SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.14 issue1Predisposing factors for falls in the elderly residents in western region of Santa Maria, RSSocio-economic and cultural profile in an open university of the third age: a reflection of the Brazilian reality? author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Revista Brasileira de Geriatria e Gerontologia

Print version ISSN 1809-9823

Rev. bras. geriatr. gerontol. vol.14 no.1 Rio de Janeiro Jan./Mar. 2011

http://dx.doi.org/10.1590/S1809-98232011000100010 

ARTIGOS ORIGINAIS ORIGINAL ARTICLES

 

Contribuição das condições sociodemográficas para a percepção da qualidade de vida em idosos

 

Contribution of socio-demographic conditions for the perception of quality of life in the elderly

 

 

Keila Cristina Rausch PereiraI; Angela Maria AlvarezII; Jefferson Luiz TraebertI

IUniversidade do Sul de Santa Catarina. Departamento de Ciências Biológicas e da Saúde e de Ciências Sociais Aplicadas
IIUniversidade Federal de Santa Catarina. Departamento de Enfermagem. Florianópolis,SC, Brasil

Correspondência / Correspondence

 

 


RESUMO

Com o aumento da expectativa de vida da população, torna-se importante garantir aos idosos maior longevidade com qualidade de vida. Este estudo objetivou estimar a contribuição das condições sociodemográficas na percepção de qualidade de vida em idosos participantes dos grupos de convivência. Foram realizadas entrevistas com 141 idosos, sobre questões relacionadas a variáveis sociodemográficas e autoavaliação da qualidade de vida. O χ ² foi utilizado para testar associações. Para o domínio físico, as variáveis foram inseridas em um modelo de regressão logística múltipla não condicional. Resultados: 73% dos idosos responderam estar satisfeitos com sua qualidade de vida e 69,5% avaliaram sua saúde como boa. No domínio ambiental, a renda familiar e a escolaridade mostraram-se associadas. No domínio físico, a renda familiar, a escolaridade, a condição de estar sozinho e a idade de 80 anos ou mais mostraram-se associadas. A maioria da população investigada classificou sua qualidade de vida como boa, mas a idade avançada mostrou-se estatisticamente associada à pior percepção de qualidade de vida no domínio físico.

Palavras-chave: Qualidade de Vida. Idosos. Envelhecimento.


ABSTRACT

With the increase in life expectancy, it becomes important to ensure the elderly greater longevity with quality of life. This study aimed to estimate the contribution of socio-demographic conditions in the worst perception of quality of life in groups of elderly people. A sample of 141 elderly was interviewed regarding socio-demographic conditions and self-assessment of the quality of life. The X² was used to test associations. For the physical domain, the variables were entered into a model of non-conditional multiple logistic regression; 73% of the elderly answered to be satisfied with their quality of life and 69.5% rated their health as good. At the environmental domain, family income and education showed to be statistically associated. Family income, education, the condition of not having companionship currently and the age of 80 years or more showed association in the physical domain. The majority of the population investigated rated their quality of life as good or very good, however advanced age proved to be statistically associated with the worst perception of quality of life in the physical domain.

Key words: Quality of life. Elderly. Ageing.


 

 

Texto completo disponível apenas em PDF.

Full text available only in PDF format.

 

REFERÊNCIAS

1. Lima-Costa MF, Veras R. Saúde Pública e envelhecimento.Caderno de Saúde Pública; 2003,19 (3).         [ Links ]

2. Fleck MP, Leal OF, Louzada S, Xavier M, Chachamovich E, Vieira G, et al. Desenvolvimento da versão em português do instrumento de avaliação de qualidade de vida da OMS. Rev Bras Psiquiatr 1999; 21:21-8.         [ Links ]

3. Kalache A. O mundo envelhece: é imperativo criar um pacto de solidariedade social. Ciênc. saúde coletiva 2008;13(4).         [ Links ]

4. AlexandreTS, Cordeiro RC , Ramops LR. Factors associated to quality of life in active elderly. Rev. Saúde Pública 2009;43 (4)         [ Links ]

5. Willians TF. Geriatrics: Perspectives on Quality of Life and Care for Older People, In: Spilker B, (ed) .Quality of Life and Pharmacoeconomics in Clinical Trials. 2 ed. Philadelphia: Lippincott-Raven Publishers; 1996.         [ Links ]

6. Pereira RJ, Cotta RMM, Castro FSC, Ribeiro RCL, Sampaio RF, Priore SE, et al. Contribuição dos domínios físico, social, psicológico e ambiental para a qualidade de vida global de idosos. Rev psiquiatr 2006  Abr; 28(1): 27-38.         [ Links ]

7. Néri AL. Qualidade de vida e envelhecimento na mulher, In: Néri AL (org) Desenvolvimento e Envelhecimento. Campinas: Papirus; 2001.         [ Links ]

8. Meira EC, Souza AS, Souza DM, Santos MOD, Vasconcelos CCS. Conhecendo e intervindo junto ao idoso participante dos grupos de convivência para a terceira idade. in: Anais do 4. Congresso Brasileiro de Extensão Universitária; Belo Horizonte ; 2004.         [ Links ]

9. Erbolato RMPL. Relações Sociais na Velhice. In: Freitas, EVF, et al. Tratado de geriatria e gerontologia. 2 ed.São Paulo: Guanabara Koogan; 2006.         [ Links ]

10. Borges PLC, Bretas RP, Azevedo SF,Barbosa JMM. Perfil dos idosos freqüentadores de grupos de convivência em Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil. Cad. Saúde Pública  2008; 24(12).         [ Links ]

11. Carneiro RS, Falcone E, Clark C, Prette Z. A. Qualidade de vida, apoio Social e depressão em idosos, relação com habilidade Sociais. Rev psicol critica, 2004; 20(2).         [ Links ]

12. Prefeitura Municipal de Florianópolis. Secretaria de Desenvolvimento Social do idoso, adolescente e família. Memorando da relação dos grupos de convivência e asilos do Município de Florianópolis; 2006.         [ Links ]

13. The WHOQOL Group. The development of the World Health Organization Quality of Life Assessment Instrument (the WHOQOL), In: Orley J, Kuyken W, Quality of life assessment: international perspectives. Heidelberg: Springer Verlag; 1994. 41-60.         [ Links ]

14. Fleck MPA, Louzada S, Xavier M, Chachamovich E, Vieira G, Santos L, et al. Aplicação da versão em português do instrumento abreviado de avaliação da qualidade de vida "WHOQOL-Bref". Rev Saude Publica 2000; 34(2):178-83.         [ Links ]

15. Organización Mundial de la Salud. Promoción de la salud. Genebra: OMS;1998.         [ Links ]

16. Hwang HF, Liang WM, Chiu YN, Lin MR, Suitability of the WHOQOL-Bref for community-dwelling older people in Taiwan. Age Ageing 2003; 32(6):593-600.         [ Links ]

17. Hosmer DM, Lemeshow S. Applied logistic regression. New York: J. Wiley; 1989.         [ Links ]

18. Joia LC, Ruiz T, Donalisio MR. Life satisfaction among elderly population in the city of Botucatu, Southern Brazil. Rev Saúde Pública  2007; 41 (1).         [ Links ] 

19. Ministério da Justiça( Brasil). Política Nacional do Idoso. Declaração Universal dos Direitos Humanos. Brasília; 1998.         [ Links ]

20. Silva SRC, Junior AV. Avaliação das condições de saúde bucal dos idosos em um município brasileiro. Rev Panam Salud Publica/ Public Health  2000; 8(4).         [ Links ]

21. Pereira KCR.Impacto da saúde bucal na qualidade devida. [Dissertação]. --Tubarão 2004-2006; Universidade do Sul de Santa Catarina;2006.         [ Links ]

22. Papaléo Neto  M. Gerontologia. São Paulo: Atheneo; 1996. 313-23.         [ Links ]  

23. Léger ,JM, TessierJF, Mouty MD. Psicopatologia do envelhecimento: assistência a idosos. Rio de Janeiro :Vozes;1994.         [ Links ]

 

 

Correspondência / Correspondence
Keila Cristina Rausch Pereira
Rua Almirante Lamego, 910/604-B
88015-600 – Florianópolis, SC, Brasil
E-mail: keila.pereira@unisul.br

Recebido: 15/6/2009
Revisado: 25/11/2009
Aprovado: 14/8/2010

Creative Commons License All the contents of this journal, except where otherwise noted, is licensed under a Creative Commons Attribution License