SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.11 issue3Inhibition of cyclooxygenase 2 expression in NOD mice cutaneous wound by low-level laser therapy author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Jornal Vascular Brasileiro

Print version ISSN 1677-5449

J. vasc. bras. vol.11 no.3 Porto Alegre July/Sept. 2012

http://dx.doi.org/10.1590/S1677-54492012000300001 

EDITORIAL

 

Estratificação do Jornal Vascular Brasileiro, Programas de Pós-graduação e Capes

 

Dr Winston Bonetti Yoshida

Editor-chefe

 

 

Em 3 de abril de 2012, a Capes fez uma atualização do WebQualis da área de Medicina III  (www.capes.gov.br/component/content/article/44.../4633-medicina-iii). Neste documento, ressaltou que a mediana dos fatores de impacto das especialidades cirúrgicas variou de 1,20 a 2,61 (Base ISI-WEB of Science) nos últimos dois anos. No entanto, apoiando-se em estudos feitos e nas propostas dos editores de revistas científicas brasileiras, em sua nova estratificação do Qualis a Capes passou a considerar não só o ISI- Web of Science, mas também o cites per doc, da base Scimago- Scopus, uma vez que foi demostrada estreita correlação entre ambos os indexadores. Ficou estabelecido neste comunicado que revistas com fator de impacto ou cites per doc > 0,01 passariam a constar no estrato B3, sendo estratos B4 revistas indexadas em outras bases e B5 revistas de outras áreas e outras bases.

Assim, a estratificação final dos periódicos ficou de acordo com o maior valor contemplado em ambas as bases, o fator de impacto da base ISI-Web of Science e o cites per doc (dois anos), do Scimago.

Esta iniciativa trouxe vantagens para o nosso jornal. Como o J Vasc Bras não está indexado à base ISI, a estratificação do mesmo passou a ser considerada com base no cites per doc, do Scimago, onde já está indexado desde 2004.

Desta forma, o J Vasc Bras figura atualmente como estrato B3 do WebQualis da Capes (http://qualis.capes.gov.br/webqualis/). Em outras palavras, os integrantes do Programa de Pós-Graduação da Capes poderão auferir 20 pontos por artigo publicado no J Vasc Bras, com limite de até três artigos por docente.

Entretanto, não devemos nos acomodar com este resultado, e precisamos envidar esforços no sentido de crescimento da estratificação no WebQualis da Capes. Neste sentido, conclamamos todos os autores e revisores do J Vasc Bras a citar artigos do nosso jornal, seja nos artigos do próprio J Vasc Bras como também em publicações de outras revistas. Para alcançarmos o estrato B2 precisaremos de cites per doc > 0,90; para o estrato B1, cites per doc > 1,50; para estratos A2, cites per doc > 2,63; e para A1, cites per doc > 3,30.

Na Figura 1, verificamos a evolução do cites per doc do J Vasc Bras de 2004 a 2011. Constatamos que de 2004 a 2008 houve crescimento progressivo das citações, mas infelizmente, a partir de 2008, houve uma queda. Já há muito tempo vem se chamando a atenção dos autores e revisores do J Vasc Bras sobre este problema1, 2.

 

 

É bastante fácil encontrar artigos relacionados com os temas. Basta digitar na janela da página inicial do jornal (www.jvascbr.com.br) o tema ou palavra-chave, ou mesmo o nome do autor de interesse. Em segundos abre-se uma lista de artigos potencialmente citáveis do J Vasc Bras (Figura 2).

Concluindo, é preciso concentrar esforços de todos para ajudar no crescimento do nosso jornal, principalmente incrementando o número de submissões e fazendo as devidas citações de sua produção.

 

Referências

1. Yoshida WB. The impact factor of Jornal Vascular Brasileiro. J Vasc Bras. 2008;7:187-188. http://dx.doi.org/10.1590/S1677-54492008000300001        [ Links ]

2. Costa-Val R, Sousa Filho J. A produção científica do J Vasc Bras: conquistas e desafios. J Vasc Bras. 2008;7:6-17. http://dx.doi.org/10.1590/S1677-54492008000100004        [ Links ]