SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.13 issue2Analysis of the intensity of care provided to Elderly Users of the Home Support ServiceHealthy alimentation on the experience of the elderly author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

  • Portuguese (pdf)
  • Article in xml format
  • How to cite this article
  • SciELO Analytics
  • Curriculum ScienTI
  • Automatic translation

Indicators

Related links

Share


Revista Brasileira de Geriatria e Gerontologia

Print version ISSN 1809-9823

Rev. bras. geriatr. gerontol. vol.13 no.2 Rio de Janeiro May/Aug. 2010

https://doi.org/10.1590/S1809-98232010000200010 

ARTIGOS ORIGINAIS ORIGINAL ARTICLES

 

Efeitos de um programa de caminhada sob os níveis de autonomia funcional de idosas monitoradas pelo programa saúde da família

 

Effects of the research of hiking related the profiles of functional autonomy in elderly women supported by the family health program

 

 

Rubens César Lucena da CunhaI; Marcos de Sá Rego FortesII; Márcia de Assunção FerreiraIII; Jani Cleria Pereira BezerraIV; João Marcos Ferreira de Lima SilvaV; Susane GraupVI; Glauber Carvalho NobreVII; Estélio Henrique Martins DantasVIII

IUniversidade Castelo Branco, Fisiologia do Exercício. Rio de Janeiro, RJ, Brasil
IIInstituto de Pesquisa da Capacitação Física do Exército. Forte São João. Rio de Janeiro, RJ, Brasil
IIIUniversidade Federal do Rio de Janeiro, Escola de Enfermagem Anna Nery. Rio de Janeiro, RJ, Brasil
IVUniversidade Castelo Branco, Motricidade Humana. Rio de Janeiro, RJ, Brasil
VInstituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará, Campus Juazeiro do Norte. Juazeiro do Norte, CE, Brasil
VIUniversidade Federal de Santa Catarina, Laboratório de Biomecânica. Florianópolis, SC, Brasil
VIIUniversidade do Estado de Santa Catarina. Pós-graduação em Ciências do Movimento Humano. São José, SC, Brasil
VIIIUniversidade Castelo Branco, Faculdade de Educação e Desporto. Rio de Janeiro, RJ, Brasil

 

 


RESUMO

OBJETIVO: verificar os efeitos de um programa de caminhada sobre os níveis de autonomia funcional de idosas participantes do Programa Saúde da Família.
MÉTODOS: Para este estudo experimental, a amostra foi aleatoriamente dividida em: grupo experimental (GE; n=58, idade:67±6 anos) e grupo controle (GC; n=40; idade:70±6 anos). Todas eram fisicamente ativas, porém sem um rigor na regularidade do programa de atividade física. A autonomia funcional foi avaliada pela bateria de testes do Grupo de Desenvolvimento Latino-Americano para a Maturidade (GDLAM), composta de: caminhar 10m (C10m), levantar-se da posição sentada (LPS), levantar-se da posição de decúbito ventral (LPDV), levantar-se da cadeira e locomover-se pela a casa (LCLC) e o teste de vestir e tirar uma camiseta (VTC). Esses testes resultam no índice de GDLAM (IG). O programa de intervenção foi realizado em frequência semanal de três vezes, com intensidade que variava entre 55% a 75% da frequência cardíaca máxima.
RESULTADOS: Na análise intragrupos, pôde-se observar melhora significativa no GE, em todos os testes do GDLAM e no IG (
Δ=-4,13; p=0,0001); entretanto, o GC obteve uma piora significativa em todos os testes do GDLAM e no IG (Δ=+0,05; p=0,0001). Na comparação intergrupos, o GE mostrou-se superior ao GC em todos os testes (p<0,05) e no IG (Δ=-8,23; p=0,0001).
CONCLUSÕES: Pode-se inferir que o GE, após ter se submetido à atividade de caminhada regular e controlada, obteve melhora do nível de autonomia funcional, quando comparado ao inicial e ao do GC. Número de registro clínico: NCT00981734.

Palavras-chave: Caminhada. Autonomia Pessoal. Idoso. Mulheres. Programa Saúde da Família. Envelhecimento. Estilo de vida. Funcionalidade.


ABSTRACT

OBJECTIVE: To evaluate the effects of a walking program on levels of functional autonomy of elderly participants of the Family Health Program.
METHODS: In this experimental study, the sample was randomly divided into: experimental group (EG, n = 58, age: 67 ± 6 years) and a control group (n = 40, age: 70 ± 6 years). All were physically active but without a rigorous program of regular physical activity. Functional autonomy was evaluated by the battery of tests of the Group of Latin American Development to Maturity (GDLAM), comprising: walk 10m (C10M), rising from a seated position (LPS), rising from the prone position (LPDV), rising from his chair and moving around the house (LCLC) and test and get a dress shirt (VTC). These tests result in GDLAM index (GI). The intervention program was conducted in weekly frequency of three times, with intensity ranging from 55% to 75% of maximum heart rate.
RESULTS: In the intragroup analysis, one could observe a significant improvement in the SG in all tests GDLAM and IG (
Δ =- 4.13, p = 0.0001), although the GC obtained a significant worsening in all GDLAM tests and IG (Δ = +0.05, p = 0.0001). In intergroup comparison, the GE was superior to GC in all tests (p <0.05) and IG (Δ =- 8.23, p = 0.0001).
CONCLUSIONS: It can be inferred that the GE, after undergoing regular walking activity and controlled, had improved the level of functional autonomy, compared to the initial and the GC. Number of clinical register: NCT00981734

Key Words: Walking. Personal Autonomy. Aged. Women. Family Health Program. Aging. Life Style. Functionality.


 

 

Texto completo disponível apenas em PDF.

Full text available only in PDF format.

 

REFERÊNCIAS

1. IBGE.Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. População Idosa. Disponível em < http://www.ibge.gov.br. Acesso em 18 jun.2008.         [ Links ]

2. Audrey SA, Débora FO, Marcio RB, Estélio HMD. Os efeitos da prática do yoga sobre a capacidade física e autonomia funcional emidosas. Fitness & performance journal : Órgão oficial do Colégio Brasileiro de Atividade Física, Saúde e Esporte 2006; 4:243-9.         [ Links ]

3. Berlezi EM, Rosa PV, Souza ACA, Schneider RH. Comparação antropométrica e do nível de aptidão física de mulheres acima de 60 anos praticantes de atividade física regular e não praticantes. Revista brasileira de geriatria e gerontologia 2006; 9(3).         [ Links ]

4. Matsudo SM, Matsudo VKR, Barros Neto TL, Araújo TL. Evolução do perfil neuromotor e capacidade funcional de mulheres fisicamente ativas de acordo com a idade cronológica. Revista brasileira de medicina do esporte 2006; 9(6):365-76.         [ Links ]

5. Farinatti PTV, Oliveira RB, Pinto VLM, Monteiro WD, Francischetti E. Programa domiciliar de exercícios: efeitos de curto prazo sobre a aptidão física e pressão arterial de indivíduos hipertensos. Arq Bras Cardiol 2005;84(6):473-9.         [ Links ]

6. Coelho CSE, Coelho IC. Comparação dos benefícos obtidos através da caminhada e da hidroginástica para a terceira idade. <acesso em 05 nov 2008>. ANAIS do II Encontro de Educação Física e Áreas Afins. Dispon[ivel em: http://www.ufpi.br/def/arquivos/file/ COMPARAO%20DOS%20BENEFCOS%20OBTIDOS%20ATRAVS%20DA%20CAMINHADA%20E%20DA%20HIDROGINSTICA%20PARA%20A%20TERCEIRA%20IDADE.pdf.         [ Links ]

7. WMA - World Medical Association. Declaration of Helsinki. Ethical Principles for Medical Research Involving Human Subjects. 59th WMA General Assembly, Seoul, October 2008.         [ Links ]

8. Dantas EHM, Vale RGS. Protocolo GDLAM de avaliação da autonomia. Fitness & performance journal : Órgão oficial do Colégio Brasileiro de Atividade Física, Saúde e Esporte 2004;3(3):169-80.         [ Links ]

9. Sipilä S, Multanen J, Kallinen M, Era P, Suominen H. Effects of strength and endurance training on isometric muscle strength and walking speed in elderly women. Acta Physiol Scand 1996;156: 457-64.         [ Links ]

10. Guralnik JM, Ferrucci L, Pieper CF, Leveille SG, Markides KS, Ostir GV, Studenski S, Berkman LF, Wallace RB. Lower extremity function and subsequent disability consistency across studies, predictive models and value of gait speed alone compared with the short physical performance battery. J Gerontol 2000; 55(4): 221-31.         [ Links ]

11. Alexander NB, Ulbrich J, Raheja A, Channer D. Rising from the floors in older adults. J Am Geriatr Soc 1997;45(5):564-9.         [ Links ]

12. Andreotti RA, Okuma SS. Validação de uma bateria de testes de atividades da vida diária para idosos fisicamente independentes. Revista brasileira de educação física e esporte 1999;13(1):46-66.         [ Links ]

13. Vale RGS, Pernambuco CS, Novaes JS, Dantas EHM. Teste de autonomia funcional: vestir e tirar uma camiseta (VTC). Revista brasileira de ciencia & movimento 2006;14(3):71-8.         [ Links ]

14. Vale RGS. Avaliação da autonomia funcional do idoso. Fitness & performance journal : Órgão oficial do Colégio Brasileiro de Atividade Física, Saúde e Esporte 2005; 4(1):4.         [ Links ]

15. American College of Sports Medicine. Diretrizes do ACSM para os testes de esforço e sua prescrição. 6.ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan; 2003.         [ Links ]

16. V Diretrizes Brasileiras de Hipertensão Arterial. Arquivo Brasileiro de Cardiologia. São Paulo: Set. 2007; 89(3). <Acesso em 07 nov.de 2008> Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.         [ Links ]

17. Cader SA, Vale RGD, Pereira FF, Dantas EHM. Comparação da Pimáx e da qualidade de vida entre idosas sedentárias, asiladas e praticantes de hidroginástica. Fitness & performancejournal : Órgão oficial do Colégio Brasileiro de Atividade Física, Saúde e Esporte 2006 ; 5(2) : 101-8.         [ Links ]

18. Guimarães AC, Rocha CAQC, Gomes ALM, Cader SA, Dantas EHM. Efeitos de um programa de atividade física sobre o nível de autonomia de idosos participantes do programa de saúde da família. Fitness & performance journal : Órgão oficial do Colégio Brasileiro de Atividade Física, Saúde e Esporte 2008;7(1):5-9.         [ Links ]

19. Varejão RV, Melo R, Barros R, Vale RGS, Aragão JCB, Amorim FS, Dantas EHM. Comparação dos efeitos do alongamento e do flexionamento ambos passivos sobre os níveis de flexibilidade, autonomia e qualidade de vida do idoso. Revista brasileira de ciencia & movimento 2007; 15(2): 87-95        [ Links ]

20. Vale RGS, Barreto ACG, Novaes JS, Dantas EHM. Efeitos do treinamento resistido na força máxima, na flexibilidade e na autonomia funcional de mulheres idosas. Revista brasileira de cineantropometria & desempenho humano 2006;8(4) p.52-8.         [ Links ]

21. Varejão RV, Dantas EHM, Matsudo SMM. Comparação dos efeitos do alongamento e do flexionamento, ambos passivos, sobre os níveis de flexibilidade, capacidade funcional e qualidade de vida do idoso. Universidade Castelo Branco. Revista brasileira de ciencia & movimento 2007;15(2):87-95.         [ Links ]

22. Aragão JCB. Efeitos da resistência muscular localizada visando a autonomia e a qualidade de vida de idosos idosos. (dissertação) Rio de Janeiro: Universidade Castelo Branco; 2002. 332 f.         [ Links ]

23. Belloni D, Albuquerque AC, Rodrigues TO, Mazini Filho ML, Silva VF. Estudo comparativo entre a autonomia funcional de mulheres idosas praticantes e não praticantes de hidroginástica. Revista de Educação Física 2008 mar;140:20 -25        [ Links ]

24. Silva JGFB, Cader SA, Dopico X, Soler EO, Dantas EHM. Fortalecimiento muscular, nivel de fuerza muscular y autonomia funcional en una población de mujeres mayores. Revista espanhola de geriatria y gerontologia 2009; 44(5):256-61.         [ Links ]

25. Pereira FF, Monteiro N, Portal MND, Vale RGS, Dantas EHM. Perfil de um grupo de mulheres idosas residentes no condomínio Rio 2, no município do Rio de Janeiro. Fitness & performance journal :Órgão oficial do Colégio Brasileiro de Atividade Física, Saúde e Esporte 2005;4(6):352-6.         [ Links ]

26. Cunha RCL, et al. Análise da flexibilidade e da autonomia funcional em idosos não praticantes de exercício físico. Livro de Memória do III Congresso Cientifico Norte-Nordeste. Fortaleza, 2007.         [ Links ]

 

 

Recebido : 20/10/2009
Aprovado : 15/3/2010

 

 

Correspondência / Correspondence Rubens César Lucena da Cunha E-mail: rubensavia@yahoo.com.br

Creative Commons License All the contents of this journal, except where otherwise noted, is licensed under a Creative Commons Attribution License