SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.24 issue1Improved climate organizational and classroom, satisfaction work and satisfaccion well being author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Fractal : Revista de Psicologia

On-line version ISSN 1984-0292

Fractal, Rev. Psicol. vol.24 no.1 Rio de Janeiro Jan./Apr. 2012

http://dx.doi.org/10.1590/S1984-02922012000100001 

Editorial

 

 

Com o volume 24.1 de Fractal: Revista de Psicologia, iniciamos as atividades de 2012. O volume começa com o artigo do professor Alejandro Adrian Cuadra-Peralta e outros, da Universidad de Chile intitulado "Mejorando el clima organizacional y de aula, satisfacción vital y laboral", que se sustenta em reflexões articuladas a partir de pesquisa em contexto educacional no Chile, afirmando-se a importância de se estudar a inter-relação entre a realidade vivida por professores e alunos. A seguir, temos o artigo das professoras Silvana Tuleski, Marta Chaves e Sonia Barroco, da Universidade Estadual de Maringá, intitulado "Aquisição da linguagem escrita e intervenções pedagógicas: uma abordagem histórico-cultural", em que se busca apresentar as contribuições teórico-metodológicas da abordagem histórico-cultural em psicologia, no sentido de compreender uma saída dialética para os impasses em torno das concepções de desenvolvimento em relação as intervenções sobre a aquisição da linguagem escrita. Logo após, temos o artigo de Cássia Rosato, da Universidade Federal de Pernambuco e do Instituto de Paz e Conflitos da Universidade de Granada, intitulado "El poder en la paz imperfecta y en Foucault", em que a autora busca indicar as diferenças e semelhanças entre as concepções de poder na perspectiva da "paz imperfeita" e na filosofia de Michel Foucault. O artigo seguinte é de autoria de Leonardo Carvalho Santos e Wilson Maranhão Sampaio da Universidade Salvador e é intitulado "Considerações sobre a civilização ocidental contemporânea a partir das perspectivas de Nietzsche e Freud", em que se pensam questões concernentes à civilização na perspectiva teórica dos dois autores citados, além de haver uma preocupação com as reflexões em curso sobre o tema no campo da psicologia como uma ciência humana.

O próximo artigo é de autoria de Silvia Castro e Ana Rudge da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro e se intitula "Notas sobre a clínica do trauma", em que se discute a chamada neurose traumática, a partir de um caso clínico, procurando estabelecer um diálogo entre a contemporaneidade da experiência clínica psicanalítica e o percurso de elaboração de conceitos referentes à neurose traumática por Freud e outros psicanalistas na primeira metade do século XX.  A seguir, temos o artigo de Carolina Rodrigues Alves de Souza e Daniel Menezes Coelho, da Universidade Federal de Sergipe, intitulado "O neutro em psicanálise: da técnica à ética", em que o autor procura apresentar a centralidade da noção de neutralidade na clínica psicanalítica e seu sentido tanto técnico quanto ético. O artigo seguinte foi escrito por Eloisa Aguiar, da Universidade Estácio de Sá, e se intitula "A psicoterapia diante da liberdade humana: uma discussão orteguiana", em que se problematiza a filosofia de Ortega y Gasset, para encontrar ressonâncias da discussão sobre o tema da liberdade na experiência da clínica psicológica. Logo após, escrito por Jéssica David, Felipe Hautequestt e Virginia Kastrup, da Universidade Federal do Rio de Janeiro, temos o artigo "Audiodescrição de filmes: experiência, objetividade e acessibilidade cultural", em que se problematiza o acesso cultural de deficientes visuais a filmes, indicando as peculiaridades cognitivas, além dos fatores sociais e culturais que cercam a pessoa com deficiência cognitiva, visando contribuir para as políticas de acessibilidade em desenvolvimento no Brasil. A seguir, temos o artigo escrito por Grace Tanikado e Cleci Maraschin da Universidade Federal do Rio Grande do Sul intitulado "Pesquisa, intervenção e tecnologias: dispositivos de virtualização de coletivos", em que se apontam elementos que emergiram em pesquisa, no campo da psicologia social, sobre a virtualização de práticas e a invenção de coletivos a partir de intervenção no campo da saúde mental com trabalhadores que construíram um website. Após o artigo anterior, contamos com o artigo de Érika de Oliveira e Manoel dos Santos, da Universidade de São Paulo, intitulado "Avaliação psicológica de pacientes com anorexia e bulimia nervosas: indicadores do método de Rorschach", em que se discutem dados coletados com pacientes com os dois quadros citados no título, a partir do uso do teste de Rorschach. Ainda temos o artigo de Igor Pinheiro, Maria Crepaldi e Roberto Cruz da Universidade Federal de Santa Catarina, intitulado "Entendeu ou quer que eu desenhe? Transições familiares através da visão sistêmica", em que se busca compreender as chamadas transições familiares por intermédio de uma concepção sistêmica e, finalmente, o artigo escrito por Rose de Freitas e Carolina Viola da Universidade Federal do Rio Grande do Sul intitulado "Como Perseu se defendeu da Medusa?", em que se propõe uma leitura da narrativa sobre Perseu, recorrendo a conceitos da psicanálise,  a partir da obra de Jacques Lacan. Temos, ainda, a resenha do livro As origens da vergonha escrito por Vincent de Gaulejac e editado por Via Lettera. Na seção dedicada a eventos, contamos com o resumo "Transtorno dismófico muscular". Convidamos nossos leitores a compartilharem conosco as reflexões e apontamentos teóricos presentes nos artigos que ora publicamos.

Marcelo Santana Ferreira
Editor de Fractal: Revista de Psicologia