SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.3 issue1Differents tasks, differents knowledges: the supervisor's action into informal education .SCIENTIFIC LITERACY IN THE EARLIER SERIES CONTEXT author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Ensaio Pesquisa em Educação em Ciências (Belo Horizonte)

Print version ISSN 1415-2150On-line version ISSN 1983-2117

Ens. Pesqui. Educ. Ciênc. (Belo Horizonte) vol.3 no.1 Belo Horizonte Jan./June 2001

http://dx.doi.org/10.1590/1983-21172001030103 

Artigos

MODOS DE RACIOCÍNIO DOS ESTUDANTES QUANDO A 3 a LEI DE NEWTON INTERVÉM NO ESTUDO DO FENÔMENO DO ATRITO

THE STUDENTS' WAYS OF REASONING WHEN THE NEWTON'S 3 th LAW INTERVENES IN THE STUDY OF THE FRICTION PHENOMENON

Helena Caldas1 

Edith Saltiel2 

1Departamento de Física, Centro de Ciências Exatas - Universidade Federal do Espírito Santo - UFES, Campus de Goiabeiras, Av. Fernando Ferrari, s/n.º; 29.060 - 900, Vitória-ES,Brasil. E-mail: helenac@npd.ufes.br

2Université Denis Diderot - Paris VII - Laboratoire de Didactique des Sciences Physiques - LDSP, Paris-França,Brasil. E-mail: esaltiel@ccr.jussieu.fr

Resumo:

Este trabalho investiga os modos de raciocínio de uma população variada, quer pelo seu país de origem quer pelo seu nível de ensino, em situações onde a 3â lei de Newton intervém no estudo do fenômeno do atrito sólido seco. Por meio das análises de vários questionários descrevendo situações físicas onde dois ou três corpos estão em contato, são colocadas em evidência as características destes modos de raciocínio. Ainda, uma análise de livros didáticos mostra que os estudantes encontram, na grande maioria destes, elementos que alimentam o tipo de resultados encontrados. Como decorrência do conjunto dos resultados obtidos, algumas recomendações sobre o tratamento do tema do atrito serão sugeridas, no que se relaciona especificamente com os aspectos abordados no trabalho.

Palavras-chave: ensino de física; atrito; 3a lei de Newton.

Summary:

This work investigates the ways of reasoning of a diverse population, as much for their country of origin as for their teaching level, in situations where the Newton's 3rd law intervenes in the study of the dry solid friction phenomenon. By means of the analyses of several questionnaires describing physical situations where two or three bodies are in contact, the characteristics of these ways of reasoning will stand out. Still, an analysis of text books shows that the students find elements, in the great majority of these books, which back up the type of results found. As a consequence of the amount of the results obtained, some recommendations on the treatment of the friction will be suggested specifically regarding the aspects approached in the work.

Keywords: physics education; friction; Newton's 3th law.

Texto completo disponível apenas em PDF.

Full text available only in PDF format.

REFERENCES

BOYLE, R. K. e MALONEY, D. P. (1991). Effet of written text on usage of Newton's third law. Journal of Research in Science Teaching 28 (2) : 123-140. [ Links ]

CALDAS, H. (1999). Atrito: o que diz a Física, o que os alunos pensam e o que os livros explicam Edufes, Vitória, ES, Brasil. [ Links ]

MALONEY, D. P. (1984). Rule-governed approaches to physics: Newton's third law. Physics Education 19: 37-42. [ Links ]

MENIGAUX, J. (1986). La schématisation des interactions en classe de troisième. Bulletim de l'Union des Physiciens 683: 761-778. [ Links ]

OGBORN, J. (1985). Understanding students' understandings: an example from dynamics. European Journal of Science Education 7 (2): 141-150. [ Links ]

SALTIEL, E. e MALGRANGE, J. L. (1980). 'Spontaneous' ways of reasoning in elementary mechanics. European Journal of Physics 1: 73-80. [ Links ]

TERRY, G. J. e SALTIEL, E. (1985). Children' s conceptual understanding of forces and equilibrium. Physics Education 20 (4): 162-165. [ Links ]

THORNTON, R. K. e SOKOLOFF, D. R. (1998). Assessing student learning of Newton's law: the force and motion conceptual evaluation and the evaluation of active learning laboratory and lecture curricula. American Journal of Physics 66: 338-352. [ Links ]

WHITELOCK, D. (1991). Investigating a model of commonsense thinking about cause of motion with 7 to 16 years old pupils. International Journal of Science Education 13(3): 321-340. [ Links ]

VIENNOT, L. (1979) Le raisonnement spontané en dynamique élémentaire. Hermann Paris. [ Links ]

VIENNOT, L. (1989)Bilan de forces et loi des actions réciproques. Analyse des difficultés des élèves et les enjeux didactiques.Bulletim de l'Union des Physiciens 716:951-970 [ Links ]

VIENNOT, L. (1996). Raisonner en physique. La part du sens commun De Boeck Université, Paris. [ Links ]

ALONSO, M. e FINN, E. J., 1972. Física: um curso universitário, 1 - Mecânica Edgard Blucher Ltda., São Paulo. [ Links ]

EISBERG, R. M. e LERNER, L. S., 1982. Física: fundamentos e aplicações volume 1 (4a) edição. McGraw-Hill do Brasil, São Paulo. [ Links ]

HALLIDAY, D., RESNICK, R. e WALTER, J., 1996. Fundamentos de Física: Mecânica volume 1Livros Técnicos e Científicos Editora S.A., Rio de Janeiro. [ Links ]

McKELVEY, J. P. e GROTCH, H., 1979. Física volume 1 Harbra, Editora Harper & Row do Brasil Ltda., São Paulo. [ Links ]

NUSSENZVEIG, H. M., 1987. Curso de física Básica, 1 - Mecânica Edgard Blucher Ltda., São Paulo. [ Links ]

SEARS, F., ZEMANSKY, M. W. e YOUNG, H. D., 1999. Física 1: Mecânica da Partícula e dos Corpos Rígidos (2a edição). Livros Técnicos e Científicos Editora S.A., Rio de Janeiro. [ Links ]

TIPLER, P. A., 2000. Física volume 1 (4a) edição. Livros Técnicos e Científicos Editora S.A., Rio de Janeiro. [ Links ]

1 Departamento de Física - Centro de Ciências Exatas - Universidade Federal do Espírito Santo - UFES Campus de Goiabeiras, Av. Fernando Ferrari, s/n.º; 29.060 - 900, Vitória - ES - Brasil - E-mail: helenac@npd.ufes.br

2 Université Denis Diderot - Paris VII - Laboratoire de Didactique des Sciences Physiques - LDSP, Paris, França - E-mail: esaltiel@ccr.jussieu.fr

3 As grandezas vetoriais serão sempre representados em negrito.

4 O termo "superfícies em contato" será sempre empregado no sentido geral: a superfície de contato entre dois sólidos poderá ser um ponto, uma linha ou uma superfície plana.

5 Como é de conhecimento geral, várias revistas internacionalmente reconhecidas na área, não recomendam, nas suas diretrizes para a elaboração de trabalhos empíricos, que estes sejam realizados com pequenos grupos populacionais. Interpretamos essa diretriz, como um certo consenso entre os pesquisadores da área, com o qual concordamos.

6 As perguntas a estes questionários são do mesmo tipo daquelas dos questionários A1 c e A2c (em anexo), aplicadas a um atrito estático.

7 As frases "em negrito" nas citações das justificativas da população interrogada, são por nós destacadas a fim de colocar em evidência os aspectos importantes para os objetivos do estudo.

8 Do francês efeito "Dessous-Dessus" que significa literalmente "Debaixo- De cima".

9 Referências bibliográficas em "Anexos".

Creative Commons License This is an open-access article distributed under the terms of the Creative Commons Attribution License