SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.78 issue6Bilateral sensorineural hearing loss and cerebellar ataxia in the case of late stage Lyme disease author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Brazilian Journal of Otorhinolaryngology

Print version ISSN 1808-8694

Braz. j. otorhinolaryngol. vol.78 no.6 São Paulo Nov./Dec. 2012

http://dx.doi.org/10.5935/1808-8694.20120047 

CASE REPORT

 

Diagnóstico tardio de corpo estranho na língua: relato de caso

 

 

Sultan Şevik EliçoraI; Mehmet GüvenII

IMD (Departamento de ORL, Hospital de Pesquisa e Treinamento de Sakarya, Sakarya, Turquia)
IIProfessor Associado (Departamento de ORL, Hospital de Pesquisa e Treinamento de Sakarya, Sakarya, Turquia)

Endereço para correspondência

 

 


Palavras-chave: corpos estranhos, língua, materiais dentários.


 

 

INTRODUÇÃO

Corpos estranhos nas vias aéreas superiores e no sistema digestório são achados frequentes na prática da otorrinolaringologia. Corpos estranhos de localização profunda na língua, especialmente em sua parte móvel, são bastante raros e de forma geral mimetizam doença maligna1. Na literatura encontramos relatos de remoção cirúrgica de corpos estranhos como espinhas de peixe, projéteis, fragmentos de dente quebrado, pedaços de noz, pedaços de cano e partículas metálicas1-3. Intervenção precoce é necessária, já que corpos estranhos afiados e pungentes podem levar à perfuração por migração. O presente artigo pretende descrever o caso de uma paciente com uma agulha odontológica profundamente alojada em sua língua e removida por meio de cirurgia.

 

RELATO DE CASO

Uma paciente de 72 anos de idade veio à nossa clínica com queixas de edema e dor na língua presentes há um mês. Ela relatou que os sintomas ocasionalmente se moviam de uma parte para outra da língua. A paciente nos contou que a dor teve início quando ela sentiu um gosto amargo na boca ao ingerir arroz, e que a intensidade da dor começou a aumentar progressivamente a partir desse momento. A paciente não relatou histórico de cirurgia na região da cabeça e pescoço, e tampouco apresentava-se com disfagia ou distúrbio neuromuscular. Durante o exame físico, foi identificada uma massa bem circunscrita de consistência firme medindo 1 x 0,2 cm elevando-se na porção dorsal lateral direita da língua. A paciente referia dor à palpação. A mucosa da língua estava regular e com coloração normal. Os demais aspectos otorrinolaringológicos e sistêmicos estavam normais.

A paciente foi submetida a exame de imagem por ressonância magnética (RM), na qual foi encontrado um corpo estranho metálico linear medindo 1 x 0,3 cm no terço frontal da musculatura lingual gerando um artefato denso (Figuras 1A-B).

 


 

O corpo metálico foi removido através de uma incisão de cerca de um centímetro feita por cima da massa na porção lateral direita da língua com a paciente sob anestesia local. O corpo estranho era um pedaço de agulha odontológica de 18 milímetros de comprimento (Figura 1C). A paciente foi questionada sobre procedimentos sofridos e relatou que havia sido submetida a uma cirurgia odontológica há seis meses.

Déficits neuromusculares ou neurossensoriais não foram observados após o seguimento de 10 meses, a paciente se recuperou sem queixas e não desenvolveu complicações após a cirurgia.

 

DISCUSSÃO

Corpos estranhos na parte móvel da língua são geralmente superficiais e podem ser facilmente removidos por um clínico geral ou pelo próprio paciente1. Contudo, corpos estranhos profundos mimetizam doenças malignas e apresentam edema lingual e submental, neuralgia e equimose. A paciente se apresentou em nossa clínica com sintomas de edema e dor lingual. Sua idade avançada nos fez pensar em doença maligna, mas a lesão bem circunscrita e a mucosa lingual intacta e com coloração normal indicavam afecção benigna.

Podemos não encontrar informações sobre corpo estranho com língua edemaciada no histórico clínico de nossos pacientes. Histórico de trauma e cirurgias prévias podem não ser relatados e até esquecidos pelos pacientes durante o primeiro exame4. No nosso caso, a paciente não citou histórico de trauma ou cirurgia no primeiro exame, mencionando apenas uma dor aguda em sua língua sentida quando se alimentava com frango e arroz um mês antes. Ao verificarmos que o corpo estranho era uma agulha odontológica, questionamos a paciente sobre seu histórico cirúrgico recente e ela relatou ter sido submetida a um procedimento odontológico seis meses antes, do qual não teve queixas no pós-operatório.

O diagnóstico de corpos estranhos profundos e invisíveis de língua é frequentemente radiológico. A maioria dos corpos de madeira, plástico, vidro, espinhas de peixe e ossos de frango são rádio-opacos e não podem ser vistos à radiografia. O diagnóstico por ultrassonografia pode ser útil nesses tipos de corpos estranhos5. A RM é um valioso método diagnóstico. É particularmente eficiente na discriminação de novas estruturas com lesões inflamatórias. Tomografia computadorizada e ultrassonografia têm percentuais mais elevados de identificação de corpos estranhos e podem ser utilizados para se determinar a forma e tamanho dos fragmentos em questão6.

Corpos estranhos do trato digestório superior são vistos com facilidade, exceto aqueles localizados mais profundamente. Migração pode ser particularmente observada em corpos estranhos metálicos afiados e pode levar a complicações graves e até fatais1.

 

COMENTÁRIOS FINAIS

Corpos estranhos devem ser considerados no diagnóstico diferencial de lesões em massa. Devemos, ainda, questionar nossos pacientes sobre seu histórico cirúrgico e intervir o mais precocemente possível.

 

REFERÊNCIAS

1. Lin CJ, Su WF, Wang CH. A foreign body embedded in the mobile tongue masquerading as a neoplasm. Eur Arch Otorhinolaryngol. 2003;260(5):277-9.         [ Links ]

2. de Santana Santos T, Melo AR, Pinheiro RT, Antunes AA, de Carvalho RW, Dourado E. Tooth embedded in tongue following firearm trauma: report of two cases. Dent Traumatol. 2011;27(4):309-13.         [ Links ]

3. da Silva EJ, Deng Y, Tumushime-Buturo CG. An unusual foreign body in the tongue. Br J Oral Maxillofac Surg. 2000;38(3):241-2.         [ Links ]

4. Samborski CS, Mix JA. Foreign body in tongue. Oral Surg Oral Med Oral Pathol. 1985;59(5):549.         [ Links ]

5. Sharma PK, Songra AK, Ng SY. Intraoperative ultrasound-guided retrieval of an airgun pellet from the tongue: a case report. Br J Oral Maxillofac Surg. 2002;40(2):153-5.         [ Links ]

6. Oikarinen KS, Nieminen TM, Mäkäräinen H, Pyhtinen J. Visibility of foreign bodies in soft tissue in plain radiographs, computed tomography, magnetic resonance imaging, and ultrasound. An in vitro study. Int J Oral Maxillofac Surg. 1993;22(2):119-24.         [ Links ]

 

 

Endereço para correspondência:
Sultan Şevik Eliçora
E-mail: drsultan@mynet.com

Este artigo foi submetido no SGP (Sistema de Gestão de Publicações) da BJORL em 25 de dezembro de 2011. cod. 8956.
Artigo aceito em 26 de fevereiro de 2012.

Creative Commons License All the contents of this journal, except where otherwise noted, is licensed under a Creative Commons Attribution License