SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.8 issue22A organização como religião LaicaAprendendo a aprender: análise de três estudos de caso em aprendizagem organizacional a partir do construtivismo author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Organizações & Sociedade

Print version ISSN 1413-585XOn-line version ISSN 1984-9230

Organ. Soc. vol.8 no.22 Salvador Sept./Dec. 2001

https://doi.org/10.1590/S1984-92302001000300002 

ARTIGOS / ARTICLES

 

Características culturais nacionais em organizações industriais do setor alimentício Paranaense

 

 

Patricia Tendolini OliveiraI; Clóvis L. Machado da SilvaII

IPesquisadora Assistente do Núcleo de Pesquisa em Organizações - NPO do Centro de Pesquisa e Pós-Graduação em Administração da Universidade Federal do Paraná
IIProfessor Titular e Coordenador do Núcleo de Pesquisa em Organizações - NPO do Centro de Pesquisa e Pós- Graduação em Administração da Universidade Federal do Paraná. Pesquisador 1-A do CNPq

 

 


RESUMO

No presente estudo procura-se ampliar a compreensão do fenômeno organizacional no Brasil, mediante a análise do nível de presença dos principais traços culturais nacionais nos diferentes estágios do ciclo de vida das empresas do setor alimentício no Estado do Paraná. Os resultados permitem afirmar que, para o conjunto das empresas pesquisadas, o nível de presença das características culturais personalismo, protecionismo/orientação pela autoridade externa, formalismo, receptividade positiva e orientação para o curto prazo varia de acordo com o estágio do ciclo de vida em que se encontram as organizações objeto da investigação, corroborando a hipótese básica da pesquisa. Já no que concerne às características protecionismo/postura de espectador, aversão à incerteza, jeitinho e receptividade negativa não se verificou a corroboração estatística da hipótese básica do estudo.


ABSTRACT

In order to better understand the organizational phenomenon in Brazil, this research analyzed the variation of the presence of the main Brazilian cultural traits in the different life cycle stages in the companies of the food industry in the State of Paraná. The results indicate that, among the companies under study, personalism, protectionism/orientation by external authority, formalism, positive receptivity and short-term orientation are characteristics that vary according to the organizational life cycle stage; so all of them corroborate the basic research hypothesis. On the other hand, protectionism/spectator's posture, aversion to uncertainty, jeitinho, and negative receptivity did not show statistical significance to the hypothesis testing.


 

 

Texto completo disponivel apenas em PDF.

Full text avaliable only in PDF.

 

 

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

ADIZES, I. Os ciclos de vida das organizações. São Paulo : Pioneira, 1990.         [ Links ]

AIDAR, M.; BRISOLA, A.; PRESTES MOTTA, F. C.; WOOD JR., T. Cultura organizacional brasileira. In: WOOD Jr., T. (Org.). Mudança Organizacional. São Paulo : Atlas, 1995.         [ Links ]

AMADO, G.; BRASIL, H. V. Organizational behaviors and cultural context: the brazilian 'jeitinho'. International Studies of Management and Organization, v. 21, n. 3, p. 38-61, 1991.         [ Links ]

AVELINO FILHO, G. Cordialidade e civilidade em raízes do brasil. RBCS, v. 12, n. 5, p. 5-14, 1990.         [ Links ]

AZEVEDO, F. A cultura brasileira. 5. ed., revista e ampliada. São Paulo : Melhoramentos, EDUSP, 1971.         [ Links ]

BARBOSA, L. O. Cultura administrativa: uma nova perspectiva das relações entre antropologia e administração. Revista de Administração de Empresas, v. 36, n. 4, p. 6-19, 1996.         [ Links ]

_____. O jeitinho brasileiro. Rio de Janeiro : Campus, 1992.         [ Links ]

BOSI, A. A cultura brasileira: temas e situações. 2. ed. São Paulo : Ática, 1992.         [ Links ]

BOWLES, M. The myth of management: direction and failure in contemporary organizations. Human Relations, v. 50, n. 7, p. 779-803, 1997.         [ Links ]

CALDAS, M. P. Santo de casa não faz milagre: condicionantes nacionais e implicações organizacionais da fixação brasileira pela figura do 'estrangeiro'. In: PRESTES MOTTA, F. P.; CALDAS, M. P. (Orgs.) Cultura organizacional e cultura brasileira. São Paulo : Atlas, p. 73- 93, 1997.         [ Links ]

_____; WOOD Jr., T. 'For the english to see': the importation of managerial technology in the late 20th-centuryBrazil. Organization, v. 4, n. 4, p. 517-534, 1997.         [ Links ]

_____; WOOD Jr., T. Antropofagia organizacional. In: XXII Encontro Anual da ANPAD (1998: Foz do Iguaçu). Anais... Foz do Iguaçu : ANPAD, CD ROM, 1998.         [ Links ]

CAMPOS, R. O. A sociologia do jeito. In: A técnica e o riso. Rio de Janeiro : Apec, p. IX-XXVII, 1966.         [ Links ]

CASTOR, B. V. J. O Brasil não é para amadores: estado, governo e burocracia na terra do jeitinho. Curitiba: EBEL : IBQP-PR, 2000.         [ Links ]

DAMATTA, R. Carnavais, malandros e heróis. 4. ed. Rio de Janeiro : Zahar, 1983.         [ Links ]

_____. A casa e a rua. São Paulo : Brasiliense, 1985.         [ Links ]

_____. O que faz o brasil, Brasil? 2. ed. Rio de Janeiro : Rocco, 1986.         [ Links ]

DAVEL, E. P. B.; VASCONCELOS, J. G. M. Gerência e autoridade nas empresas brasileiras: uma reflexão histórica e empírica sobre a dimensão paterna nas relações de trabalho. In: PRESTES

MOTTA, F. P.; CALDAS, M. P. Cultura organizacional e cultura brasileira. São Paulo : Atlas, p. 94-110, 1997.

DELLAGNELO, E. L.; MACHADO-DA-SILVA, C. L. Novas formas organizacionais: onde se encontram as evidências empíricas de ruptura com o modelo burocrático de organizações? Organizações & Sociedade, v. 7, n. 19, p. 19-34, 2000.         [ Links ]

DIÉGUES JÚNIOR. M. Pluralismo cultural e identidade nacional. Revista de Antropologia, v. 21, p. 3-11, 1978.         [ Links ]

FREITAS, A. B. Traços Brasileiros para uma análise organizacional. In: PRESTES MOTTA, F. P.;

CALDAS, M. P. Cultura organizacional e cultura brasileira. São Paulo : Atlas, p. 38-54, 1997.

FREYRE, G. Casa-Grande e Senzala. 23. ed. Rio de Janeiro : Livraria José Olympio, 1984.         [ Links ]

GOMES, A. C. A dialética da tradição. RBCS, v. 5, n. 12, p. 15-27, 1990.         [ Links ]

GREENWOOD, R.; HININGS, C. R. Organizational design types, tracks and the dynamics of strategic change. Organization Studies, v. 9, n. 3, p. 293-316, 1988.         [ Links ]

GUERREIRO RAMOS, A. A nova ciência das organizações. Rio de Janeiro : Fundação Getúlio Vargas, 1981.         [ Links ]

_____. Administração e estratégia do desenvolvimento. Rio de Janeiro : Fundação Getúlio Vargas, 1966.         [ Links ]

HERSKOVITS, M. Antropologia cultural. São Paulo: Mestre Jou, 1963.         [ Links ]

HICKSON, D. J.; MCMILLAN, C. (ed.). Organization and nation: the Aston programme IV. London : Gower, 1981.         [ Links ]

HOFSTEDE, G. Culture's consequences. Beverly Hills : Sage Publications, 1980.         [ Links ]

HOLANDA, S. B. Raízes do Brasil. São Paulo : Companhia das Letras, 1995.         [ Links ]

KALBERG, S. Max Weber's types of rationality: cornerstones for the analysis of rationalization processes in history. American Journal of Sociology, v. 85, n. 5, p. 1145–1179, 1980.

LAMBERT, J. Os dois Brasis. Rio de Janeiro : Instituto Nacional de Estudos Pedagógicos, Ministério da Educação e Cultura, 1959.         [ Links ]

LEITE, D. M. O caráter nacional brasileiro. 2. ed. São Paulo : Editora Pioneira, 1969.         [ Links ]

LIMA, E. O. Formalização e ciclo de vida organizacionais: uma apreciação teórica. In: XX Encontro Anual da ANPAD (1996: Rio de Janeiro). Anais... Rio de Janeiro : ANPAD, p. 335-353, 1996.         [ Links ]

MACHADO, B. P. Raízes do Brasil: uma re-leitura. Estudos Brasileiros, v. 2, p. 169-193, 1976.         [ Links ]

MACHADO-DA-SILVA, C. L.; FONSECA, V. S. Configuração estrutural da indústria calçadista de Novo Hamburgo. In: FENSTERSEIFER, J. E. (Org.). O complexo calçadista em perspectiva: tecnologia e competitividade. Porto Alegre: Ortiz, 1995, p. 217-245.         [ Links ]

MACHADO-DA-SILVA, C. L.; VIEIRA, M. M. F.; DELLAGNELO, E. H. L. Controle organizacional: uma abordagem a partir do conceito de ciclo de vida. In: XVI Encontro Anual da ANPAD (1992: Rio Grande do Sul). Anais... Salvador : ANPAD, v. 5, p. 126 138, 1992.         [ Links ]

_____; VIEIRA, M. M. F.; DELLAGNELO, E. H. L. Ciclo de vida, controle e tecnologia: um modelo para análise das organizações. Organizações e Sociedade , v. 5, n. 11, p. 77-104, 1998.         [ Links ]

MATHEUS, T. C. Inverno social: uma discussão psicanalítica sobre o imaginário da lei no Brasil. IN: PRESTES MOTTA, F. P.; CALDAS, M. P. Cultura organizacional e cultura brasileira. São Paulo : Atlas, p. 129-142, 1997.         [ Links ]

MILLER, D.; FRIESEN, P. H. A longitudinal study of the corporate life cycle. Management Science, v. 30, n. 10, p. 1161-1183, 1984.         [ Links ]

MILLER, G. A. Meta-analysis and the culture-free hypothesis. Organization Studies, v. 8, n. 4, p. 309-325, 1987.         [ Links ]

MORGAN, G. Imagens da organização. São Paulo : Atlas, 1996.         [ Links ]

OLIVEN, R. G. Antropologia e a diversidade cultural no Brasil. Revista de Antropologia, v. 33, p. 119-139, 1990.         [ Links ]

O'RAND, A. M.; KRECKER, M. Concepts of the life cycle: their history, meanings, and uses in the social sciences. Annual Review of Sociology, v. 16, n. 1, p. 241-262, 1990.         [ Links ]

PRATES, M. A. S.; BARROS, B. T. O estilo brasileiro de administrar: sumário de um modelo de ação cultural brasileiro com base na gestão empresarial. In: PRESTES MOTTA, F. C.;

CALDAS, M. P. Cultura organizacional e cultura brasileira. São Paulo : Atlas, p. 55-69, 1997.

PRESTES MOTTA, F. C.; CALDAS, M. P. Introdução: cultura organizacional e cultura brasileira. In: PRESTES MOTTA, F. C.; CALDAS, M. P. Cultura organizacional e cultura brasileira. São Paulo : Atlas, p. 15-21, 1997.         [ Links ]

_____; ALCADIPANI, R. Jeitinho brasileiro, controle social e competição. Revista de Administração de Empresas, v. 39, n. 1, p. 6-12, 1999.         [ Links ]

PRESTHUS, R. The organizational society: an analysis and a theory. New York : Random House, 1962.         [ Links ]

_____. The organizational society – revised edition. New York: St. Martin's Press, 1978.

QUINN, R. E.; CAMERON, K. Organizational life cycles and shifting criteria of effectiveness: some preliminary evidence. Management Science, v. 29, n. 1, p. 33-51, 1983.         [ Links ]

RIBEIRO, D, O povo brasileiro: a formação e o sentido do Brasil. São Paulo : Companhia das Letras, 1995.         [ Links ]

_____. Teoria do Brasil. Rio de Janeiro : Paz e Terra, 1972.         [ Links ] RIGGS, F. W. A ecologia da administração pública. Rio de Janeiro : USAID, 1964.         [ Links ]

_____. Administração nos países em desenvolvimento. Rio de Janeiro : Fundação Getúlio Vargas, 1968.         [ Links ]

SEGATO, R. L. Formações de diversidade: nação e opções religiosas no contexto da globalização. Série Antropologia, n. 215, 1997.         [ Links ]

SERVA, M. Contribuições para uma teoria organizacional brasileira. Revista de Administração Pública, v. 24, n. 2, p. 10-21, 1990.         [ Links ]

TAYEB, M. Organizations and national culture: methodology considered. Organization Studies, v. 15, n. 3, p. 429-446, 1994.         [ Links ]

THIRY-CHERQUES, H. R. A rebeldia conservadora: aspectos da resistência à modernização nas organizações brasileiras. Revista de Administração de Empresas, v. 35, n. 1, p. 30-37, 1995.         [ Links ]

VASCONCELLOS, J. G. M. A invenção do coronel. Vitória : EDUFES, 1995.         [ Links ]

VIEIRA, C. A.; COSTA, F. L.; BARBOSA, L. O. O "jeitinho" brasileiro como um recurso de poder. Revista de Administração Pública, v. 16, n. 2, p. 5-31, 1982.         [ Links ]

WEBER, M. Economia e sociedade: fundamentos da sociologia compreensiva. Brasília: Editora da UnB, 1991. 1.v.         [ Links ]

Creative Commons License All the contents of this journal, except where otherwise noted, is licensed under a Creative Commons Attribution License