SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.10 issue2Neuroscience and the Brain Institute of Hospital Israelita Albert EinsteinMagnetic resonance imaging and Psychiatry: past, present and future author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Article

Indicators

Related links

  • Have no similar articlesSimilars in SciELO

Share


Einstein (São Paulo)

Print version ISSN 1679-4508

Einstein (São Paulo) vol.10 no.2 São Paulo Apr./June 2012

http://dx.doi.org/10.1590/S1679-45082012000200002 

EDITORIAL

 

Uma ideia vencedora

 

 

Reynaldo André Brandt; Eliova Zukerman

Hospital Israelita Albert Einstein – HIAE, São Paulo (SP), Brasil

Autor correspondente

 

 

Foi com grande satisfação que recebemos a notícia da publicação de um número especial da einstein dedicado às Neurociências. Esta edição constitui um marco no desenvolvimento do Instituto do Cérebro (InCe), uma parte importante da história da produção científica e educacional do Hospital Israelita Albert Einstein (HIAE).

Em 1981, foi criado o Centro de Estudos do HIAE, a partir do qual desenvolveram-se as atividades científicas e de ensino do corpo médico do hospital. Destas faziam parte as reuniões semanais de neurociências, com a participação de neurologistas, neurocirurgiões, neuropediatras, enfermeiros, fisioterapeutas, psicólogos etc. Nessas reuniões, intercalavam-se revisões de artigos científicos, apresentações formais de temas e discussões de casos. Essas últimas evoluíram para incluir as reuniões de morbimortalidade, as famosas "reuniões M&M", com debates francos sobre complicações e resultados adversos, visando à melhoria contínua da assistência neurológica aos pacientes. A criação do Instituto Israelita de Ensino e Pesquisa Albert Einstein (IIEPAE), em 1998, dos cursos de pós-graduação, em 2001, e do centro de pesquisas no ano seguinte, juntamente do amadurecimento dos encontros de especialistas em neurociências – então com cerca de 20 anos de funcionamento, serviu de base para a criação do InCe em 23 de maio de 2003.

Desde o início, a pesquisa e o encontro de aplicações terapêuticas de fronteira em neurociências constituem seu foco. Reunindo pesquisadores e especialistas do corpo médico do HIAE na busca de respostas às questões das práticas diagnóstica, clínica e cirúrgica, assim como aos desafios da identificação dos fatores que levam ao aparecimento das doenças do sistema nervoso, sua ênfase atual está na identificação de fatores genéticos ligados a essas doenças, nas técnicas de imagem molecular, na neuroimagem funcional, na descoberta de agentes terapêuticos para as doenças neurodegenerativas (incluindo os implantes cerebrais), na neuromodulação e no uso de células-tronco.

As publicações de seu corpo de pesquisadores aumentam rapidamente e atingem os periódicos de primeira linha. As parcerias com instituições internacionais, como as Universidade de Chicago e de Boston, nos Estados Unidos, e de Wuerzburg, na Alemanha, o Instituto Weizman, de Israel, e o King's College de Londres, Inglaterra, atestam a importância do trabalho colaborativo entre neurocientistas e a qualidade das pesquisas realizadas em conjunto entre essas instituições. O mesmo vale para as parcerias com instituições brasileiras, como a Universidade de São Paulo, nas pesquisas com nanobiotecnologia, a Universidade Federal de São Paulo, nas pesquisas sobre imagens moleculares, e a Santa Casa de São Paulo, nas pesquisas relacionadas à neuroquímica e à radiofarmácia.

O InCe obteve a primeira imagem de neurotransmissores e criou uma base normativa para a ressonância magnética funcional em 2005. Obteve a primeira imagem de ressonância magnética em 3 Teslas em 2008 e, no ano seguinte, conseguiu a primeira patente internacional do HIAE. Em 2011, foi a primeira instituição a aplicar Single Photon Emission Microtomography (o SPEM) em estudos experimentais. Atualmente, tem mais de 40 projetos em desenvolvimento, publicou mais de 150 trabalhos científicos com alto fator de impacto, além de teses de mestrado e doutorado.

Como todo centro avançado de pesquisa, tem, à frente, inúmeros desafios: fidelizar seus pesquisadores, atrair um número cada vez maior de médicos do corpo clínico para participarem das pesquisas científicas e das atividades de ensino, vencer a burocracia para a importação dos insumos necessários às pesquisas, obter os mais avançados recursos de informática para desenvolver a convergência tecnológica necessária à aplicação de novos conhecimentos à prática assistencial, e manter e ampliar o suporte tecnológico e financeiro para o crescimento de suas atividades etc. O InCe é ainda um instituto jovem e seu curto histórico revela a índole de uma entidade vencedora.

 

 

Autor correspondente:
Reynaldo André Brandt
Avenida Albert Einstein, 627/701 – Morumbi
CEP 05651-901 – São Paulo (SP), Brasil
Tel.: (11) 2151-1233
E-mail: brandt@einstein.br