SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.10 issue28Repensando a relação ensinoaprendizagem em administração: argumentos teóricos, práticas e recursos author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Organizações & Sociedade

On-line version ISSN 1984-9230

Organ. Soc. vol.10 no.28 Salvador Sept./Dec. 2003

http://dx.doi.org/10.1590/S1984-92302003000400010 

ENSAIO

 

Organizações complexas e sociedade da informação. o "sofrimento" como metáfora organizacional

 

 

Marco Aurélio Nogueira

Prof. da Faculdade de Ciências e Letras/UNESP, Campus de Araraquara

 

 


RESUMO

O artigo procura argumentar que a metáfora do "sofrimento organizacional" pode ser um recurso para que se volte a discutir o tema da gestão democrática e da convivência em organizações complexas. Uma rápida reconstrução da trajetória do organicismo nos estudos sociológicos e nas teorias organizacionais serve para que se possa distinguir entre um organicismo funcionalista e outro, dialético. A partir da fixação de alguns pontos para a compreensão das sociedades contemporâneas como sociedades informacionais, submetidas à inovação tecnológica contínua e à mudança acelerada, procura sustentar que o "sofrimento" aparece como reflexo de um quadro organizacional cortado pela dificuldade de compor diferenças e unificar.


ABSTRACT

The article tries to argue that the metaphor of the "organizational suffering" can be a resource to discuss the democratic management and the living together in complex organizations. A brief historical reconstruction of the organicist vision in sociological studies is used to distinguish between a functionalist and a dialectical organicism. The organizations are then analyzed in interaction with the social ambient. After to present the contemporaneous societies as informational societies, submitted to a continual technological progress and to an accelerate change, the article sustain that the "suffering" reflects an organizational scenario in which is difficult to compose differences and unifying.


 

 

Texto completo disponivel apenas em PDF.

Full text avaliable only in PDF.

 

 

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

ANTUNES, R. Os sentidos do trabalho. Ensaio sobre a afirmação e a negação do trabalho. Sexta edição. São Paulo, Boitempo Editorial, 2002.         [ Links ]

BAUER, R. Gestão da mudança: caos e complexidade nas organizações. São Paulo, Atlas, 1999.         [ Links ]

BAUMAN, Z. O Mal-Estar da Pós-Modernidade. Tradução de Mauro Gama e Cláudia Martinelli Gama, Rio de Janeiro, Jorge Zahar Editor, 1998.         [ Links ]

BECK, U. O que é globalização? Equívocos do globalismo, respostas à globalização. São Paulo, Paz e Terra, 1999.         [ Links ]

CAMPOS, G.W.S. Um método para análise e co-gestão de coletivos. São Paulo, Editora Hucitec, 2000.         [ Links ]

CAPPELLE, M.C.A. & BRITO, M.J. Poder disciplinar e gestão de pessoas: um estudo empírico em uma organização de desenvolvimento de software. Organizações & Sociedade, v. 10, nº 26, Jan/Abr 2003, p. 19-37.         [ Links ]

CASTELLS, M. A Sociedade em Rede. Tradução de Roneide Venâncio Majer. São Paulo, Editora Paz e Terra, 1999.         [ Links ]

DURKHEIM, E. La sociologie en France au XIX° siècle. In id., La science sociale et l’action. Paris, Presses Universitaires de France, 1970.

——————. Lezioni di Sociologia. Fisica dei costumi e del diritto. Roma, Etas Libri, 1978.         [ Links ]

——————. As Regras do Método Sociológico. Tradução de Maria Isaura Pereira de Queiroz. São Paulo, Companhia Editora Nacional, 1968.         [ Links ]

ETZIONI, A. Organizações Modernas. Sétima edição. Tradução de Miriam L. Moreira Leite. São Paulo, Pioneira, 1984.         [ Links ]

FAYOL, H. Administração industrial e geral: previsão, organização, comando, coordenação, controle. Décima edição. São Paulo, Atlas, 1989.         [ Links ]

FREUD, S. O Mal-Estar na Civilização. Tradução de José Octávio de Aguiar Abreu. Rio de Janeiro, Imago, 1997.         [ Links ]

FROST, P.J. Toxic Emotions at Work. Harvard Business School Press, 2003.         [ Links ]

GRAMSCI, A. Cadernos do Cárcere. Vol. 2: Os intelectuais. O princípio educativo. Jornalismo. Edição de Carlos Nelson Coutinho, Luiz Sérgio Henriques e Marco Aurélio Nogueira. Rio de Janeiro, Civilização Brasileira, 2000.         [ Links ]

KANIGEL, R. The One Best Way: Frederick Winslow Taylor and the Enigma of Efficiency. New York, Viking Pressa, 1997.         [ Links ]

MARCH, J. G. & OLSEN, J. P. Rediscovering Institutions: The Organizational Basis of Politics. New York, The Free Press, 1989.         [ Links ]

MARCUSE, H. A ideologia da sociedade industrial, Rio de Janeiro, Zahar, 1969.         [ Links ]

MOTTA, P. R. Gestão contemporânea: a ciência e a arte de ser dirigente. Rio de Janeiro, Record, 1991.         [ Links ]

NOGUEIRA, M.A. Em Defesa da Política. São Paulo, Editora Senac, 2001.         [ Links ]

PAHL, R. Depois do sucesso. Ansiedade e Identidade Fin-de-Siècle. Tradução de Gilson César Cardoso de Souza. São Paulo, Editora UNESP, 1997.         [ Links ]

PARSONS, T. The Social System. New York, The Free Press, 1964.         [ Links ]

——————. Sociedades. Perspectivas evolutivas e comparativas. Tradução de Dante Moreira Leite. São Paulo, Pioneira, 1969.         [ Links ]

ROUANET, S. P. O Mal-Estar na Modernidade, São Paulo, Companhia das Letras, 1999.         [ Links ]

SENNETT, R. A corrosão do caráter. Conseqüências pessoais do trabalho no novo capitalismo. Tradução de Marcos Santarrita. Rio de Janeiro, Editora Record, 1999.         [ Links ]

SIMON, H. A. Administrative Behavior: A Study of Decision-Making Processes in Administrative Organization. 4Th Edition. New York, The Free Press, 1997        [ Links ]

TAYLOR, C. Il disagio della modernità. Roma-Bari, Laterza, 1994.         [ Links ]

TAYLOR, F. W. Princípios de administração científica. Oitava edição. São Paulo, Atlas, 1990.         [ Links ]

VASCONCELOS, I.F.G. & VASCONCELOS, F. Identidade, legitimação social e teoria organizacional: contribuições de uma análise sociológica da política de gestão de pessoas da Natura. Organizações & Sociedade, v. 10, nº 27, Maio/Agosto de 2003, p. 41-59.         [ Links ]

Creative Commons License All the contents of this journal, except where otherwise noted, is licensed under a Creative Commons Attribution License