SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.4 issue4Ruptured abdominal aortic aneurysm: prognostic factorsComplications evidenced in the endovascular laser treatment for varicose veins author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Jornal Vascular Brasileiro

Print version ISSN 1677-5449On-line version ISSN 1677-7301

J. vasc. bras. vol.4 no.4 Porto Alegre  2005

http://dx.doi.org/10.1590/S1677-54492005000400005 

ARTIGO ORIGINAL

 

Avaliação in vitro de um novo filtro de veia cava

 

In vitro evaluation of a new vena cava filter

 

 

Domingo Marcolino BraileI; José Maria Pereira de GodoyII; Marco CentolaIII

IDoutor e livre-docente, coordenador da Pós-Graduação, Faculdade de Medicina de S. José de Rio Preto (FAMERP), São José de Rio Preto, SP
IIDoutor. Professor, Departamento de Cardiologia e Cirurgia Cardiovascular, FAMERP, São José de Rio Preto, SP
IIIEngenheiro, Braile Biomédica, São José de Rio Preto, SP

Correspondência

 

 


RESUMO

OBJETIVO: O objetivo do estudo foi avaliar a eficácia de um novo filtro de veia cava, de baixo perfil, na retenção de coágulos em modelo in vitro.
MÉTODO: O filtro consiste em dois cones opostos pelo ápice. O cone distal é formado por oito hastes de aço inoxidável, que têm a função de retenção dos êmbolos. O cone proximal é constituído de quatro hastes, cuja função é ancorar e centralizar. Os filtros foram introduzidos e fixados no interior de um tubo de PVC transparente de 25, 30 e 35 mm de diâmetro interno, em posição vertical, e conectados com um sistema pulsátil de fluxo (bomba peristáltica). Foi utilizado, para veículo, um reservatório com solução salina (0,9%) com 40% de glicerina, mantido em temperatura ambiente. Confeccionaram-se trombos com sangue bovino em tubos plásticos de 3, 4,5 e 6 mm de diâmetro e, posteriormente, foram segmentados nas medidas de 10, 15, 20 e 30 mm de comprimento, totalizando 12 diferentes tamanhos. Realizaram-se 100 liberações para cada tipo de êmbolo e tamanho das cânulas, totalizando 3.600 eventos. Foram feitos lançamentos seqüenciais com cinco êmbolos, sendo 10 para cada tamanho de êmbolo e cânulas, totalizando 360 eventos. Fez-se avaliação da capacidade de retenção dinâmica utilizando os três diferentes tamanhos de cânulas com 100 eventos cada, totalizando 300 eventos.
RESULTADOS: Detectou-se que o diâmetro e comprimento dos êmbolos, assim como diâmetros da cânula, podem comprometer a eficácia do filtro. A média de captura de êmbolos pelos filtros foi de 80,5% nas cânulas de 35 mm, 88,7% para cânulas de 30 mm e 86,6% para cânulas de 25 mm.
CONCLUSÃO: Conclui-se que a eficácia desse filtro sofre interferência relacionada ao tamanho dos êmbolos e diâmetro da cânula.

Palavras-chave: in vitro, filtros de veia cava, veia cava.


ABSTRACT

OBJECTIVE: The objective of the current study was to evaluate the efficacy of a new low-profile vena cava filter in the retention of emboli in an in vitro model.
METHOD: The filter consists of two cones connected at the apexes. The distal cone is comprised of eight stainless steel arms with a purpose of retaining emboli and the proximal cone, made of four arms, acts as an anchor to centralize the filter. Filters were installed and fixed inside three systems using transparent PVC tubes of different sizes (internal diameters of 25, 30 and 35 mm) that were held in a vertical position and connected to a pulsating flow system (peristaltic pump). A reservoir of 0.9% saline solution with 40% glycerin at room temperature was used as the vehicle. Thrombi were made from bovine blood in 3-mm, 4-mm, 5-mm and 6-mm plastic tubes and later the thrombi were sectioned into 10-mm, 15-mm, 20-mm and 30-mm lengths. Each of the 12 sizes of thrombi was assessed 100 times in each of the three systems, with a total of 3,600 events. Five emboli were sequentially released, 10 for each size of embolus and tube, with a total of 360 events. An evaluation of the capacity of the three systems — 100 events each, total of 300 events — to dynamically retain the emboli was made.
MRESULTS: The diameter and length of the emboli, as well as tubes greater than 35 mm in diameter can negatively affect the efficacy of the filter. The average of emboli capture for the filters was 80.5% in 35-mm tubes, 88.7% for 30-mm tubes and 86.6% for 25-mm tubes.
CONCLUSION: We conclude that the efficacy of this filter is influenced by the size of the emboli and the diameter of the PVC tubes.

Key words: in vitro, vena cava filters, vena cava.


 

 

O tromboembolismo pulmonar continua sendo um dos desafios da medicina, apesar de todos os avanços surgidos recentemente, e representa uma importante causa de mortalidade vascular1-3. Os filtros de veia cava constituem uma alternativa nos casos de contra-indicação ou falha da anticoagulação4-6.

Os filtros surgiram como alternativa para a ligadura da veia cava nesses últimos anos, porém não atingiram o status de um filtro ideal79, justificando o desenvolvimento de novos modelos que preencham esses requisitos. Filtros com implantes temporários surgiram como alternativa aos definitivos10-12. No entanto, apresentam problemas semelhantes.

As principais diferenças encontradas nos filtros referem-se aos desenhos (cone, cesta, tipos de rede), tipo de material e por ser removível ou não. A taxa de complicações (trombose, fratura de filtro, falha na proteção) e a eficácia de cada filtro são variáveis e dependentes do tipo específico de cada filtro13. Na prática clínica, não há diferenças significantes entre os diferentes filtros disponíveis que são de consenso.

Os parâmetros experimentais influenciam na eficácia da captura dos êmbolos e devem ser levados em conta nos experimentos14-18.

O objetivo do estudo foi avaliar a eficácia de um novo filtro de veia cava de baixo perfil na retenção de coágulos em modelo in vitro.

 

Material e método

O novo modelo de filtro de veia cava Braile consiste em dois cones opostos pelo ápice. O cone distal é formado por oito hastes de aço inoxidável 316 L (grau cirúrgico) de 0,35 mm de diâmetro, em forma de "teia", cuja função é a retenção dos êmbolos. O cone proximal é constituído de quatro hastes feitas com o mesmo material, cuja função é ancorar e centralizar o filtro, conforme Figura 1. Os cones são fixados em tubo de aço inox clampeado, e o tamanho das hastes é de 6 e 7 cm de comprimento. Para implantação, utilizam um cateter introdutor de 7 French.

 

 

Os filtros foram introduzidos com cateter introdutor e liberados no interior de um tubo de PVC transparente de 25, 30 e 35 mm de diâmetro interno, em posição vertical, e conectado com um sistema pulsátil de fluxo (bomba peristáltica Braile Biomédico). Um dispositivo paralelo com uma conexão de tubo, válvula e seringa permitiu a introdução dos êmbolos no circuito. Um reservatório para a solução completou a montagem, conforme ilustra a Figura 2. Solução salina (0,9%) com 40% de glicerina foi utilizada como veículo, sendo mantida em temperatura ambiente.

 

 

Foram confeccionados trombos de sangue bovino em tubos plásticos de 3, 4, 5 e 6 mm de diâmetro e, posteriormente, segmentados nas medidas de 10, 15, 20 e 30 mm de comprimento.

Foi utilizado um filtro para cada avaliação, totalizando 12 para cada diâmetro da cânula.

Foi avaliada a percentagem de retenção dos êmbolos pelos filtros em eventos isolados para cada tamanho de trombo e diâmetro do tubo. Realizaram-se 100 lançamentos para cada avaliação, totalizando 3.600 eventos, conforme Tabela 1. Foram realizados, também, lançamentos simultâneos com cinco êmbolos, totalizando 360 eventos, conforme Tabela 2. A avaliação da capacidade de retenção dinâmica foi realizada após a captura do êmbolo pelo filtro. A cânula foi flexionada manualmente 100 vezes para um lado e para outro, formando um ângulo coaxial à prótese de 30º para o lado, com vértice na região do filtro, e verificada a continuidade da retenção sob condições de simulação dinâmica.

 

 

 

 

Para análise estatística, foram utilizados o teste t pareado e o teste de Fisher, admitindo erro alfa maior que P > 0,05.

 

Resultados

A Tabela 3 mostra a percentagem de captura para os diferentes tamanhos de êmbolos, em eventos isolados, nos três diferentes diâmetros das cânulas. Observou-se que o aumento da cânula de 25 mm para 35 mm reduziu a eficácia na captura dos êmbolos, teste t pareado P = 0,01. Quando se comparou isoladamente o tamanho do êmbolo com o diâmetro da cânula, detectou-se que os êmbolos de 6,0 mm x 10 mm foram mais capturados nas cânulas de 25 e 30 mm, em relação à de 35 mm, com P = 0,0001 e P = 0,001, respectivamente. Os êmbolos de 6,0 mm x 15 mm foram mais capturados nas cânulas de 25 mm, P = 0,01 e de 30 mm, P = 0,004, em relação à de 35 mm. Nos demais diâmetros, não foram observadas diferenças entre o tamanho dos êmbolos e da cânula quanto à captura dos êmbolos. A Tabela 4 mostra os resultados dos lançamentos em seqüencial de cinco êmbolos em 120 eventos para cada tamanho de cânula. Nesse experimento, não houve diferença estatística, teste de Fisher P = 0,1. A Tabela 5 mostra os resultados da avaliação dinâmica em três diferentes tamanhos de cânulas, não havendo diferença entre os diâmetros das cânulas. A Tabela 6 mostra a análise estatística avaliando a interferência do diâmetro e comprimento dos êmbolos na sua captura pelos filtros.

 

 

 

 

Discussão

O presente estudo fez uma avaliação in vitro na captura de êmbolos por um novo modelo de filtro de veia cava, analisando as interferências do diâmetro e comprimento dos êmbolos em relação ao diâmetro dos tubos. Os resultados mostram que o filtro Braile está dentro dos limites observados em outros estudos8,16. No entanto, estudos comparativos com outros filtros fizeram-se necessários, foram realizados e estão em fase de publicação. Quando comparada a geometria do filtro Braile com modelos semelhantes, como o Greenfield, observa-se que o aumento do número de hastes reduz o espaço entre elas. Este estudo mostrou fatores que interferem na eficácia de captura dos êmbolos, como o diâmetro dos êmbolos, que foi mais importante na melhora da eficácia do filtro do que o seu comprimento, apesar de ambos interferirem. O aumento do comprimento dos êmbolos interferiu até atingir 4,5 mm de diâmetro. Após 6 mm de diâmetro, o seu comprimento não interfere na eficácia do filtro.

Outro parâmetro analisado foi o diâmetro do vaso, que poderá exercer diferença em relação à captura. Foi demonstrado que diâmetros maiores que 35 mm reduzem a eficácia dos filtros. Entretanto, os diâmetros das veias cavas geralmente estão entre 20 a 30 mm, o que ofereceu os melhores resultados neste experimento.

A liberação simultânea de vários êmbolos não constituiu fator que comprometesse a eficácia do filtro.

O teste de liberação dinâmica do novo filtro manteve-se dentro dos parâmetros sugeridos e permitiu uma avaliação das possíveis interferências dos movimentos em relação à eficácia do filtro.

 

Conclusão

O estudo mostrou que o novo filtro de veia cava é eficiente na captura dos êmbolos e alerta que fatores como o diâmetro e comprimento dos êmbolos, assim como o diâmetro da cânula, podem interferir na eficácia do filtro.

 

Referências

1. Godoy JM, Braile DM. In-vitro evaluation of a new inferior vena cava filter — the stent-filter. Vasc Endovasc Surg. 2005. No prelo.

2. Blebea J, Wilson R, Waybill P, et al. Deep venous thrombosis after percutaneous insertion of vena caval filters. J Vasc Surg. 1999;30:821-5.         [ Links ]

3. Arcelus JI, Caprini JA, Monreal M, Suarez C, Gonzalez-Fajardo J. The management and outcome of acute venous thromboembolism: a prospective registry including 4011 patients. J Vasc Surg. 2003;38:916-22.         [ Links ]

4. Wicky S, Doenz F, Meuwly JY, Portier F, Schnyder P, Denys A. Clinical experience with retrievable Gunther tulip vena cava filters. J Endovasc Ther. 2003;10:994-1000.         [ Links ]

5. Hoekstra A, Hoogeveen Y, Elstrodt JM, Tiebosch AT. Vena cava filter behavior and endovascular response: an experimental in vivo study. Cardiovasc Intervent Radiol. 2003;26:222-6.         [ Links ]

6. Grassi CJ, Swan TL, Cardella JF, et al. Quality improvement guidelines for percutaneous permanent inferior vena cava filter placement for the prevention of pulmonary embolism. J Vasc Interv Radiol. 2003;14(9 Pt 2):S271-5.         [ Links ]

7. Stavropoulos SW, Itkin M, Trerotola SO. In vitro study of guide wire entrapment in currently available inferior vena cava filters. J Vasc Interv Radiol. 2003;14:905-10.         [ Links ]

8. Bruckheimer E, Judelman AG, Bruckheimer SD, Tavori I, Naor G, Katzen BT. In vitro evaluation of a retrievable low-profile nitinol vena cava filter. J Vasc Interv Radiol. 2003;14:469-74.         [ Links ]

9. Couch GG, Johnston KW, Ojha M. An in vitro comparison of the hemodynamics of two inferior vena cava filters. J Vasc Surg. 2000;31:539-49.         [ Links ]

10. Lorch H, Zwaan M, Kulke C, Weiss HD. In vitro studies of temporary vena cava filters. Cardiovasc Intervent Radiol. 1998;21:146-50.         [ Links ]

11. Dick A, Neuerburg J, Schmitz-Rode T, Alliger H, Gunther RW. Declotting of embolized temporary vena cava filter by ultrasound and the Angiojet: comparative experimental in vitro studies. Invest Radiol. 1998;33:91-7.         [ Links ]

12. Hosaka J, Roy S, Kvernebo K, Enge I, Laerum F. Adjustable temporary venous spring filter. Acad Radiol. 1997;4:513-8.         [ Links ]

13. Helmberger T, Helmberger R, Holzknecht N, Waggershauser T, Stabler A, Reiser M. Vena cava filter. Indications, complications, clinical evaluation Radiologe. 1998;38:61423.         [ Links ]

14. Bruckheimer E, Judelman AG, Bruckheimer SD, Tavori I, Naor G, Katzen BT. In vitro evaluation of a retrievable low-profile nitinol vena cava filter. J Vasc Interv Radiol. 2003;14:469-74.         [ Links ]

15. Leask RL, Johnston KW, Ojha M. In vitro hemodynamic evaluation of a Simon nitinol vena cava filter: possible explanation of IVC occlusion. J Vasc Interv Radiol. 2001;12:613-8.         [ Links ]

16. Pavcnik D, Uchida BT, Keller FS, Corless CL, Rosch J. Retrievable IVC square stent filter: experimental study. Cardiovasc Intervent Radiol. 1999;22:239-45.         [ Links ]

17. Jaeger HJ, Kolb S, Mair T, Geller M, Christmann A, Kinne RK, Mathias KD. In vitro model for the evaluation of inferior vena cava filters: effect of experimental parameters on thrombus-capturing efficacy of the Vena Tech-LGM filter. J Vasc Interv Radiol. 1998;9:295-304.         [ Links ]

18. Braile DM, Godoy JM, Centola M, Torati JL, Marino GC. Avaliação da eficácia da captura de êmbolos in vitro dos filtros de veia cava Greenfield e Braile. J Vasc Br. 2005;4:42-6.         [ Links ]

 

 

Correspondência
José Maria Pereira de Godoy
Rua Floriano Peixoto, 2950
CEP 15020-010 — São José do Rio Preto, SP
E-mail: godoyjmp@riopreto.com.br

Artigo submetido em 24.06.05, aceito em 13.10.05.

 

 

* Declaramos que há conflito de interesse entre o Prof. Dr. Domingo Marcolino Braile, diretor da Braile Biomédica Indústria, Comércio e Representações S.A. e Marco Centola, engenheiro da mesma empresa.

Creative Commons License All the contents of this journal, except where otherwise noted, is licensed under a Creative Commons Attribution License