SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.33 número5Ocorrência do mofo cinzento causado por Botrytis cinerea em grevíleaReação de cultivares comerciais de tomateiro à mancha-fuliginosa índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Tropical Plant Pathology

versão impressa ISSN 1982-5676versão On-line ISSN 1983-2052

Trop. plant pathol. v.33 n.5 Brasília set./out. 2008

http://dx.doi.org/10.1590/S1982-56762008000500009 

SHORT COMMUNICATION COMUNICAÇÃO

 

Efeito de níveis de cálcio e sombreamento em plantas de soja sobre a infecção por Phakopsora pachyrhizi

 

Effect of calcium supply and shading on Phakopsora pachyrhizi infection

 

 

Daniel Debona; Lucas Navarini; Diego D. Favera; Ricardo S. Balardin

Departamento de Defesa Fitossanitária, Centro de Ciências Rurais, Universidade Federal de Santa Maria, 97111-970, Santa Maria, RS, Brasil

 

 


RESUMO

O objetivo desse trabalho foi avaliar o efeito de sete doses de cálcio (zero; 49,5: 99,0: 148,5: 198,0; 247,5 e 297,0 kg.ha-1) e dois níveis de sombreamento (sombra, pleno sol) em um sistema fatorial de 7x2.

Palavras chave: manejo de doença, ferrugem, Glycine max.


ABSTRACT

The objective of this work was to evaluate the effect of seven calcium rates (zero; 49,5: 99,0: 148,5: 198,0; 247,5 e 297,0 kg.ha-1) and two levels of shading (shading, shadeless) in a 7x2 factorial system.

Keywords: disease management, rust fungi, Glycine max.


 

 

A ferrugem asiática constitui-se na principal doença da cultura da soja (Glycine max). Condições climáticas favoráveis ao patógeno na maioria das regiões aliadas à sua alta virulência e velocidade de dispersão são fatores que tornam esta doença altamente agressiva. Acredita-se que o fornecimento de nutrientes de forma equilibrada possibilite ao hospedeiro uma maior expressão de seus mecanismos de defesa de forma a contribuir para a redução de severidade da doença. O trabalho teve por objetivo avaliar o efeito de níveis de suplementação com Ca e de sombreamento na severidade da ferrugem asiática da soja.

O ensaio foi desenvolvido em casa de vegetação da Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria RS, entre dezembro de 2005 e fevereiro de 2006, sendo conduzido em delineamento inteiramente casualizado com quatro repetições. Sementes da cultivar 'AL 83' foram semeadas em vasos plásticos contendo substrato composto de areia lavada, solo argiloso e casca de arroz não-carbonizada (3:1:2). Os 14 tratamentos foram dispostos em esquema fatorial 7x2 com sete níveis de Ca (zero; 49,5: 99,0: 148,5: 198,0; 247,5 e 297,0 kg.ha1), fornecidos na forma de calcário calcítico finamente moído (filler), e dois níveis de sombreamento (com e sem). Os níveis de sombreamento foram obtidos pelo espaçamento entre as hastes das plantas. Nos tratamentos não-sombreados a distância entre hastes foi de 50 cm e nos sombreados, de 30 cm. Estes, ao atingir estádio V3, foram circundados por vasos contendo plantas de soja de idade fisiológica mais avançada a fim de produzir autosombreamento no interior do dossel.

A inoculação com esporos de Phakopsora pachyrhizi Syd. & P. Syd. foi realizada no estádio V7 na concentração de 2x105 esporos.mL-1. Foi avaliada a severidade de ferrugem aos 7, 14 e 21 dias após a inoculação utilizando escala proposta por Godoy et al.(2006). Os dados foram submetidos à análise de variância, sendo a análise complementar realizada por regressão do fator quantitativo dentro de cada fator qualitativo.

Tanto o sombreamento quanto o suprimento com Ca afetaram a resposta das plantas de soja ao ataque do fungo. Para os tratamentos sombreados, a severidade final da ferrugem cresceu quadraticamente com a elevação na dose de Ca de 49,5 para 247,5 kg.ha-1, com posterior diminuição (Figura 1). A severidade observada na dose de 247,5 foi de 27,50% (ponto de máximo na função matemática). Nos tratamentos não-sombreados houve redução na severidade final da doença de 16,25% para 9,75% com o incremento nas doses de Ca de 49,5 a 247,5 kg.ha-1 (ponto de mínimo da função), seguido de elevação na severidade (Figura 2). O maior espaçamento provavelmente tenha possibilitado uma maior incorporação de Ca na forma de pectatos na parede celular, através do aumento da taxa fotossintética, dificultando fisicamente a penetração e colonização do patógeno. Um manejo que otimize a penetração de radiação solar no dossel da planta aliado a uma nutrição adequada contribui para a redução da severidade da ferrugem da soja.

 

 

 

 

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

Godoy C, Koga LJ, Canteri MG (2006) Diagrammatic scale for assessment of soybean rust severity. Fitopatologia Brasileira 31:63-68.         [ Links ]

 

 

Recebido 29 Setembro 2007
Aceito 15 Setembro 2008

 

 

Autor para correspondência: Ricardo S. Balardin, e-mail: balardin@balardin.com
TPP 7066
Editor Associado: Edson A. Pozza

Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons