SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.35 issue6The subgenus Megachile (Dasymegachile) Mitchell with special reference to the Argentine species (Hymenoptera: Megachilidae)Evaluation of the RAPD profiles from different body parts of Euglossa pleosticta Dressler male bees (Hymenoptera: Apidae, Euglossina) author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Neotropical Entomology

Print version ISSN 1519-566XOn-line version ISSN 1678-8052

Neotrop. Entomol. vol.35 no.6 Londrina Nov./Dec. 2006

http://dx.doi.org/10.1590/S1519-566X2006000600013 

SYSTEMATICS, MORPHOLOGY AND PHYSIOLOGY

 

Heterópteros aquáticos oriundos do município de Mariana, MG

 

Aquatic Heteroptera from Mariana County, Minas Gerais, Brazil

 

 

Marco A.A. de Souza; Alan L. de Melo; Gustavo J.C. Vianna

Depto. Parasitologia, Instituto de Ciências Biológicas, Univ. Federal de Minas Gerais, C. postal. 486, 30123-970 Belo Horizonte, MG, maandrades@hotmail.com, aldemelo@icb.ufmg.br, guze13@gmail.com

 

 


RESUMO

Em coletas realizadas em ambientes lóticos e lênticos no município de Mariana, MG, foram verificados 35 gêneros e 64 espécies de heterópteros aquáticos, distribuídos em 13 famílias. Nos ambientes lênticos, foram capturadas 34 espécies e nos lóticos, 48 espécies, com espécies comuns aos dois ambientes. Nepomorpha apresentou-se com o maior número de espécies (45) com destaque para a família Naucoridae representada por12 espécies. Entre os Gerromorpha, das 19 espécies encontradas, oito foram de Veliidae e seis de Gerridae.

Palavras-chave: Percevejo aquático, Nepomorpha, Gerromorpha, distribuição


ABSTRACT

In surveys carried out in lotic and lentic environments in Mariana County, Minas Gerais state, Brazil, 35 genera and 64 species of aquatic and semi-aquatic Heteroptera were recorded, distributed in 13 families. Thirty four species were collected in lentic environments, while in lotic environments 48 species were collected, some of them common to both environments. Nepomorpha presented the greatest number of species (45), markedly for the family Naucoridae, represented by 12 species. Among the 19 Gerromorpha species collected, eight were Veliidae and six were Gerridae.

Key words: Aquatic bug, Nepomorpha, Gerromorpha, distribution


 

 

Os heterópteros aquáticos predadores ocupam os mais diversos nichos em comunidades aquáticas de ambientes lóticos e lênticos, em diferentes estados de conservação, e possuem a capacidade de responder rapidamente a perturbações ambientais de origem antrópica ou não. As alterações funcionais e estruturais sofridas por essa comunidade de insetos quando exposta a algum tipo de modificação de seu hábitat a tornam interessante para o estudo das condições ecológicas de um ecossistema. Assim, sua possível utilização na avaliação dos impactos ambientais provocados por atividades agrícolas, industriais, mineradoras, como também pelas descargas de esgotos provenientes dos centros urbanos tem sido averiguada (Vianna & Melo 2003).

Apesar de os heterópteros aquáticos serem insetos de grande interesse e mundialmente distribuídos, os registros sobre sua distribuição geográfica e aspectos bioecológicos são escassos em Minas Gerais, em particular, e no Brasil como um todo (Nieser & Melo 1999, Nieser & Lopez Ruf 2001, Nieser & Chen 2002).

Este trabalho teve por objetivo obter conhecimento básico sobre a distribuição dos heterópteros aquáticos ocorrentes em diversos sistemas lóticos e lênticos em Mariana, como subsídio para a elaboração de programas de conservação e manejo da biodiversidade.

 

Material e Métodos

Área de estudo. O município de Mariana está localizado na região central de Minas Gerais, zona metalúrgica/ campo das vertentes e integra, juntamente com outros 22 municípios, a microrregião 187 - Espinhaço Meridional. Geograficamente, o município está situado entre os meridianos 43º05'W e 43º30'W e os paralelos 20º08'S e 20º35'S (IBGE 2000).

Inicialmente, foi realizada uma verificação das coleções hídricas ocorrentes no município. Os sistemas lóticos em diferentes níveis de utilização e conservação que possam representar a variabilidade ecológica dentro das bacias que compõem o município foram mapeados.

Locais de coleta. Foram escolhidas 147 localidades distribuídas entre a sede, os nove distritos e onze subdistritos de Mariana, MG (Fig. 1, Tabela 1). Entre os meses de abril de 2003 e fevereiro de 2004, foram feitas duas coletas em cada localidade. Os critérios para seleção dos pontos de captura foram a presença humana e de coleções aquáticas em diferentes níveis de uso e conservação, de forma a representar a diversidade de ambientes aquáticos regionais. Diversos tipos de ambientes foram observados, destacando-se, entre os ambientes lóticos, os córregos (78 ambientes), as cachoeiras (19 ambientes) e os rios (16 ambientes). Entre os 34 ambientes lênticos destacaram-se os lagos e as lagoas, com 11 e 16 locais de coleta, respectivamente. Valas, pequenas poças e brejos com profundidade não superior a 20 cm contribuíram com sete amostras.

 

 

 

 

As principais características dos locais amostrados foram rios com fluxo moderado a alto em locais de pastagens, margens com vegetação emergente, profundidade superior a 1 m, com áreas sombreadas, fundo arenoso; poças e riachos com profundidade variando de 30 cm a 90 cm, utilizados para lazer e lavagem de roupas e utensílios domésticos, a maioria com ampla exposição ao sol, fundo lodoso sobre areia; pequenas poças com água turva, praticamente estagnada em margens de alguns riachos, com áreas sombreadas, profundidade até 40 cm, fundo areno-argiloso e margens com gramíneas emergentes.

Foi utilizado um receptor do sistema GPS, que possibilitou a localização precisa dos locais de coleta.

Metodologia de coleta. As coletas foram realizadas utilizando-se uma rede de mão (puçá), confeccionada com nylon (50 cm de largura, 40 cm de altura e 30 cm de abertura) adaptada a um cabo de madeira ou aço e pequenas redes entomológicas. Foi aplicado o esforço amostral de 30 min, por varredura em cerca de 10 m de extensão, quando possível, às margens, coluna d'água e junto ao sedimento do leito em cada um dos hábitats selecionados.

Todo o material coletado foi depositado em uma cuba plástica e subseqüentemente, acondicionado em sacos plásticos, identificados e transportados ao laboratório para triagem. Os exemplares capturados foram transferidos para recipientes contendo etanol a 70% e posteriormente identificados seguindo Nieser & Melo (1997). Exemplares voucher foram depositados na coleção do Laboratório de Taxonomia e Biologia de Invertebrados da Universidade Federal de Minas Gerais (DPIC).

 

Resultados

Foram verificados 35 gêneros e 64 espécies, distribuídas em 13 famílias, sendo que na infra-ordem Gerromorpha, as famílias Gerridae e Veliidae apresentaram o maior número de espécies encontradas: 14 do total de 19 (Tabela 2). A infra-ordem Nepomorpha apresentou o maior número de espécies, 45 (70,3%), das 64 encontradas, tendo a família Naucoridae apresentado o maior número de espécies, 12, representando 26,7% do total encontrado nessa infra-ordem (Tabela 2).

 

 

A maioria das espécies apresentou baixa freqüência de ocorrência, sendo encontradas em número reduzido de ambientes. Foram capturadas 34 espécies em ambientes lênticos e 48 espécies em lóticos, com espécies comuns aos dois ambientes, principalmente Nepomorpha com 15 espécies (Tabela 2).

Nos ambientes lóticos, as espécies mais amplamente distribuídas foram Limnocoris maculiceps Montandon (Heteroptera: Naucoridae) (112 locais) e Belostoma testaceopallidum Latreille (Heteroptera: Belostomatidae) (22 locais). Em ambientes lênticos, L. maculiceps foi detectada em 18 locais e Belostoma oxyurum (Dufour) (Heteroptera: Belostomatidae), em 30.

 

Discussão

A comparação entre as espécies de heterópteros aquáticos registradas em Mariana e outras áreas de Minas Gerais mostra que o município ainda sustenta uma rica comunidade, principalmente de espécies incluídas entre os Nepomorpha (Nieser & Melo 1997, Melo & Nieser 2004). Entretanto, poucas espécies se distribuíram amplamente pelos diversos ambientes amostrados sugerindo que as espécies encontradas na região possuem especificidade por hábitats com faixas restritas de tolerância a condições ambientais.

A família Naucoridae, por ser bastante diversificada em termos morfológicos e ecológicos (Nieser & Melo 1997), esteve representada com maior número de espécies entre os Nepomorpha, na maioria dos ambientes lênticos e lóticos amostrados. A espécie de ocorrência mais freqüente no município foi L. maculiceps (em 130 dos 147 ambientes amostrados), sendo encontrada em mais da metade dos ambientes lênticos e quase totalidade dos lóticos. Não foi possível correlacionar o grau de antropização com a presença de L. maculiceps. No entanto, o fato de ter sido encontrada tanto em ambientes com pouco ou nenhum impacto humano quanto em ambientes mais poluídos sugere que se trata de espécie bastante tolerante à degradação. Por outro lado, Limnocoris lanemeloi Nieser & Chen, Limnocoris pusillus Montandon, Limnocoris submontandoni La Rivers, Cryphocricos Signoret e Placomerus La Rivers somente foram encontrados em ambientes lóticos com pouca correnteza e sem impacto humano. A presença de Ambrysus attenuatus Montandon em ambientes lóticos com pouco impacto humano confirma os dados de Montandon (1897) como localidade provável para a espécie, desfazendo-se assim a suposição de De Carlo (1950) de que seria Villa Rica no Paraguai.

A família Belostomatidae apresenta grande número de espécies na América do Sul, as quais estão entre os mais vorazes predadores entre os heterópteros. As espécies podem ser encontradas entre macrófitas aquáticas, margens ou fundos de águas estagnadas ou de riachos com correnteza moderada, o que de fato foi observado em Mariana. O encontro de B. anurum (Herrich Schäffer), B. oxyurum e B. plebejum (Stål) em locais altamente impactados, enquanto B. testaceopallidum somente em locais sem muita alteração causada pela atividade humana, reforça a idéia de que essas espécies possuem certa especificidade de hábitats, como observado anteriormente em outras localidades de Minas Gerais (Nieser & Melo 1997, Vianna & Melo 2003, Melo & Nieser 2004). Por outro lado, o registro de Belostoma cummingsi De Carlo para o município de Mariana amplia a distribuição da espécie ao norte da América do Sul. Na família Nepidae, poucos exemplares de Ranatra Fabricius foram coletados sendo que R. chagasi De Carlo foi coletada exclusivamente em ambientes lóticos com alto grau de poluição, R. lanei De Carlo em ambientes lênticos e pouco degradados, enquanto R. montei De Carlo somente em um pequeno córrego de segunda ordem, sem impacto humano.

De interesse regional, vale registrar a ampliação da distribuição geográfica para L. lacuniferus Berg sendo o segundo registro definitivo para Minas Gerais e primeiro para Mariana.

Entre os Gerromopha, Gerridae foi a família encontrada em ambos os tipos de ambientes amostrados (lênticos e lóticos). Algumas espécies (Cylindrosthetus palmaris Drake & Harris, Rheumatobates crassifemur Esaki) foram observadas na superfície de riachos com correnteza moderada e em locais sem presença de macrófitas enquanto outras (Brachymetra furva Drake, Limnogonus spp.) sempre associadas a macrófitas e com menor fluxo de água. Da mesma forma, entre os Veliidae, Rhagovelia spp. ocorreu associada a maior correnteza, enquanto Microvelia Westwood, Mesovelia Mulsant & Rey e Paravelia Polhemus a remansos e macrófitas, principalmente dos ambiente lóticos. Gelastocoridae e Ochteridae foram coletados sempre às margens úmidas e pouco sombreadas dos ambientes onde ocorreram.

Apesar de ter sido registrado um grande número de heterópteros aquáticos para a região de Mariana, estudos mais aprofundados são necessários para uma completa análise biogeográfica e a associação com outros macroinvertebrados ocorrentes na região.

 

Referências

Carlo, J.A. De. 1950. Géneros y especies de la subfamilia Ambrysinae Usinger (Hemiptera-Naucoridae). Ann. Soc. Cient. Arg. 150: 3-27.         [ Links ]

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. 2000. Disponível em www.ibge.gov.br/cidadesat/default.php. Acesso em 24/10/2003.        [ Links ]

Melo, AL. & N. Nieser. 2004. Faunistical notes on aquatic Heteroptera of Minas Gerais (Brazil): An annotated list of Gerromorpha and Nepomorpha collected near Januária, MG. Lundiana 5: 43-49.        [ Links ]

Montandon, A.L. 1897. Hemiptera Cryptocerata. Revision de le S. Fam. "Limnocorinae". B. Musei Zool. Anat. Comp. della R. Università di Torino 12: 1-8.        [ Links ]

Nieser, N. & A.L. Melo. 1997. Os heterópteros aquáticos de Minas Gerais. Belo Horizonte, Editora UFMG, 177p.        [ Links ]

Nieser, N. & A.L. Melo. 1999. A new species of Halobatopsis (Heteroptera: Gerridae) from Minas Gerais (Brazil), with a key to the species. Entomol. Ber. 59: 97-102.        [ Links ]

Nieser, N. & M. Lopez Ruf. 2001. A review of Limnocoris Stål (Heteroptera: Naucoridae) in Southern South America, east of the Andes. Tijdschr. Entomol. 144: 261-328.        [ Links ]

Nieser, N. & P. Chen. 2002. Six new species of Neotrephes China, 1936 (Heteroptera: Helotrephidae) from Brazil, with a key to Neotropical Helotrephidae. Lundiana 3: 31-40.        [ Links ]

Souza, L.A. de, F.G. Sobreira & J.F. do Prado Filho. 2005. Cartografia e diagnóstico geoambiental aplicados ao ordenamento territorial do município de Mariana – MG. Rev. Bras. Cart. 57: 189-203.        [ Links ]

Vianna, G.J.C. & A.L. Melo. 2003. Distribution patterns of aquatic and semi aquatic Heteroptera in Retiro das Pedras, Brumadinho, Minas Gerais, Brazil. Lundiana 4: 125-128.        [ Links ]

 

 

Received 5/I/06.
Accepted 26/VII/06.

Creative Commons License All the contents of this journal, except where otherwise noted, is licensed under a Creative Commons Attribution License