SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.15 issue46Institucionalização de hábitos e rotinas da controladoria em empresas do estado de Santa CatarinaComposition of small and large firms’ business networks in transition economies author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Organizações & Sociedade

On-line version ISSN 1984-9230

Organ. Soc. vol.15 no.46 Salvador July/Sept. 2008

https://doi.org/10.1590/S1984-92302008000300009 

ARTIGOS

 

Gestão de pessoas por competência: institucionalização, possibilidades e dificuldades implícitas nas relações trabalhistas brasileiras

 

 

Heitor AppelI; Claudia Cristina BitencourtII

IProf. Universidade do Vale do Rio dos Sinos (UNISINOS)
IIProfa. Universidade do Vale do Rio dos Sinos (UNISINOS)

 

 


RESUMO

Este trabalho apresenta uma reflexão sobre a implantação do "modelo" de Gestão de Pessoas por Competências (GPC) e os elementos dificultadores para sua institucionalização, em especial aqueles ligados à legislação. A abordagem da institucionalização é investigada tendo em vista o aumento de empresas que aderem de formas diferentes ao "modelo" no Brasil. Para tanto, realiza-se inicialmente uma revisão da literatura sobre a GPC, em seus aspectos conceituais; a Teoria da Institucionalização e de seus processos; a normatização das relações sociais e sua relação com a GPC. Trata-se de uma pesquisa qualitativa e exploratória, baseada em entrevistas em profundidade com pesquisadores e atores que trabalham com o tema. Das entrevistas emergem categorias de análise para a comparação das diversas percepções. Os principais resultados apontam para os elementos dificultadores à implementação da GPC; para desmistificação da equiparação salarial e dos aspectos legais envolvidos; e para os espaços normativos mais adequados para institucionalização da GPC.


ABSTRACT

This paper presents some reflections on the deployment of Managing People by Competencies (MPC) and the elements that hamper its institutionalization, especially those related to legislation. The institutionalization approach is relevant to be in vestigated due to the increase of firms that adhere to different forms of the "competency model" in Brazil. To this end we started with an initial review of the literature on MPC, in its conceptual aspects, the Theory of Institutionalization and its processes, the standardization of social relations and its relationship with the MPC. This research is qualitative and exploratory, based on in-depth interviews with researchers and actors who work with the theme. The categories of analysis emerged from the interviews based on the comparison of different perceptions. The main results points out the elements that hamper the implementation of the MPC, the demystification of wage assimilation and legal aspects involved, and the necessity of a more appropriate normative space for institutionalization of MPCs.


 

 

Texto completo disponível apenas em PDF.

Full text available only in PDF format.

 

 

Referências

BARBOSA, A. C. Q. Gestão de competências e o impacto na gestão de pessoas: uma análise em grandes organizações em Minas Gerais. Relatório CNPq, 2002.         [ Links ]

BARBOSA, A. C. Q. Gestão de competências: da experiência organizacional à proposta setorial e/ou por categorias Profissionais. Um estudo de modelos setoriais e/ou por categorias profissionais no Brasil. Belo Horizonte, Relatório de Pesquisa, 2008.         [ Links ]

BARDIN, Laurence. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70, 1995.         [ Links ]

BITENCOURT, C. C. A gestão de competências gerenciais – A contribuição da aprendizagem organizacional. Tese (Doutorado). Escola de Administração, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2001.

BITENCOURT, C.C. A análise e a articulação estratégica das competências organizacionais em setores agroindustriais no Rio Grande do Sul - o caso das indústrias de vinho, aves e suínos. Porto Alegre, Relatório de Pesquisa, 2007.         [ Links ]

BITENCOURT, C.C. Desdobramento das estratégias organizacionais e o reflexo nas práticas de gestão - uma análise da articulação entre as competências organizacionais e gerenciais. Porto Alegre, Relatório de Pesquisa, 2004.         [ Links ]

BITENCOURT, C. C.; BARBOSA, A. C. Q. A gestão de competências. In: BITENCOURT, C.C.(Org) Gestão contemporânea de pessoas. Porto Alegre: Bookman, 2004.         [ Links ]

BOTERF, G. Desenvolvendo a competência dos profissionais. Porto Alegre: Bookman, 2003.         [ Links ]

DALLAGNOL, I. C. F. A articulação entre as competências organizacionais e gerenciais em uma instituição de ensino superior: o caso da Unisinos. Dissertação de Mestrado. Escola de Administração, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2004.         [ Links ]

DiMAGGIO, P. J.; POWELL, W.W. The new institutionalism in organizational analysis. Chicago: The University of Chicago Press, 1991.         [ Links ]

DINIZ, M. H. Conceito de norma jurídica como problema de essência. São Paulo: Saraiva, 1996.         [ Links ]

DUTRA, J.S. Competências: conceitos e instrumentos para a gestão de pessoas na empresa Moderna. São Paulo: Atlas, 2004.         [ Links ]

FLEURY, A.; FLEURY, M. Estratégias Empresariais e Formação de Competências. São Paulo: Atlas, 2000.         [ Links ]

MACHADO-DA-SILVA, C. L. e GONÇALVES, S. Institucionalização da mudança na sociedade brasileira: o papel do formalismo. In CARVALHO, C. A., VIEIRA, M. M. F.(org) Organizações, instituições e poder no Brasil. Rio de Janeiro: Ed. FGV, 2003.         [ Links ]

MELLO, M. B. Teoria do fato jurídico. São Paulo: Saraiva, 1994.         [ Links ]

MOSCOVICI, F. Equipes dão certo. Rio de Janeiro: José Olympio Editora, 1994.         [ Links ]

MOURA, M. C. C. O desafio de articular estratégias organizacionais com o desenvolvimento de competências gerenciais: um estudo de caso. Dissertação (Mestrado). Centro de Ciências Econômicas. Universidade do Vale do Rio dos Sinos: São Leopoldo, 2003.         [ Links ]

OLIVEIRA, Juarez (Org). Consolidação das leis do trabalho. 11. ed. São Paulo: Saraiva, 1989.         [ Links ]

PARRY, S. The quest for competence. Training, July 1996, p. 48-54.         [ Links ]

PRAHALAD, C. K., HAMEL. G. The core competence of the corporation. Harvard Business Review. Vol 68, no 31 May-June 1990, p. 79 – 91.

RUAS, R.; GHEDINE, T.; DUTRA, J.; BECKER, G.; DIAS, G. O conceito de competências de A a Z – Análise e revisão nas principais publicações nacionais entre 2000 e 2004. Brasília, In: Encontro Nacional dos Programas de Pós Graduação em Administração, 2005.

RUAS, R. Gestão das competências gerenciais - empresas gaúchas. Porto Alegre, relatório de pesquisa, 2001.         [ Links ]

RUAS, R. Desenvolvimento de competências gerenciais e contribuição da aprendizagem organizacional. In FLEURY, M. e OLIVEIRA Jr. Gestão estratégica do conhecimento. São Paulo: Atlas, 2001.         [ Links ]

RUAS, R. Gestão por competências: uma contribuição à perspectiva estratégica da gestão de pessoas. Atibaia, ENANPAD, 2003.         [ Links ]

SANDBERG, J. Understanding human competence at work: an interpretative approach. The Academy of Management. Vol 43, no 1, Feb. 2000, p. 9-25.         [ Links ]

SCOTT, W. R. Institutions and organizations. In SCOTT, W.R. & MEYER, J.W. (org).

Institutional environments and organizations: structural complexity and individualism. Thousand Oaks: Sage, 1994. p. 55-80.

SPENCER Jr; SPENCER, S. Competence at work. New York: John Wiley & Sons, 1993.         [ Links ]

TOLBERT, P. e ZUCKER, L. A institucionalização da teoria institucional. In CLEGG, HARDI, C. e NORD, W. Handbook de estudos organizacionais. São Paulo: Atlas, 1999.         [ Links ]

ZARIfiAN, P. Objetivo competência. São Paulo: Atlas, 2001.         [ Links ]

Creative Commons License All the contents of this journal, except where otherwise noted, is licensed under a Creative Commons Attribution License