SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.14 issue2WILDFIRES IN SERRA DA CANASTRA NATIONAL PARK: CHALLENGES TO BIODIVERSITY CONSERVATIONEUROPEAN FOREST POLICY: VISION OR REALITY? author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Ciência Florestal

Print version ISSN 0103-9954On-line version ISSN 1980-5098

Ciênc. Florest. vol.14 no.2 Santa Maria July/Dec. 2004

https://doi.org/10.5902/198050981816 

Nota Técnica

ESTIMATIVAS DE ÁREA BASAL E USO DO RELASCÓPIO DE BITTERLICH EM AMOSTRAGEM DE FLORESTA ESTACIONAL DECIDUAL

ESTIMATES OF BASAL AREA AND THE USE OF BITTERLICH´S RELASCOPE FOR SAMPLING SEASONAL DECIDUOUS FOREST

André R. Terra Nascimento1 

Aldicir Scariot2 

José Alves da Silva2 

Anderson C. Sevilha3 

1Engenheiro Florestal, MSc., Doutorando em Ecologia pelo Instituto de Biociências, Universidade de Brasília, CEP 70910-900, Brasília (DF). arterra@unb.br

2Engenheiro Florestal, PhD., Técnico da Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia, Av. W3 Norte, s/n., Caixa Postal 02372, CEP 70770-900, Brasília (DF).

3Biólogo, MSc., Técnico da Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia, Av. W3 Norte, s/n., Caixa Postal 02372, CEP 70770-900, Brasília (DF).


RESUMO

A Floresta Estacional Decidual da região nordeste de Goiás é um tipo de vegetação florestal do grande bioma Cerrado, que pode ocorrer em áreas de afloramento de calcário e, geralmente, apresenta maior biomassa de espécies arbóreas que a vegetação de cerrado adjacente. Este estudo foi desenvolvido em uma área de floresta intacta (Fazenda Flor Ermo) e em quatro áreas de floresta perturbada (Fazendas Formosa, Traçadal, Manguinha e Conçeição Mocambo). O objetivo foi estimar a área basal e a intensidade amostral utilizando o relascópio de Bitterlich em florestas deciduais. A área basal foi de 29,3 m²/ha na floresta intacta e de 23 a 24 m²/ha nas perturbadas. As florestas com perturbação acentuada apresentaram curvas de distribuição do desvio padrão dos pontos de amostragem com pequena variação comparada com a curvas das áreas com baixo nível de perturbação. Para um limite de confiança de 95 % de probabilidade de confiança para a estimativa da média, 20 unidades amostrais com o relascópio podem ser suficientes para amostrar satisfatoriamente a área basal nesse tipo de vegetação.

Palavras-chave: intensidade amostral; inventário florestal; amostragem por pontos; floresta estacional decidual

ABSTRACT

The Deciduous Seasonal Forest of the Northeast region of the state of Goiás is one of the few types of forest formations in the Cerrado biome, which may occur in areas of limestone outcrops. Generally it has a higher biomass of tree species than the contiguous cerrado. This study was carried out in an undisturbed area of forest (Flor Ermo Farm) and in others four areas of disturbed forests: Formosa, Traçadal, Manguinha and Conceição Mocambo Farm. The study aimed to estimate the basal area and the sampling intensity needed to use Bitterlich´s relascope in the deciduous forests. Estimates of basal area of the plots ranged from 23 to 24 m²/ha in the disturbed forests up to a maximum of 29.3 m²/ha in the undisturbed one. Forests with high disturbance showed very small variation of the standard deviation curve for the sampled points when compared to the area with low disturbance level. For a confidence level of 95% estimate of the mean, 20 sampling points with the relascope can be enough to sample the basal area in this kind of vegetation.

Key words: sampling intensity; forest inventory; point sampling; seasonal deciduous forest.

Texto completo disponível apenas em PDF.

Full text available only in PDF format.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

ANDAHUR, J.P.V. Floresta e questões de gestão ambiental na bacia do vale do Paranã. 2001. 92p. Dissertação (Mestrado em Ciências Florestais). Universidade de Brasília, Brasília. [ Links ]

BREEDLOVE, D. E. Phytogeography and vegetation of Chiapas (México). In: GRAHAM, A. (ed.) Vegetation and vegetational history of Northern Latin America. Amsterdan: Elsevier Scientific Publishers. 1973, p. 140-165. [ Links ]

BROWN, S.; LUGO, A. E. Tropical secondary forests. Journal of Tropical Ecology, v. 6, p. 1-32, 1990. [ Links ]

BITTERLICH, W. Vorteile der variablen probekreistechnik. Allgemeine Forstzeitung. 8 p. 1960. [ Links ]

BUENO, P.C., SCARIOT, A.; SEVILHA, A.C. Estrutura populacional de espécies madeiráveis em áreas intacta e explorada de Floresta Decidual. Bol. Ezequias Paulo Heringer, 2001 (no prelo). [ Links ]

EWEL, J. Sucession. In: GOLLEY, F.B. (ed.) Tropical rain forest Ecosystems: structure and fuction. Amsterdam: Elsevier Scientific Publishing Company. 1983, p. 217-223. [ Links ]

FINEGAN, B. Bases ecológicas para el manejo de bosques secundarios de las zonas húmedas del trópico americano, recuperación de la biodiversidad y producción sostenible de madera. In: MEMORIAS DEL TALLER INTERNACIONAL SOBRE EL ESTADO ACTUAL Y POTENCIAL DE MANEJO Y DESARROLO DEL BOSQUE SECUNDARIO TROPICAL EN AMÉRICA LATINA. Pucalpa, Peru, Anais..., 1997, p. 106-119. [ Links ]

IBGE. Zoneamento Geoambiental e Agroecológico do Estado de Goiás: região nordeste Rio de Janeiro: IBGE, Divisão de Geociências do Centro-Oeste. 178 p. (Estudos e pesquisas em Geociências). 1994. [Hilton Lenzi Moreira (Coord.)]. [ Links ]

LOETSCH, F.; ZÖHRER, F.; HALLER, K.E. Forest inventory. 2 ed., Munique: BLV Verlagsgesellschaft. 1973, 469p. [ Links ]

LUÍZ, G. C. Estudo do impacto ambiental a partir da análise espaço-temporal - Caso da região Vão do Paranã - GO. 1998. Dissertação (Mestrado em Geociências)- Universidade Federal de Goiás, Goiânia. [ Links ]

MOSCOVICH, F.A.; BRENA, D.A.; LONGHI, S.J. Comparação de diferentes métodos de amostragem de área fixa e variável, em uma floresta de Araucaria angustifolia. Ciência Florestal, v.9, n.1, p.173-191, 1999. [ Links ]

PÉLLICO NETTO, S.; BRENA, D.A. Inventário florestal. Curitiba: Editado pelos autores. 1997, 316 p. [ Links ]

RIBEIRO, J. F.; WALTER, B. M. T. Fitofisionomias do bioma Cerrado. In: SANO, S.M; ALMEIDA, S.P. (eds.) Cerrado: ambiente e flora. Planaltina: EMBRAPA-CPAC, 1998, p. 89-166. [ Links ]

SAMPAIO, A.B. Efeito de borda nas espécies arbóreas de uma floresta Estacional Decidual no vale do Paranã. 2001. 82 p. Dissertação (Mestrado em Ecologia). Universidade de Brasília, Brasília. [ Links ]

SCARIOT, A.; SEVILHA, A.C. Diversidade, estrutura e manejo de florestas deciduais e as estratégias de conservação. In: CAVALCANTI, T.B.; WALTER, B.M.T. (Org.) Tópicos atuais em Botânica. Brasília: Sociedade Botânica do Brasil/Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia. 2000, p.183-188. [ Links ]

SCHNEIDER, P.R.; SILVA, J.A.; ANDRAE, F.; COZER, E.L. Estrutura e produção das florestas naturais ao longo do Rio Branco no território federal de Roraima. Ciência e Natura, v. 4, p. 115-127, 1982. [ Links ]

SNEDECOR, G.W.; COCHRAN, W. C. Statistical methods. The Iowa State University Press: United States of America. 1980, 507 p. [ Links ]

WHITMORE, T. C. Tropical forest disturbance, disappearance, and species loss. In: LAURANCE, W. F.; R. O. BIERREGAARD, JR. (eds.) Tropical Forest Remnants: Ecology, Management, and Conservation of Fragmented Communities. The University of Chicago Press: Chicago. 1997, p. 3-14. [ Links ]

ZAR, J. H. Biostatistical analysis. Prentice Hall: New Jersey. 1999, 663 p. [ Links ]

Recebido: 20 de Dezembro de 2002; Aceito: 04 de Outubro de 2004

Creative Commons License Este é um artigo publicado em acesso aberto sob uma licença Creative Commons