SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.20 número2RIGIDEZ E RESISTÊNCIA DE VIGAS ESTRUTURAIS DE MADEIRA LAMINADA COLADA E COM PERFIL I COMPOSTAS POR DIFERENTES ADESIVOSMODELOS DE CALIBRAÇÃO E A ESPECTROSCOPIA NO INFRAVERMELHO PRÓXIMO PARA PREDIÇÃO DAS PROPRIEDADES QUÍMICAS E DA DENSIDADE BÁSICA DA MADEIRA DE Eucalyptus índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

  • nova página do texto(beta)
  • Português (pdf)
  • Artigo em XML
  • Como citar este artigo
  • SciELO Analytics
  • Curriculum ScienTI
  • Tradução automática

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Ciência Florestal

versão impressa ISSN 0103-9954versão On-line ISSN 1980-5098

Ciênc. Florest. vol.20 no.2 Santa Maria abr./jun. 2010

http://dx.doi.org/10.5902/198050981858 

Artigo

DURABILIDADE NATURAL DA MADEIRA DE TRÊS ESPÉCIES FLORESTAIS EM ENSAIOS DE CAMPO

NATURAL DURABILITY OF THREE WOOD SPECIES IN FIELD TESTS

Rafael Rodolfo de Melo1 

Diego Martins Stangerlin2 

Elio José Santini3 

Clovis Roberto Haselein3 

Darci Alberto Gatto4 

Felipe Susin5 

1. Engenheiro Florestal, M.Sc., Professor Assistente da Universidade Federal do Piauí, Campus Professora Cinobelina Elvas, BR 135 km 03, CEP 64900-000, Bom Jesus (PI). rrmelo2@yahoo.com.br

2. Engenheiro Florestal, M.Sc., Professor do Assistente do Instituto de Ciências Agrárias e Ambientais, Universidade Federal de Mato Grosso, CEP 78550-000, Sinop (MT). diego_stangerlin@yahoo.com.br

3. Engenheiro Florestal, Dr., Professor Associado do Departamento de Ciências Florestais, Centro de Ciências Rurais, Universidade Federal de Santa Maria, Av. Roraima, 1000, CEP 97105-900, Santa Maria (RS).

4. Engenheiro Florestal, Dr. Professor Adjunto do Curso de Engenharia Industrial Madeireira, Faculdade de Engenharia Agrícola, Universidade Federal de Pelotas, Caixa Postal 354, CEP 96010-900, Pelotas (RS). darcigatto@yahoo.com

5. Engenheiro Florestal, Mestrando pelo Programa de Pós-Graduação em Engenharia Florestal, Centro de Ciências Rurais, Universidade Federal de Santa Maria, Av. Roraima, 1000, CEP 97105-900, Santa Maria (RS). felipets_86@yahoo.com.br


RESUMO

Com o objetivo de avaliar a durabilidade natural da madeira, amostras de alburno e de cerne de Luehea divaricata (açoita-cavalo), Carya illinoinensis (nogueira-pecã) e Platanus x acerifolia (plátano), medindo 2,5 x 2,5 x 30,0 cm (radial x tangencial x longitudinal), foram submetidas a ensaios experimentais em um povoamento de Pinus e em campo aberto. Durante um ano, as amostras foram periodicamente pesadas e avaliadas pelo critério de notas, para determinar o percentual de perda de massa e índice de deterioração, respectivamente. Os resultados mostraram que, independente da espécie e do tipo de lenho, o ambiente dentro da floresta é mais favorável a deterioração da madeira do que fora dele. Apesar da elevada correlações entre a perda de massa e o índice de deterioração foram observadas variações na avaliação da durabilidade da madeira entre esses critérios. Para todas as espécies, a madeira proveniente do alburno foi a mais atacada. Para perda de massa não foi observada diferença entre as espécies avaliadas, entretanto, o índice de deterioração apontou o plátano como a mais atacada.

Palavras-chave: deterioração da madeira; perda de massa; índice de deterioração

ABSTRACT

This work aimed to evaluate the natural durability of heartwood and sapwood of Luhea divaricata, Carya illinoinensis and Platanus x acerifolia. Test samples measuring 2.5 x 2.5 x 30.0 cm (radial x tangential x longitudinal) were placed in a pine forest stand and an open field. During a year, the samples were repeatedly weighed and evaluated by a rating system to determine mass loss and decay index, respectively. The results showed that regardless of species and type of wood, the forest environment is more favourable to decay than that of the open field. Despite the high correlation between mass loss and decay index, variations in the durability of wood were found between these parameters. The wood from the internal section of the log (sapwood) was the more affected. For mass loss, no significant variation was observed for the species analyzed, however, for the decay index Platanus x acerifolia was shown to be the most affected.

Keywords: deterioration of wood; mass loss; field test

Texto completo disponível apenas em PDF.

Full text available only in PDF format.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

ASTM. AMERICAN SOCIETY FOR TESTING AND MATERIALS. ASTM D 2017: Standard test method for accelerated laboratory test of natural decay resistance of wood. Annual Book of ASTM Standards, Philadelphia, v. 410, p. 324-328, 1994. [ Links ]

BARILLARI, C. T. Durabilidade da madeira do gênero Pinus tratada com preservantes: avaliação em campo de apodrecimento. 2002. 68f. Dissertação (Mestrado em Recursos Florestais) Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz, Universidade de São Paulo, Piracicaba, 2002. [ Links ]

BOTELHO, G. M. L.; SANTANA, M. A. E.; ALVES, M. V. S. Caracterização química, durabilidade natural e tratabilidade da madeira de seis espécies de Eucalyptus plantadas no Distrito Federal. Revista Árvore, Viçosa, v. 24, n. 1, p. 115- 121, 2000. [ Links ]

COSTA, A. F. et al. Durabilidade de madeiras tratadas e não tratadas em campo de apodrecimento. Floresta e Ambiente, Seropédica, v. 12, n. 1, p. 7-14, 2005. [ Links ]

GOMES, J. I.; FERREIRA, G. C. Durabilidade natural de quatro madeiras amazônicas em contato com o solo. Belém: Embrapa Amazônia Oriental, 2012. 6 p. (Comunicado Técnico v. 66). [ Links ]

LELIS, A. T. et al. Biodeterioração de madeiras em edificações. São Paulo: IPT, 2001. 54 p. [ Links ]

LEPAGE, E. S. Método sugerido pela IUFRO para ensaios de campo com estacas de madeira. Preservação de madeiras, v. 1, n. 4, p. 205-216. 1970. [ Links ]

LOPEZ, G. A. C.; MILANO, S. Avaliação da durabilidade natural da madeira e de produtos usados na sua preservação. In: LEPAGE, E.S. et al. Manual de preservação de madeiras. São Paulo: IPT- Divisão de Madeiras, 1986. v. 2, p. 473-521. [ Links ]

LUNZ, A. M. Degradação da madeira de seis essências arbóreas causadas por Scolytidade (Coleóptera). 2001. 160 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Florestais e Ambientais) Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, Seropédica, 2002. [ Links ]

MELO, R. R.; PAES, J. B. Resistência natural de quatro madeiras do semi-árido brasileiro a fungos xilófagos em condições de laboratório. Caatinga, Mossoró, v. 19, n. 2, p. 169-175, 2006. [ Links ]

MENDES, A. S.; ALVES, M. V. S. A degradação da madeira e sua preservação. Brasília: IBDF/LPF, 1988. 57 p. [ Links ]

PAES, J. B. et al. Resistência natural de nove madeiras do semi-árido brasileiro a cupins subterrâneos, em ensaio de laboratório. Cerne, Lavras, v. 9, n. 1, p. 36-47, 2003. [ Links ]

PAES, J. B.; MELO, R. R.; LIMA, C. R. Resistência natural de sete madeiras a fungos e cupins xilófagos em condições de laboratório. Cerne , Lavras, v. 13, p. 160-169, 2007. [ Links ]

PAES, J. B.; MORAIS, V. M.; LIMA, C. R. Resistência natural de nove espécies de madeiras do semi-árido brasileiro a fungos xilófagos em condições de laboratório. Revista Árvore , Viçosa, v. 28, n. 2, p. 275-282, 2004. [ Links ]

SANTINI, E. J. Biodeterioração e preservação da madeira. Santa Maria: CEPEF/FATEC, 1988. 125p. [ Links ]

SCHNEIDER, P. R.; SCHNEIDER, P. S. P.; SOUZA, C. A. M. Análise de regressão aplicada a Engenharia Florestal. 2. Ed. FACOS-UFSM, Santa Maria, 2009, 294p. [ Links ]

SILVA, I. D. et al. Efeito do extrato de sucupira (Pterodon emargina tus Vog.) sobr e o desenvolvimento de fungos e bactérias fitopatogênicos. Pesquisa Agropecuária Tropical, Goiânia, v. 35, n. 2, p. 109-115, 2005. [ Links ]

SAS. STATISTICAL ANALYSIS SYSTEM. Software computacional: Ambiente VM. Cary, New York, Versão 6.08, 1993. [ Links ]

TREVISAN, H. Degradação natural de toras e sua influência nas propriedades físicas e mecânicas da madeira de cinco espécies florestais. 2006. 56f. Dissertação (Mestrado em Ciências Florestais e Ambientais), Universidade Federal do Rio de Janeiro, Seropédica, 2006. [ Links ]

TREVISAN, H.; TIEPPO, F. M.; CARVALHO, A. G. Degradação natural de toras de cinco espécies florestais em dois ambientes. Floresta, Curitiba, v. 38, n. 1, p. 33-41, 2008. [ Links ]

TREVISAN, H. et al. Avaliação de propriedades físicas e mecânicas da madeira de cinco espécies florestais em função da deterioração em dois ambientes. Revista Árvore , Viçosa, v. 31, n. 1, p. 93-101, 2007. [ Links ]

Creative Commons License Este é um artigo publicado em acesso aberto sob uma licença Creative Commons