%), roedor (17,6%), cavalo (5,9%) e humano (5,9%); e Ma. humeralis para ave (29,4%), roedor (23,5%), lagarto (23,5%), capivara (11,8%), bovino (5,9%) e homem (5,9%) (Tabela 1). Coquillettidia shannoni e Uranotaenia pulcherrima tiveram cinco espécimes analisados (1,8%) sendo a primeira positiva para ave, roedor e capivara e a segunda para ave, roedor, cavalo e capivara.

O presente estudo permitiu conhecer o perfil alimentar das espécies capturadas em uma área do Pantanal Mato-grossense (MT). Os culicídeos de forma geral alimentaram-se predominantemente de aves, caracterizando a ornitofilia (Tabela 1). Ma. titillans foi responsável por 43,8% dos repastos realizados em aves, o que corrobora os resultados de Aitken et al. (1968) que classificou o gênero Mansonia como ornitófilo. Em estudos realizados por Lourenço-de Oliveira & Heyden (1986), nas Granjas Calábria, estado do Rio de Janeiro, foi demonstrando que além da evidência do elevado ecletismo de Ma. titillans para hospedeiros homeotérmicos, havia uma fraca ou nenhuma tendência desta espécie em sugar animais pecilotérmicos. Entretanto, no presente estudo 5,5% dos exemplares analisados foram reativos para o anti-soro de sapo.

Dentre as espécies que compõem o gênero Culex, observamos a presença de Cx. nigripalpus (Theobald) e Culex (Melanoconion) spp. Muitas espécies desse táxon são potencialmente importantes do ponto de vista epidemiológico, segundo Forattini (1989). Os representantes de Cx. nigripalpus analisados neste estudo tiveram maior predileção por ave e perfizeram 38,6% dos espécimes testados, demonstrando também, um grau de ecletismo acentuado sendo positivo para todos anti-soros. Edman et al. (1972) constataram que o ecletismo dessa espécie na realização dos repastos sangüíneos em aves e em mamíferos é um importante fator que pode influenciar a distribuição das aves no ambiente natural. Em estudo realizado por Guimarães et al. (1987), Cx. nigripalpus apresentou nítida tendência à ornitofilia, realizando o repasto hematofágico em aves que adormecem nos estratos mais altos das árvores.

No gênero Anopheles, representado por três espécies, An. albitarsis (Lynch-Arribalzaga), An. mattogrossensis (Lutz & Neiva) e An. triannulatus (Neiva & Pinto) a positividade foi assinalada para os seguintes anti-soros: ave, capivara, lagarto, cavalo e roedor demonstrando um comportamento essencialmente zoófilo. Deane et al. (1948a) constataram elevado grau de zoofilia para An. albitarsis (Lynch-Arribalzaga), no Ceará e Lucena (1950) observou que An. albitarsis apresenta acentuada facilidade de realizar repasto sangüíneo em animais de grande porte, como bovinos e eqüinos.

Forattini et al. (1990) observaram através do índice alimentar que a preferência de Oc. scapularis para sugar animais de grande porte seria influenciada pela densidade dessas fontes no local. Os dados da Fig. 2 corroboram essas observações uma vez que o culicídeo obteve significativa preferência por animais de grande porte em especial capivara que apresenta alta densidade na região estudada. Considerando os resultados da estimativa do índice alimentar, a área onde foram realizadas as capturas nos parece sofrer diretamente variações visíveis, de acordo com a disponibilidade de hospedeiros. Davis (1945) observou seis vezes mais espécimes de Oc. scapularis com predileção para realizar repasto sangüíneo no homem, quando este foi colocado como isca atrativa junto com diversas espécies de aves. Segundo Guimarães et al. (1987) e Forattini (1989), a tendência de Oc. scapularis alimentar-se em mamíferos é conhecida e constatada a nítida preferência para esse hospedeiro. No presente estudo, Oc. scapularis apresentou equilíbrio quanto ao hábito alimentar reagindo com 20% dos espécimes analisados para os anti-soros humano, roedor, lagarto, capivara, e 10,0% para ave e bovino (Tabela 1). Aedeomyia squamipennis (Theobald) apresentou comportamento eclético e oportunista quanto ao hospedeiro, entretanto houve predominância para os repastos realizados em ave (32,6%) e roedor (30,2%).

Segundo Forattini (2002), quando em elevados índices de densidade populacional, as fêmeas do gênero Psorophora são vorazes. Assim, quando Forattini et al. (1989) analisaram o hábito alimentar dos mosquitos no Vale do Ribeira, estado de São Paulo, constataram uma tendência desse gênero por mamíferos. Esse fato não observado no presente estudo, que foi representado por uma única espécie, Ps. albigenu, demonstrando ecletismo alimentar, com tendência para o sangue de ave (29,7%) e roedor (21,6%) (Tabela 1).

Neste estudo foi observado baixo número coletado em CDC automática à base de CO2, em comparação com a armadilha Shannon, fato este também relatado por Forattini et al. (1987). O interesse em utilizar anti-soros compatíveis com a fauna local não impossibilita que outros estudos sejam realizados ampliando-se o número de anti-soros.

Após essas análises, foi constatado significativo ecletismo nos hábitos alimentares dos mosquitos capturados nesta área do Pantanal Mato-Grossense. Provavelmente, esse comportamento é diretamente favorecido pela riqueza de espécies e a diversidade da fauna que é utilizada como fonte alimentar por esses mosquitos. Esses aspectos devem ser considerados altamente relevantes para manutenção dos ciclos epizoóticos de muitos patógenos a partir da atividade hematofágica de mosquitos.

 

Agradecimentos

As Profs. Rubens Pinto de Mello, Tereza Cristina M. Gonçalves do Departamento de Entomologia do Instituto Oswaldo Cruz, pelas sugestões e revisão do texto e ao Prof. Nicolau Maués Serra-Freire pela análise estatística.

 

Literatura Citada

Aitken, T.H.G., C.B. Worth & E.S. Tikasingh. 1968. Arbovirus studies in Bush forest, Trinidad, W.I., Setember 1959 - December 1964 III - Entomologic studies. Am. J. Trop. Med. Hyg. 17: 253-268.        [ Links ]

Correa, R.R. & A.A. Aguiar. 1952. O teste de precipitina na identificação de fonte alimentar do Triatoma infestans (Hemiptera, Reduvidae). Arg. Saúde Públ. 17: 3-7.        [ Links ]

Davis, D.E. 1945. A comparison of mosquitoes captured with avian bait and with human bait. Proc. Entomol. Soc. Wash. 47: 252-256.        [ Links ]

Deane, L.M., C. Sole-Vernin & G.R. Damasceno. 1948b. Avaliação das preferências alimentares das fêmeas de Anopheles darlingi e Anopheles aquasalis em Belém, Pará, por meio de provas de precipitina. Rev. Sesp. 2: 793-808.        [ Links ]

Deane, L.M., O.R. Causey & M.P. Deane. 1948a. Notas sobre a distribuição e a biologia dos anofelinos das regiões Nordestina e Amazônica do Brasil. Rev. Ser. Esp. Saúde Públ. 1: 827-965.        [ Links ]

Edman, J.D., L.A. Webber & H.W. Kale. 1972. Effect of mosquito density on the interrelationship of host behavior and mosquito feeding success. Am. J. Trop. Méd. Hyg. Med. 13: 456-461.        [ Links ]

Ferreira, F.S.C. 1945. A Reação das Precipitinas aplicada aos dipteros do gênero Phlebotomus. An. Inst. Méd. Trop. 2: 187-196.        [ Links ]

Flores-Mendonça, C., R.A. Cunha, D.S. Rocha & R. Lourenço-de-Oliveira. 1996. Determinação das fontes alimentares de Anopheles albitarsis, São Paulo, Brasil. Rev. Saúde Públ. 30: 129-134.        [ Links ]

Forattini, O.P. 1962. Entomologia médica. Editora da Universidade de São Paulo, São Paulo, 662p.        [ Links ]

Forattini, O.P. 2002. Culicidologia médica.Editora da Universidade de São Paulo, 860p.        [ Links ]

Forattini, O.P., A.C. Gomes, D. Natal, I. Kakitani & D. Marucci. 1987. Preferências alimentares de mosquitos Culicidae no Vale da Ribeira, São Paulo, Brasil. Rev. Saúde Públ. 21: 171-187.        [ Links ]

Forattini, O.P., A.C. Gomes, D. Natal, I. Kakitani & D. Marucci. 1989. Preferências alimentares e domiciliação de mosquitos Culicidae no vale da Ribeira, SP Brasil, com especial referência a Aedes scapularis eCulex (Melanoconion). Rev. Saúde Públ. 23: 9-19.        [ Links ]

Forattini, O.P., A.C. Gomes, J.L.F. Santos, I. Kakitani & D. Marucci. 1990. Freqüência ao ambiente humano e dispersão de mosquitos Culicidae em área adjacente à mata atlântica primitiva da planície, São Paulo, Brasil, Rev. Saúde Públ. 24: 101- 107.        [ Links ]

Guimarães, A.E., M. Arlé & R.N.M. Machado. 1987. Mosquitos no Parque Nacional da Serra dos Órgãos, estado do Rio de Janeiro, Brasil. IV. Preferência Alimentar. Mem. Inst. Oswaldo Cruz 82: 277-285.        [ Links ]

Kay, B.H., P.F.L Boreham & J.D. Edman. 1979. Application of the "feeding index" concept to studies of mosquito host-feeding patterns. Mosq. News 39: 68-72.        [ Links ]

Lorosa, E.S., R.E. Andrade, C.A Pereira, S.M. Santos & J. Jurberg. 1999. Estudo das fontes alimentares do Triatoma sordida (Stal, 1859) do estado do Mato Grosso do Sul, através da comparação das técnicas de precipitina e imunodifusao dupla. Entomol. Vect. 6: 156-165.        [ Links ]

Lorosa, E.S., R.E. Andrade, S.M. Santos & C.A. Pereira. 1998. Estudo das fontes alimentares através da reação de precipitina e grau de infectividade em Triatoma rubrofasciata (De Geer, 1973) coletados na Ilha de São Luiz, Maranhão. Entomol. Vect. 5: 241-250.        [ Links ]

Lourenço-de Oliveira, R. & R. Heyden. 1986. Alguns aspectos da ecologia dos mosquitos (Diptera: Culicidae) de uma área de planície (Granjas Calábria), em Jacarepaguá, Rio de Janeiro. IV. Preferências alimentares quanto ao hospedeiro e freqüência domiciliar. Mem. Inst Oswaldo Cruz 81: 15-27.        [ Links ]

Lucena, D.T. 1950. Hábitos domiciliares do Anopheles tarsimaculatus Goeldi, 1905. Rev. Bras. Malariol. D. Trop. 2: 239-260.        [ Links ]

Pádua, M.T.J. & A.F. Coimbra Filho. 1979. Os parques nacionais do Brasil. Madrid, Incafo, 224p.        [ Links ]

Romaña, C. 1939. Utilisation de la methode des precipitives pour identification du sang engeré par certain Reduvides. Bull. Soc. Path. Exot. 32: 625-628.        [ Links ]

Siqueira, A.F. 1960. Estudos sobre a reação de precipitina aplicada à identificação de sangue ingerido por Triatomíneos. Rev Inst. Méd. Trop. 2: 41-53.        [ Links ]

Tempelis, C.H. 1975. Host-feeding patterns of mosquitoes, with a review of advances in analysis of blood meals by serology. J. Med. Entomol. 11: 635-653.        [ Links ]

 

 

Received 28/VI/04. Accepted 02/III/05.

Creative Commons License All the contents of this journal, except where otherwise noted, is licensed under a Creative Commons Attribution License