SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.55 issue84Piperaceae do Nordeste brasileiro I: estado do CearáSistemática de Vellozia candida (Velloziaceae) author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Rodriguésia

Print version ISSN 0370-6583On-line version ISSN 2175-7860

Rodriguésia vol.55 no.84 Rio de Janeiro Jan./June 2004

http://dx.doi.org/10.1590/2175-78602004558403 

Articles

A distribuição geográfica da família Rubiaceae Juss. na Flora Brasiliensis de Martius

Abner Chiquieri1 

Fernando Régis Di Maio2 

Ariane Luna Peixoto3 

1Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, Departamento de Letras e Ciências Sociais. Rua Vitória, 6, Ecologia/UFRRJ, Seropédica, RJ, 23850-250, RJ, Brasil. chiquier@terra.com.br

2Universidade Estácio de Sá. Estr. Boca do Mato, 850, Vargem Pequena, Rio de Janeiro, RJ, Brasil. frdimaio@bol.com.br

3Instituto de Pesquisas Jardim Botânico do Rio de Janeiro, Escola Nacional de Botânica Tropical, Rua Pacheco Leão 2040, 22460-030, Horto, Rio de Janeiro, RJ, Brasil. ariane@jbrj.gov.br

RESUMO

A Flora Brasiliensis, obra idealizada e editada, em sua maior parte por Karl Friederich Philipp von Martius, entre os anos de 1840 e 1906, trata do conjunto de espécies da flora brasileira até então conhecidas. Nessa obra, a família Rubiaceae, representada por 99 gêneros e 1043 espécies, teve o tratamento taxonômico feito por K. Schumann e Mueller Argoviensis. O estudo descritivo da distribuição geográfica, apresentado às páginas 415 a 422 do volume 6, parte 6, foi elaborado apenas por Schumann. A leitura e interpretação do tratamento dado às Rubiaceae, nessa obra, ainda hoje é muito importante e, muitas vezes, imprescindível para estudiosos da flora brasileira, especialmente para aqueles que se dedicam à taxonomia, à florística e à fitogeografia. A dificuldade de leitura do texto descritivo, em latim, sobre a distribuição geográfica deste grupo assim como as muitas alterações sofridas nos nomes genéricos e binômios específicos criam empecilhos à interpretação da visão primorosa de Schumann sobre o conjunto de Rubiaceae da flora brasileira e da contribuição dos táxons desta família nos diferentes biomas brasileiros. Apresenta-se, neste trabalho, a tradução para o português de texto latino elaborado por Schumann sobre a distribuição geográfica das Rubiaceae, acompanhada da atualização dos nomes científicos nele contidos.

Palavras-chave: Rubiaceae; Flora brasiliensis; Fitogeografia; Flora do Brasil

ABSTRACT

Flora Brasiliensis, planned and edited mainly by Karl Friederich Philipp von Martius, from 1840 and 1906, deals with all species from Brazilian Flora known at that time. In this work, the Rubiaceae, represented by 99 genus and 1043 species, was taxonomicaly analysed by K. Schumann and Mueller Argoviensis. The geographical distribution study, presented on pages 415 to 422 of volume 6, part 6, was written only by Schumann. Reading and interpretation of this work is very important and sometimes indispensable for Brazilan flora researchers, specially for those dedicated to taxonomy, floristic and fitogeography. The descriptive text on the geographical distribution in Latin and the various changes on generic and specific names raise difficulties for comprehending Schumann’s great vision about the whole Rubiaceae family in Brazilian flora and the presence of this family’s taxa throughout different Brazilian biomes. This paper presents the Portuguese translation of the latin text by Schumann on the geographical distribution of Rubiaceae, and updates scientific names presented there.

Key-words: Rubiaceae; Flora Brasiliensis; Fitogeography; Brazilian Flora

Texto completo disponível apenas em PDF.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

(referentes à introdução)

Anderson, L. 1992. A Provisional Checklist of Neotropical Rubiaceae. Scripta Bot. Belgica 1: 1-200. Meise [ Links ]

Emmerich, M. 1994. Von Martius e a Botânica. In: R. Horch & H. W. Fauser (ed.), 200 anos de Carl Friedrich Philipp von Martius. São Paulo. Inst. Hans Staden. p. 91-99. [ Links ]

Ernout, A. & Meillet, A. 1932. Dictionnaire Étymologique de la Langue Latine. Paris: Librairie C. Klincksieck. 1108 p. [ Links ]

Ferrão, C. & Soares, J. P. M. (ed.). 1996. A Viagem de von Martius - Flora Brasiliensis - vol. 1. Rio de Janeiro. Editora Index. 140 p. [ Links ]

Jackson, B. D. 1895. Index Kewensis Plantarum Phanerogamarum. Oxford: Clarendon Press. 2 v. e supl. [ Links ]

Martius, C. P. F. 1824. Tabula Geographica Brasiliae et terrarium adjacentium. Tabula Geographica quinque províncias florae Brasiliensis illustrans. In: Martius, C. P. F., Eichler A. G. & Urban, I. Flora Brasiliensis. Monachii et Lipsiae. v. 1, p.1, fasc 21. [ Links ]

Missouri Botanical Garden. 2002. W3 Tropicos [on line]. http://www.mobot.mobot.org/w3t/Search/vast.html [capturado em 10.12.2002]. [ Links ]

Rizzini, C. T. & Rizzini, C. M. 1983. Dicionário Botânico Clássico Latino-Português Abonado. Rio de Janeiro: Jardim Botânico do Rio de Janeiro. 283 p. [ Links ]

Schumann, K. M. 1889. Rubiaceae. In: Martius, C. F. P.; Eichler, A. W. & Urban, I. Flora Brasiliensis. Monachii et Lipsiae. v. 6, n. 6. 466 p. [ Links ]

Spix, J. B. von & Martius, C. F. P. von. 1938. Viagem pelo Brasil. Vol. 1: 389 p.; Vol. 2: 560 p., Vol. 3: 491 p., Imprensa Nacional, Rio de Janeiro. [ Links ]

Creative Commons License Este é um artigo publicado em acesso aberto (Open Access) sob a licença Creative Commons Attribution, que permite uso, distribuição e reprodução em qualquer meio, sem restrições desde que o trabalho original seja corretamente citado.