SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.78 issue4Filiform papillae do not have taste buds author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Brazilian Journal of Otorhinolaryngology

Print version ISSN 1808-8694

Braz. j. otorhinolaryngol. vol.78 no.4 São Paulo July/Aug. 2012

http://dx.doi.org/10.1590/S1808-86942012000400001 

EDITORIAL

 

Projeto: caminhos da Otorrinolaringologia

 

 

O agradável convite e, consequentemente, a tarefa de escrever um editorial sobre a campanha Caminhos da Otorrinolaringologia para uma revista científica pareceu-me uma atribuição incongruente, ilógica. Entretanto, ao analisar o que está em curso, pude perceber analogias de forma e conteúdo que certamente enquadram esta iniciativa no âmbito científico. O convite não foi aleatório; afinal de contas, tudo isto pode ser comparado a um grande projeto científico!

O "background" certamente originou-se da minha participação em inúmeras iniciativas das supraespecialidades (Semana da Voz, Saúde Auditiva, Respire pelo Nariz e Viva Melhor), seja em nível de coordenação local ou regional, além da coordenação estadual, em Minas Gerais, da Semana da Voz, em 2003. A abrangência nacional desta "formação" cristalizou-se na Coordenação Nacional da Campanha da Saúde Auditiva em 2007. Com este embasamento, vislumbrei uma iniciativa com dois principais e essenciais objetivos: educação anatomofisiológica e preventiva na Otorrinolaringologia e a divulgação da nossa especialidade.

Idealizado este projeto prospectivo e de coorte contemporâneo longitudinal, parti, então, para a elaboração do mesmo. Após discussão em âmbito Departamental (Diretoria Executiva) e aprovação do Comitê de Ética em Pesquisa (Presidentes das supraespecialidades), obteve-se financiamento do Órgão de Fomento (Conselho Administrativo e Fiscal) da ABORL-CCF. Com tudo delineado, porém com uma forte necessidade de atingirmos o público e ainda, oficializar o caráter nacional da iniciativa, conseguimos importantes apoios da mídia e do Ministério da Saúde!

Partimos, então, para as atividades de campo, que abrangerão 17 cidades em 12 estados brasileiros e o Distrito Federal. Tendo à frente uma carreta de 17 metros, totalmente estilizada para a campanha e compartimentalizada em 3 espaços (sala de polissonografia, auditório com sistema audiovisual e sala de imprensa/convívio), contamos, ainda, com modelos anatômicos infláveis gigantes, representando o ouvido, o nariz e a boca/laringe (Figuras 1 e 2). Estes modelos permitem que o público possa literalmente "passear dentro", conhecendo detalhes da anatomia e da fisiologia, além de receberem orientações preventivas de doenças.

 

 

 

 

A análise e "discussão" preliminar dos nossos resultados demonstra que o delineamento prospectivo longitudinal tem mostrado ricas características de transversalidade, com fatos e momentos marcantes em cada uma das etapas/cidades por onde passamos com a campanha, deixando, ainda, uma forte saudade em todos e, por analogia, emprestando, assim, uma visão de coorte retrospectiva histórica. As conclusões desta caminhada devem obrigatoriamente "casar" com os objetivos propostos, adicionando responsabilidade social e retorno de divulgação para a nossa associação e para a nossa especialidade. Espero que este projeto possa se tornar uma "linha de pesquisa" para os "futuros pesquisadores" à frente da ABORL-CCF.

Um grande abraço!

 

Prof. Dr. Marcelo Hueb
Presidente da ABORL-CCF

Creative Commons License All the contents of this journal, except where otherwise noted, is licensed under a Creative Commons Attribution License