SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.12 issue32Perspectiva de formação de alianças internacionais: um estudo de caso na metasaA regulação das águas no semi-árido baiano author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Organizações & Sociedade

On-line version ISSN 1984-9230

Organ. Soc. vol.12 no.32 Salvador Jan./Mar. 2005

https://doi.org/10.1590/S1984-92302005000100003 

ARTIGOS ARTICLES

 

Sucessão de dirigentes na empresa familiar: estratégias observadas na família empresária

 

 

Cátia TillmannI; Denise GrzybovskiII

IGraduada em Administração/UPF (Universidade de Passo Fundo)
IIProfª. CEPEAC/FEAC/UPF

 

 


RESUMO

Tendência mundial de empresas familiares é desaparecer ao ingressar a terceira A geração. Parece evidente que a sobrevivência dessas empresas depende, entre outros aspectos, do desenvolvimento de estratégias sistemáticas de sucessão, as quais podem resultar em mudanças organizacionais profundas. Este artigo consiste em uma análise teórico-empírica do comportamento e das atitudes de sucedidos e sucessores de empresas familiares, objetivando identificar as estratégias desenvolvidas por famílias empresárias para conduzir os herdeiros à gestão nas empresas familiares. O método adotado foi o multicaso, com análise qualitativa dos dados, dos quais foram analisadas no tempo as estratégias sistemáticas adotadas para a sucessão de dirigentes da família na empresa familiar. O arcabouço teórico contempla a noção de estratégia e de estratégia empresarial, bem como o conceito de empresa familiar e de sucessão a partir dos ciclos de vida apresentados por Gersick e outros (1997).


ABSTRACT

A worldwide tendency of family enterprises is to die when third generation takes on. It seems evident that the survival of this kind of enterprises depends, among other things, on the development of systematic succession strategies able to guide the company into deep organizational changes. The present article consists in a theoretical empirical analysis of the behavior and attitudes of family enterprises predecessor and successor. The aim is to identify the strategies developed by business families in order to conduct inheritors to the managemnet of family enterprises. The method used in the study was "multi case" with qualitative analysis of data. The systematic strategies applied during succession period were analyzed through the time. The theoretical content includes strategy and business strategy notions, besides the concept of family enterprise and succession based on life circles theory introduced by Gersick and others (1997).


 

 

Texto completo disponível apenas em PDF.

Full text available only in PDF format.

 

 

REFERÊNCIAS

ARGYRIS, C. Enfrentando defesas empresariais: facilitando o aprendizado organizacional. Rio de Janeiro: Campus, 1992.         [ Links ]

BARBETTA, P. A. Estatística aplicada às ciências sociais. Florianópolis: UFSC, 1994.         [ Links ]

BARDIN, L. Análise de conteúdo. Lisboa, Portugal: Edições 70, 1977.         [ Links ]

BERNHOEFT, R. Empresa familiar: sucessão profissionalizada ou sobrevivência comprometida. São Paulo: Nobel, 1989.         [ Links ]

BETHLEM, A. Gestão de negócios: uma abordagem brasileira. Rio de Janeiro: Campus, 1999.         [ Links ]

CHRISMAN, J. J.; HOFER, C. W.; BOULTON, W. R. Toward a system for classifying business strategies. Academy of Management Review. v.13, n.3, p.413-428, 1988.         [ Links ]

DAVEL E.; COLBARI, A. Organizações familiares: por uma introdução a sua tradição, contemporaneidade e multidisciplinaridade. Organizações & Sociedade, Bahia, v.7, n. 18,. p. 45-64, mai./ago. 2000.         [ Links ]

DAVEL, E. P. B.; VASCONCELOS, J. G. M. Gerência e autoridade nas empresas brasileiras: uma reflexão histórica e empírica sobre a dimensão paterna nas relações de trabalho. In: MOTTA, F. C. P.; CALDAS, M. P. (Org.). Cultura organizacional e cultura brasileira. São Paulo: Atlas, 1997. p.94-110.         [ Links ]

DE GEUS, A. Sobrevivência na nova selva. HSM Management, 29 nov./dez., p.6066, 2001.         [ Links ]

DONNELEY, R. G. The family business. Harvard Business Review, v. 42, n. 4, p. 93-105, 1964.         [ Links ]

FRITZ, R. Empresa familiar: uma visão empreendedora. São Paulo: Makron, 1993.         [ Links ]

GARVIN, D. A. Building a learning organization. Harvard Business Review, July/ Aug, p.78-91, 1993.         [ Links ]

GERSICK et al. De geração para geração: ciclos de vida da empresa familiar. 3.ed. São Paulo: Negócio, 1997.         [ Links ]

GIMENEZ, F. A. et al. Estratégia em pequenas empresas: uma aplicação do modelo de Miles e Snow. Revista de Administração Contemporânea, v.3, n.2, mai./ago. p.53-74, 1999.         [ Links ]

GOLDENBERG et al. Inovação no ponto certo. Harvard Business Review, v. 81, n.3, mar. p.84-92, 2003.         [ Links ]

GRZYBOVSKI, D. O administrador na empresa familiar: uma abordagem comportamental. Passo Fundo: Ediupf, 2002.         [ Links ]

KIM, D. H. O elo entre a aprendizagem individual e a aprendizagem organizacional. In: KLEIN D. A gestão estratégica do capital intelectual. Rio de Janeiro: Qualitymark, 1998. p.61-92.         [ Links ]

LANZANA, A.; COSTANZI, R. As empresas brasileiras diante do atual panorama econômico mundial. In: MARTINS, I. G. S.; MENEZES, P. L.; BERNHOEFT, R. (coord.). Empresas brasileiras: perfil e perspectivas. São Paulo: Negócio, 1999.         [ Links ]

LETHBRIDGE, E. Tendências da empresa familiar no mundo. Revista do BNDES, Brasília, n.7, jun. 1997.         [ Links ]

LODI, J. B. A empresa familiar. 4.ed., São Paulo: Pioneira, 1993.         [ Links ]

MILES, R. E.; SNOW, C. C. Organizational strategy, structure and process. New York: McGraw-Hill, 1978.         [ Links ]

MINAYO, M. C. S. Pesquisa social: teoria, método e criatividade. Petrópolis: Vozes, 1994.         [ Links ]

MINTZBERG, H. Strategy formulation as a historical process. International Studies of Management and Organization, Summer, v.7, n.2, p.28-40, 1977.         [ Links ]

______. Crafting Strategy. Harvard Business Review. July-August, 1987.         [ Links ]

PORTER, M. E. Competitive advantage. New York: The Free Press. 1985.         [ Links ]

______. Estratégia competitiva: técnicas para análise de indústrias e da concorrência. 13.ed., Rio de Janeiro: Campus, 1997.         [ Links ]

RICCA, D. Da empresa familiar à empresa profissional. México: CLA Cultural, 1993.         [ Links ]

TOLBERT, P. S.; ZUCKER, L. G. A institucionalização da teoria institucional. In: CLEGG, S. R.; HARDY, C.; NORD, W. R. (orgs.) Handbook de Estudos Organizacionais: modelos de análise e novas questões em estudos organizacionais, v.1, cap. 6, p.196-219, São Paulo: Atlas, 1999.         [ Links ]

Creative Commons License All the contents of this journal, except where otherwise noted, is licensed under a Creative Commons Attribution License