SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.5 número4A redação científica índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Jornal Vascular Brasileiro

versão impressa ISSN 1677-5449versão On-line ISSN 1677-7301

J. vasc. bras. v.5 n.4 Porto Alegre dez. 2006

http://dx.doi.org/10.1590/S1677-54492006000400001 

EDITORIAIS

 

A pesquisa científica

 

Scientific research

 

 

Guilherme Benjamin Brandão PittaI; Aldemar Araújo CastroII

ISócio titular, SBACV
IISócio efetivo, SBACV

 

Para iniciarmos uma pesquisa científica, devemos partir de três pré-requisitos básicos: 1) conhecer bem e ter competência no assunto a ser pesquisado; 2) ter acesso e dominar a amostra; e 3) depender o mínimo possível de terceiros para realizar a pesquisa. Devemos também gostar do método científico e nos empolgar com o aprendizado que poderemos ter durante esse processo. A realização da pesquisa científica e a posterior publicação dos seus resultados em revista científica de impacto começam com a idéia brilhante que podemos ter a partir da pergunta de pesquisa que queremos responder. Por exemplo, se quisermos saber quais as características das válvulas venosas do segmento fêmoro-poplíteo (número de válvulas, de cúspides e disposição das mesmas), deveremos propor um trabalho científico para respondermos a essa questão.

Cada pesquisa será composta de três fases: planejamento, execução e divulgação1. A primeira fase, o planejamento, é composta por cinco itens: a) idéia brilhante (a pergunta da pesquisa); b) plano de intenção (o resumo do projeto de pesquisa); c) revisão da literatura; d) teste de instrumentos e de procedimentos; e) projeto de pesquisa.

O projeto de pesquisa deve incluir o título da pesquisa, dados de informação do autor e orientador, justificativa da pesquisa, hipótese, objetivo, plano de trabalho, métodos, etapas da pesquisa e cronograma, relação de materiais necessários, orçamento, monitorização da pesquisa, análise dos riscos e benefícios, propriedades da informação e divulgação da pesquisa, responsabilidades do pesquisador, da instituição, do promotor e do patrocinador, referências, modelo do termo de consentimento livre e esclarecido, modelo de formulários de coleta de dados, cópia do documento de aprovação pelo comitê de ética em pesquisa, modelo da tabela de dados individuais, curriculum vitae Lattes dos pesquisadores envolvidos.

No projeto de pesquisa, é preciso ter cuidado especial em vários itens: 1) tipo de estudo - deve ser utilizado o melhor tipo de estudo para responder à pergunta de pesquisa; 2) local - onde estão os sujeitos da pesquisa; 3) amostra (critérios de inclusão, critérios de exclusão, amostragem, consentimento livre e esclarecido) - deve ser descrita com critérios objetivos, que representem com acuidade o universo de pacientes; 4) procedimentos - intervenção, teste, exposição, se necessário; 5) variáveis (variável primária, variáveis secundárias, dados complementares) - deve ser definida cada variável (como, quem) e quando será quantificada; 6) método estatístico (cálculo do tamanho da amostra, análise estatística) - devem ser descritos os critérios para a definição do tamanho da amostra a ser estudada e quais serão os testes estatísticos a serem utilizados.

A amostra deve ser o mais homogênea possível, preferencialmente selecionada de acordo com critérios de inclusão e exclusão bem definidos. Nos casos de divisão em grupos, estes devem ser constituídos sempre ao acaso, com o método de casualização bem definido. O delineamento envolve também a seleção cuidadosa dos desfechos e as variáveis a serem observadas2. O planejamento deve incluir a análise por meio de testes estatísticos apropriados, para possibilitar conclusões pertinentes.

O tempo e o trabalho investidos no planejamento permitem que a segunda fase, que é a execução, seja feita sem problemas metodológicos e logísticos e transcorra sem nenhum imprevisto. No entanto, a pesquisa só poderá ser iniciada após a aprovação pelo comitê de ética em pesquisa. A execução da pesquisa é finalizada com a redação do relatório final. Na terceira fase, a divulgaçãoda pesquisa, devemos sintetizar as informações do relatório final e elaborar um artigo original para a comunidade de leitores e pesquisadores interessados no assunto3.

É obrigatória a publicação da pesquisa em uma revista científica, seja ela resultado de programa de iniciação científica, trabalho de conclusão de curso, dissertação de mestrado e/ou tese de doutorado. O Jornal Vascular Brasileiro é um bom veículo de divulgação em nosso meio, e a citação de artigos publicados no nosso jornal ou em outras revistas produzidas no Brasil e na América Latina enriquece nossa produção científica e melhora o impacto da revista e sua visibilidade internacional. A publicação em revistas é a melhor, mais rápida e mais confiável forma de disseminar o conhecimento científico no nosso meio e fora do nosso país, permitindo incluir nossa especialidade de angiologia e cirurgia vascular na comunidade internacional e preparando o ingresso da nossa revista na base de dados MEDLINE.

O Brasil, nos últimos anos, vem aumentando sua publicação científica de impacto no mundo, e isso se deve principalmente ao aumento - em número e qualidade - das nossas pós-graduações stricto sensu, das nossas revistas científicas e dos portais de revistas da CAPES, Bireme e SciELO. Esse acesso rápido à informação através da Internet, muito preciso e com custo diminuto, facilita sobremaneira o trabalho e dá condições aos pesquisadores de elaborar um bom projeto, que venha enriquecer os leitores da revista e melhorar o tratamento de nossos pacientes.

 

Referências

1. Castro AA. Fiat lux. Maceió: Universidade Estadual de Ciências da Saúde de Alagoas; 2006. Disponível em: http://www.metodologia.org/livro.

2. Castro AA, coord. Programa minha primeira pesquisa. Maceió: Universidade Estadual de Ciências da Saúde de Alagoas; 2006. Disponível em: http://moodle.uncisal.edu.br.

3. Campana AO. Redação de trabalho científico. J Pneumol. 2000;26:30-5.

Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons