SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.12 número1PROPRIEDADES MECÂNICAS DE CHAPAS AGLOMERADAS ESTRUTURAIS FABRICADAS COM MADEIRAS DE PINUS, EUCALIPTO E ACÁCIA-NEGRAFABRICAÇÃO DE CHAPAS DE PARTÍCULAS AGLOMERADAS USANDO GESSO COMO MATERIAL CIMENTANTE índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Ciência Florestal

versão impressa ISSN 0103-9954versão On-line ISSN 1980-5098

Ciênc. Florest. vol.12 no.1 Santa Maria jan./dez. 2002

https://doi.org/10.5902/198050981702 

Artigos

QUANTIFICAÇÃO E CARACTERIZAÇÃO ENERGÉTICA DA MADEIRA E CASCA DE ESPÉCIES DO CERRADO

ENERGETIC QUANTIFICATION AND CARACTERIZATION OF WOOD AND BARK OF SPECIES OF “ CERRADO”

Ailton Teixeira do Vale1 

Maria Aparecida Mourão Brasil2 

Alcides Lopes Leão3 

1. Engenheiro Florestal, Dr., Professor Adjunto do Departamento de Engenharia Florestal, Faculdade de Tecnologia, Universidade de Brasília, CEP 70910-900, Brasília (DF). atvale@unb.br

2. Engenheira Agrônoma, Drª, Professora Titular aposentada do Departamento de Recursos Naturais, Faculdade de Ciências Agronômicas, Universidade Estadual Paulista, CEP 18603-970, Botucatu (SP). mambrasil@laser.com.br

3. Engenheiro Agrônomo, Dr., Professor Livre Docente do Departamento de Recursos Naturais, Faculdade de Ciências Agronômicas, Universidade Estadual Paulista, CEP 18603-970, Botucatu (SP). alcidesleao@fca.unesp.br


RESUMO

Em uma faixa de cerrado sensu stricto, de 63,56 ha, da Fazenda Água Limpa, de propriedade da Universidade de Brasília-DF, foram delimitadas dez parcelas de 20 x 50 m cada nas quais se identificaram e meçam as alturas totais e o diâmetro, tomado a 30 cm de altura do solo, de todas as árvores com diâmetro igual ou superior a 5cm. Foram sorteadas para serem derrubadas e pesadas, no máximo três (3) indivíduos por espécie e por classe de diâmetro, em sete classes diametrais pré-estabelecidas (5-9; 9-13...., 29-33 cm). Em cada indivíduo, foram coletadas seções transversais a zero (base), 25, 50, 75 e 100% (topo) da altura do tronco, partindo da base, embaladas em sacos plásticos e levadas para laboratório, para obtenção da massa específica básica, do poder calorífico superior e dos teores de cinzas, materiais volátil e carbono fixo da madeira e da casca. Foram identificadas 47 espécies. A biomassa seca do povoamento apresentou 71% de madeira e 29% de casca, sendo a árvore formada, em média, de 53% de ramos e 47% de tronco. A produção média de biomassa seca total para a área foi de 12,38 t/ha, com variações individuais de 0,44 kg/ha (Symplocos rhaminifolia, com um indivíduo/ha) a 2.886,04 kg/ha (Sclerolobium paniculatum, com 46 indivíduos/ha). A produção média por árvore foi de 18,39 kg. A massa específica básica da madeira variou de 0,20 g/cm3 a 0,78 g/cm3 e a da casca de 0,17 g/cm3 a 0,67 g/cm,3. O poder calorífico superior variou de 4.516 kcal/kg a 4.989 kcal/kg, com média de 4.763 kcal/kg, enquanto o da casca variou de 4.187 kcal/kg a 5.738 kcal/kg. O teor de carbono fixo médio foi de 20,73% para a madeira e de 25,19% para a casca. Vochysia thysoidea destacou-se pela grande produção energética (392,49 Mcal/árvore, 20 árvores/ha e 7.849,80 Mcal/ha) em função da alta produção de biomassa tanto individual quanto por área, porém com características físicas da madeira inferiores (massa específica baixa - 0,49 g/cm3 e poder calorífico abaixo da média para a área - 4.713 kcal/kg). Acosmium dasycargpum por sua vez apresentou boas características da madeira (alto poder calorífico - 4.989 kcal/kg, alta massa específica - 0,74 g/cm3), mas com baixa produção energética (76,03 Mcal/árvore, 1 árvore/ha e 76,03 Mcal/ha) em função da baixa produção de biomassa. Houve, no entanto, espécies com boas características da madeira e com alta produção de biomassa, individual e/ou por área. São elas: Sclerolobium paniculatum (305,72 Mcal/árvore, 46 árvores/ha, 14.063,12 Mcal/ha, 0,72 g/cm3 e 4849 kcal/kg), Dalbergia miscolobium (80,26 Mcal/árvore, 84 árvores/ha, 6.741,84 Mcal/ha, 0,77 g/cm3 e 4896 kcal/kg) e Pterodon pubescens (473,69 Mcal/árvore, 14 árvores/ha, 6.631,66 Mcal/ha, 0,73 g/cm3 e 4953 kcal/kg). Essas espécies foram responsáveis por 45,85% de toda energia disponibilizada na forma de calor, ou seja, 27.437 Mcal/ha.

Palavras-chave: produção de energia; biomassa; cerrado

ABSTRACT

The purpose of this work was to study the production of energy in an area of sensu stricto cerrado located on the Água Limpa Farm, University of Brasilia - Brazil. Aerial biomass and the characteristics of the wood and bark of the species found in the total area of 63.56 ha were determined. In ten 20 m x 50 m plots, the total height and diameter, of all the trees whose diameters were either equal to or greater than 5 cm, at 30 cm from the ground, were measured. Seven diameter classes were pre-determined. Then, three trees of each species were cut down at random and classified according to its diameter class. The green biomass of the stem and branches of each species was measured in the field. In laboratory, humidity, the wood/bark ratio, specific gravity, heat combustion, the content of fixed carbon, volatile material and ash of the wood and bark were obtained from cross-sections. It was also possible to estimate the dry mass of the wood and branches per tree, species and hectare as well as the amount of heat generated by this cerrado community. Forty-seven species were identified. The dry biomass of the community comprised 71% of wood and 29% of bark and trees had an average 53% of branches and 47% of stem. The mean production of total dry biomass in the area was 12.38 t/ha. Mean tree production was 18.39 kg. The specific gravity of the wood ranged from 0.2 g/cm3 to 0.78 g/cm3, and the bark from 0.17 g/cm3 to 0.67 g/cm3. The heat combustion of the woods varied from 4,516 kcal/kg to 4,989 kcal/kg, whereas that of the bark ranged from 17,526 kJ/kg to 24,019 kJ/kg. The mean heat combustion of the wood was 19,937 kJ/kg. The mean fixed carbon content was 20.73% in the wood and 25.19% in the bark. Vochysia thyrsoidea presented a great energy production (1,643 MJ/tree, 20 trees/ha e 32,859.00 MJ/ha) due to a great biomass production, but with specific gravity low (0.49 g/cm3) and heat combustion low (19,728 kJ/kg). Acosmium dasycarpum showing wood with good characteristics (heat combustion - 20,883 kJ/kg, specific gravity - 0,74 g/cm3) did not outstand in the community due to their energy production (318.26 MJ/tree, 1 tree/ha e 318.26 MJ/ha) because their biomass production was low. Nonetheless, there were species that presented wood with good characteristics and high dry biomass production: Sclerolobium paniculatum (1,279 MJ/trees, 46 trees/ha, 58,834 MJ/ha, 0,72 g/cm3 e 20,298 kJ/kg), Dalbergia miscolobium (336 MJ/tree, 84 trees/ha, 28,224 MJ/ha, 0,77 g/cm3 e 20,495 kJ/kg) e Pterodon pubescens (1,983 MJ/tree, 14 trees/ha, 27,760 MJ/ha, 0,73 g/cm3 e 20,733 kJ/kg).

Keywords: energy production; biomass; “cerrado”

Texto completo disponível apenas em PDF.

Full text available only in PDF format.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

ABNT. NBR 8633/84: Rio de Janeiro, 1994. 13 p. [ Links ]

AROUCA, M. C.; GOMES, F. B. M.; ROSA, L. P. Estrutura da demanda de energia no setor residencial no Brasil e uma avaliação da energia para cocção de alimentos: área interdisciplinar de energia COPPE/UFRJ. Rio de Janeiro, 1983. 36p. (Série de publicações - AIE 002/83). [ Links ]

ASTM. AMERICAN SOCIETY FOR TESTING AND MATERIALS. D 1762-64 (Reapproved 1977). 578 p. [ Links ]

BRASIL. Ministério de Minas e Energia. Balanço energético nacional. Brasília, 2000. 154p. [ Links ]

BRITO, J.O.; BARRICHELO, L.E.G. Aspectos técnicos da utilização da madeira e carvão vegetal como combustíveis. In: SEMINÁRIO DE ABASTECIMENTO ENERGÉTICO INDUSTRIAL COM RECURSOS FLORESTAIS, 2., 1982, São Paulo. Anais... São Paulo, 1982. p. 101-137. [ Links ]

BRITO, J.O.; BARRICHELO, L.E.G. Características do eucalipto como combustível: análise química imediata da madeira e da casca. IPEF, v.16, p.63-78, 1978. [ Links ]

BRITO, J.O.; DEGLISE, X. States and potential of using wood for energy in Brazil. Revue Forestière Française, Paris, n.6, p.175-79, 1991. [ Links ]

BURGER, L. M.; RICHTER, H. G. Anatomia da madeira. São Paulo: Nobel, 1991. 154 p. [ Links ]

CASTILLO, M.U. Determinación del poder calorífico de 20 especies forestales de la Amazonia peruana. Revista Florestal do Peru, v.12, n.1-2, p.98-117, 1984. [ Links ]

CUNHA, M.P.S.C. et al. Estudo químico de 55 espécies lenhosas para geração de energia em caldeiras. In: ENCONTRO BRASILEIRO EM MADEIRAS E EM ESTRUTURAS DE MADEIRA, 3., 1989, São Carlos. Anais... São Carlos, 1989. v. 2, p.93-120. [ Links ]

FOELKEL, C.E.B.; BRASIL, M.A.M.; BARRICHELO, L.E.G. Métodos para determinação da densidade básica de cavacos para coníferas e folhosas. IPEF , n.2/3, p.65-74, 1971. [ Links ]

FURLEY, P.A.; RATTER, J.A. An assessment of soil constraints on the distribution of plant communities at Fazenda Água Limpa, Brasília, DF. In: INTERNATIONAL SYMPOSIUM ON BIOLOGY OF CERRADO PLANTS, 1990, Campinas. Anais ... Campinas, 1990. [ Links ]

GOLDEMBERG, J. Energia, meio ambiente & desenvolvimento. São Paulo: Ed. Universidade de São Paulo, 1998. 125p. [ Links ]

GRASSI, G.; PALZ, W. O futuro da biomassa na União Européia. Álcool. & Açúcar, n.76, p.28-34, 1988. [ Links ]

HALL, D. O. Biomass energy. Energy Policy - Renewables series, p. 711-737, Oct., 1991. [ Links ]

JARA, E.R.P. O poder calorífico de algumas madeiras que ocorrem no Brasil. IPT - Comunicação Técnica, n.1797, p. 1-6, 1977. [ Links ]

MARABOTO, M.T. et al. Poder calorífico e pirólise de dez espécies florestais da Amazônia Brasileira-Peruana. In: ENCONTRO BRASILEIRO EM MADEIRAS E EM ESTRUTURAS DE MADEIRA, 3., 1989, São Carlos. Anais... São Carlos, 1989. v.2, p.6-28. [ Links ]

MATA, H. T. C.; SOUZA, A. L. Estimativa do consumo residencial de lenha num distrito do Estado de Minas Gerais, Brasil. Rev. Árvore, Viçosa, v.24, n.1, p.63-71, 2000. [ Links ]

OLIVEIRA, A.D. et al. Avaliação econômica da vegetação de cerrado submetido a diferentes regimes de manejo e de povoamentos de eucalipto plantado em monocultivo. CERNE, v.4, n.1, p.34-56, 1998. [ Links ]

SILVA, F.C. Compartilhamento de nutrientes em diferentes componentes da biomassa aérea em espécies arbóreas de um cerrado. 1990. 80p. Dissertação (Mestrado em Ecologia) - Instituto de Ciências Biológicas, Departamento de Ecologia, Universidade de Brasília, Brasília. 1990. [ Links ]

SILVA, M.A. Mudanças na composição florística e estrutura de um cerrado sensu stricto em um período de 12 anos (1985-1997), na Fazenda Água Limpa (FAL) - Distrito Federal. Brasília. 1999. 62p. Dissertação (Mestrado em Ciências Florestais) - Faculdade de Tecnologia, Universidade de Brasília, Brasília. 1999. [ Links ]

VITAL, B.R. Métodos de determinação da densidade da madeira. Viçosa: SIF, 1984. 21p. (Boletim Técnico, 2). [ Links ]

VITAL, B.R. Tecnologia da Madeira: métodos para determinação do teor de umidade da madeira. Viçosa: SIF , 1997. 33p. (Boletim Técnico, 13). [ Links ]

Creative Commons License Este é um artigo publicado em acesso aberto sob uma licença Creative Commons