SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.23 número4Dysphagia and cerebrovascular accident: relationship between severity degree and level of neurological impairmentCross-cultural adaptation of the Brazilian version of the Voice Symptom Scale: VoiSS índice de autoresíndice de materiabúsqueda de artículos
Home Pagelista alfabética de revistas  

Servicios Personalizados

Articulo

Indicadores

Links relacionados

  • No hay articulos similaresSimilares en SciELO

Compartir


Jornal da Sociedade Brasileira de Fonoaudiologia

versión On-line ISSN 2179-6491

J. Soc. Bras. Fonoaudiol. vol.23 no.4 São Paulo dic. 2011

http://dx.doi.org/10.1590/S2179-64912011000400017 

FONOAUDIOLOGIA BASEADA EM EVIDÊNCIAS EVIDENCE-BASED SPEECH-LANGUAGE PATHOLOGY AND AUDIOLOGY

 

Produção fonoaudiológica sobre voz no canto popular

 

 

Lorena Badaró DrumondI; Naymme Barbosa VieiraI; Domingos Sávio Ferreira de OliveiraII

ICurso de Especialização em Voz, Núcleo de Estudo da Voz Falada e Cantada e suas Alterações - CLINVOZ - Niterói (RJ), Brasil
IINúcleo de Estudos da Voz Falada e Cantada e suas Alterações - CLINVOZ - Niterói (RJ), Brasil; Programa de Pós-graduação (Mestrado Profissional) em Fonoaudiologia, Universidade Veiga de Almeida - UVA - Rio de Janeiro (RJ), Brasil

Endereço para correspondência

 

 


RESUMO

OBJETIVO: Apresentar revisão bibliográfica sobre a produção científica brasileira da Fonoaudiologia na última década referente à voz no canto popular, quanto ao número de publicações, gêneros musicais estudados, enfoques atribuídos e instrumentos de coleta de dados utilizados.
ESTRATÉGIA DE PESQUISA: Estudo descritivo transversal realizado em duas etapas: levantamento em bases de dados e publicações, englobando a última década de pesquisas na área no Brasil, e leitura do material obtido para posterior categorização.
CRITÉRIOS DE SELEÇÃO: Foram utilizadas as bases de pesquisa LILACS e SciELO, o Banco de Dissertações e Teses da CAPES, a versão online da Acta ORL, e a versão online da OPUS. Foram empregados os seguintes unitermos: voz, voz profissional, voz cantada, disfonia, distúrbios da voz, treinamento da voz, música, disodia. Foram selecionados artigos publicados entre os anos 2000 e 2010.
ANÁLISE DOS DADOS: A classificação e a categorização das pesquisas foram realizadas a partir da leitura dos resumos e, quando necessário, do texto na íntegra.
RESULTADOS: Foram selecionadas 20 pesquisas com a temática proposta, todas do tipo descritivo, envolvendo diversos gêneros musicais. Doze estudos apresentavam enfoque na avaliação da voz do cantor popular e o instrumento de coleta de dados utilizado com maior frequência foi a avaliação perceptivo-auditiva.Os achados das publicações pesquisadas estão de acordo com os objetivos propostos pelos autores e as diferentes metodologias.
CONCLUSÃO: O número de estudos publicados ainda é restrito quando comparado à diversidade de gêneros musicais e à singularidade do cantor popular.

Descritores: Distúrbios da voz; Literatura de revisão como assunto; Música; Treinamento da voz; Voz


 

 

INTRODUÇÃO

A música popular no Brasil é uma das mais diversificadas e divulgadas formas de expressão artística. A cada ano novos cantores e/ou conjuntos musicais lançam suas carreiras. Essa população, cada vez maior, agrega características que lhes são próprias e definidoras da identidade musical e social que possui. Uma dessas características é o início informal na carreira, sem quaisquer orientações ou estudos, diferente do que se observa em cantores de música clássica/erudita(1). Em pesquisa realizada recentemente observou-se que tal grupo profissional apresenta interesse precoce pela atividade, geralmente relacionado com a existência de ambiente familiar musical(2). Além disso, o preparo vocal técnico não se destaca como aspecto relevante para os cantores populares e os hábitos de saúde geral e vocal, bem como os cuidados preventivos, mostraram-se insuficientes(2).

O conceito de "prática baseada em evidências", que tem sido amplamente discutido, é fundamental para demonstrar a relevância da realização de pesquisas sistemáticas na área, uma vez que valoriza a integração dos conhecimentos produzidos em tais pesquisas à prática clínica. Tem o intuito de subsidiar a tomada de decisão, garantir qualidade dos serviços prestados e auxiliar na formação dos fonoaudiólogos. A Fonoaudiologia ainda não tem base de conhecimentos suficiente para que os profissionais definam a melhor prática apoiados apenas na literatura(3).

Embora seja objeto tradicional de estudos na Fonoaudiologia, a modalidade de voz cantada foi, por muitos anos, pesquisada com prioridade nas questões acerca da voz no canto lírico, bem como as escolas de música e canto que historicamente dedicaram suas atuações à música erudita. Apesar de o canto popular ser uma atividade profissional reconhecida no Brasil(4) e a demanda desses cantores que buscam aperfeiçoamento vocal ou tratamento para alterações já instaladas ser crescente, o investimento em pesquisas controladas com cantores populares ainda é escasso.

Um levantamento sobre a produção científica na Fonoaudiologia com tema na área da voz cantada revelou 117 publicações entre os anos de 2005 e 2007. A população mais pesquisada foi a de coralistas e os trabalhos com cantores populares totalizaram 27. Constatou-se que a maior parte dos trabalhos foi apresentada em anais de congresso, sendo encontrados apenas sete artigos(5) publicados em periódicos de Fonoaudiologia, naquele momento.

Em decorrência dos elementos históricos acerca do surgimento da música popular no Brasil e de suas características sonoras peculiares, que levaram à consolidação de uma imagem social da atividade de cantor na cultura brasileira, considerou-se importante destacar apenas a produção científica do país. Por isso, com intuito de distinguir e valorizar o crescente número de cantores populares no Brasil, em sua diversidade e singularidade, propõe-se a verificação do investimento científico direcionado a eles, garantindo a relevância social da presente pesquisa.

A importância científica da investigação encontra-se no levantamento dos estudos realizados e publicados, seja em artigos de periódicos ou em formato de teses e dissertações. A disponibilização das pesquisas em formato controlado, ou seja, que passaram pelo crivo de pesquisadores pareceristas ou de banca examinadora (como é o caso dos artigos dos periódicos e das teses e dissertações, respectivamente) é fator fundamental para permitir acesso às novas informações e o avanço técnico-científico da Fonoaudiologia. Além disso, analisar a produção científica relacionada à voz no canto popular e seus focos de interesse permite o avanço na reflexão sobre novos temas que possam ampliar os conhecimentos na área.

 

OBJETIVOS

O objetivo da presente investigação foi analisar a produção científica brasileira da Fonoaudiologia na última década relacionada à voz no canto popular, quanto ao número de publicações, gêneros musicais estudados, enfoques atribuídos e instrumentos de coleta de dados utilizados.

 

ESTRATÉGIA DE PESQUISA

Trata-se de estudo documental descritivo, que analisou as publicações brasileiras em periódicos e em bancos de teses/dissertações sobre voz de cantores populares realizadas por fonoaudiólogos, entre os anos 2000 e 2010. O estudo foi realizado em duas etapas: inicialmente foi realizado o levantamento das publicações e, em seguida, foi feita a categorização dos trabalhos quanto ao gênero musical abordado, tipo de pesquisa, ao enfoque atribuído e instrumentos de coleta de dados utilizados.

 

CRITÉRIOS DE SELEÇÃO

O levantamento dos artigos publicados entre os anos de 2000 e 2010 foi realizado por meio do acesso às bases de pesquisa de periódicos LILACS e SciELO, ao Banco de Dissertações e Teses organizado pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES), à versão online do periódico Acta ORL Técnicas em Otorrinolaringologia, e à versão online da OPUS (Revista da Associação Nacional de Pesquisa e Pós-graduação em Música - ANPPOM). Embora os dois últimos periódicos não sejam indexados, eles foram incluídos na busca pois a versão online da Acta ORL publica artigos de profissionais da área da saúde, reunindo publicações de interesse da área pesquisada, e a versão online da OPUS publica estudos da Pós-graduação em Música, concernentes ao temático desta pesquisa, além de aceitar artigos de pesquisadores fonoaudiólogos.

Os descritores utilizados, isoladamente combinados em pares (todas as associações possíveis) foram: voz, voz profissional, voz cantada, disfonia, distúrbios da voz, treinamento da voz, música, disodia. A seleção foi baseada nos títulos dos artigos e, posteriormente, buscou-se os respectivos resumos. Foram consideradas apenas as publicações que incluíram fonoaudiólogo entre os autores.

A segunda etapa da pesquisa, de leitura e de classificação do material, foi realizada com base no material levantado.

 

ANÁLISE DOS DADOS

Inicialmente os títulos foram organizados em banco de dados único. Foram excluídas as publicações repetidas nas bases LILACS e SciELO e estudos cujo objetivo não era compatível com o tema abordado nesta revisão.

Posteriormente, os estudos foram analisados qualitativamente e categorizados a partir da leitura do material publicado. A maior parte dos estudos foi lida na íntegra. Tal procedimento nem sempre foi possível no que se refere às teses e as dissertações, visto que algumas não disponibilizam o texto completo na internet. Nesses casos, foram consideradas apenas as informações disponíveis nos resumos. A categorização foi realizada utilizando-se da técnica de análise de conteúdo(6). Trata-se de uma técnica que pretende descrever de forma objetiva e sistemática o conteúdo do material pesquisado. O procedimento envolve a organização do material de pesquisa através da leitura geral dos artigos, do desmembramento do texto em unidades de registro e do agrupamento das informações em categorias, que podem ser designadas previamente ou posteriormente.

A categorização quanto aos tipos de pesquisas foi realizada considerando o delineamento prévio: exploratório (primeira aproximação com tema buscando familiaridade com o fato ou o fenômeno), descritivo (levantamento das características do fato/fenômeno conhecido) e explicativo (identificação de fatores que determinam a ocorrência ou a maneira de ocorrer dos fatos/fenômenos)(7). A leitura e a categorização do material foi realizada por dois dos pesquisadores e comparada posteriormente para a definição sobre a concordância.

O enfoque das pesquisas também foi categorizado a partir da análise de conteúdo, porém, as categorias foram conjuntos temáticos emergidos dos textos ao longo da análise do material.

 

RESULTADOS

Inicialmente foram localizadas 18 publicações na base LILACS, 12 publicações na base SciELO, quatro artigos no periódico Acta ORL, sete dissertações e três teses no banco de teses da CAPES, totalizando 44 publicações. Não foram identificadas publicações na revista OPUS. É importante ressaltar que o periódico Acta ORL disponibiliza apenas as publicações realizadas a partir do ano 2003.

Após o levantamento inicial foram excluídos dez trabalhos que foram localizados em duplicidade pelas bases LILACS, SciELO e banco de teses da CAPES. Posteriormente, outros sete artigos(8-14) e duas teses(15,16) foram excluídos por não terem sido realizados com cantores populares e, sim, com coralistas e/ou regentes de coral. Um trabalho foi excluído por se tratar de estudo de caso com objetivo de refletir sobre a constituição da relação mãe-bebê, por meio de terapia corporal associada à emissão da voz cantada, cuja participante tinha incursão pela música erudita(17). Foram localizados e excluídos, ainda, três artigos e uma dissertação realizados com cantores de música religiosa(18-21). Assim, restaram 20 publicações sobre canto popular propriamente dito (Quadro 1).

Alguns dos trabalhos incluídos no presente estudo foram realizados com cantores de gêneros musicais específicos, a saber: rock(22), músicas de baile(23), sertanejo(24), samba(25, 26), bossa nova(26), pagode(27), música popular japonesa(28), música regional(29,30), cantor da noite(31). Uma pesquisa foi realizada com gravações de baladas românticas(32). Três estudos foram realizados com professores de canto popular ou fonoaudiólogos, sem desviar-se do tema canto popular(33-35). Em pesquisa voltada para cantores infanto-juvenis, embora os autores façam considerações acerca do canto coral, não fica evidenciado o estilo musical a que se referem, se popular ou erudito(36). Por isso, considerou-se como estudo genérico e, portanto, cabível ao canto popular. As demais pesquisas não se restringiram a um único gênero musical, referindo-se apenas a cantores populares(37-41).

Todas as pesquisas analisadas eram do tipo descritivo. Alguns estudos também apresentavam caráter exploratório. Consequentemente, nenhuma pesquisa foi do tipo explicativo, o que torna superficial a produção científica da Fonoaudiologia sobre o tema "cantor popular". As informações científicas mais relevantes são oriundas das pesquisas explicativas por aprofundarem o conhecimento para além das primeiras aparências e comprometerem o pesquisador em nível mais elevado de responsabilidade(6).

Foram observados diferentes enfoques nas pesquisas e a análise de conteúdo permitiu a identificação de algumas categorias, a saber:

1. Técnicas vocais: envolveu três estudos com perspectiva teórica. Um procurava a definição de apoio respiratório por professores de canto e fonoaudiólogos, bem como suas estratégias de trabalho e os benefícios da aplicação(34). Outro artigo, de revisão bibliográfica, refletiu a respeito das diferenças e dos benefícios do alongamento, do relaxamento e do aquecimento muscular(37). Outro buscou verificar se expressões metafóricas ("imagens") eram utilizadas como ferramenta didática para trabalhar a ressonância vocal por professores de canto (incluindo de canto popular), a possível correspondência fisiológica e os motivos para utilização de cada metáfora(35).

2. Avaliação da voz: correspondeu à categoria mais expressiva. Das 20 pesquisas, 12 tinham foco na avaliação da voz do cantor, seja na pesquisa de aspectos da qualidade da voz, de técnicas vocais ou de ajustes laríngeos e vocais(22-26,28-32,39-40). Como exemplos, pode ser mencionada pesquisa que investigou os ajustes laríngeos de cantores de baile durante imitação do estilo lírico(23) e estudo realizado para caracterizar o vibrato nos gêneros lírico e sertanejo(24).

3. Avaliação do cantor: compreende duas pesquisas que tiveram foco no cantor além da voz, ou seja, também se preocuparam em investigar aspectos da história do cantor e de sua carreira. Um foi realizado com cantores de rock(22) e outro com um grupo de cantores da noite(31). Ressalta-se que ambos também foram incluídos na categoria 2.

4. Bem-estar vocal: três pesquisas tiveram como objetivo levantar aspectos do bem-estar vocal dos cantores populares. Uma pesquisa comparou os hábitos de bem-estar vocal entre cantores líricos e populares(41), outra descreveu o bem-estar vocal de cantores de pagode(27) e a terceira investigou o perfil e o bem-estar vocal de cantores de Cururu(29).

5. Atendimento fonoaudiológico: duas pesquisas voltaram-se à investigação de critérios e procedimentos do atendimento fonoaudiológico ao cantor popular. Uma pesquisa investigou informações que fonoaudiólogos recém formados dispunham em relação ao atendimento do cantor popular(33), outra buscoudiscutir propostas de avaliação vocal em cantores infantojuvenis(36).

6. Disfonia: apenas uma pesquisa, de revisão bibliográfica, teve como objetivo investigar as alterações vocais mais comuns na população de cantores populares(38).

Tendo em vista o maior número de pesquisas voltadas para a análise vocal do cantor, cabe ressaltar a importância de novas investigações, em que outras considerações sejam realizadas. A compreensão da natureza da atividade do cantor de música popular exige considerar outros aspectos, como o contexto sociocultural, o ambiente de trabalho, a importância atribuída à voz pelos próprios cantores, entre outros. Não foi localizada, por exemplo, nenhuma pesquisa envolvendo avaliação in loco, que é de extrema importância para a identificação de hábitos, posturas, condições de trabalho e aspectos do ambiente que interferem diretamente na voz e na vida de cantores populares.

Os instrumentos de coleta de dados utilizados nas pesquisas foram: avaliação perceptivo-auditiva, utilizada em 12 estudos(22-26,28-32,39-40); questionários, utilizados em sete pesquisas(22,23,27,32,33,35,41); análise acústica, utilizada em cinco estudos(23,24,26,32,39); avaliação por imagem, incluídas a videolaringoscopia, a nasofibrolaringoscopia e a videofluoroscopia, utilizadas em cinco trabalhos(23,26,31,39-40); entrevistas, utilizadas em dois estudos(29,34); e a revisão bibliográfica, utilizada em quatro fontes pesquisadas(33,36-38).

A avaliação perceptivo-auditiva, portanto, é o principal instrumento de coleta de dados utilizado nas pesquisas sobre o tema. Por ser de caráter subjetivo e não demandar custos elevados demonstra ainda ser o instrumento mais acessível aos fonoaudiólogos. A análise acústica, ferramenta complementar importante, foi pouco utilizada nas pesquisas envolvendo canto popular. Quatro dos cinco estudos que utilizaram a análise acústica correspondiam a dissertações de mestrado, realizadas em instituições de ensino superior dotadas do aparato necessário, com duração prolongada (geralmente dois anos), revelando que o acesso a esse tipo de instrumento ainda é restrito e pouco explorado em outros contextos.

 

CONCLUSÃO

A investigação sobre a produção científica da Fonoaudiologia no Brasil relacionada à voz no canto popular revela uma diversidade de pesquisas de interesse particular e acadêmico. Porém, o número de estudos desenvolvidos sobre o tema ainda é restrito, quando comparado à diversidade dos gêneros musicais e à singularidade do cantor popular. Deve-se considerar, também, que a maior parte dos estudos publicados não se refere a um estilo único de música popular. Desse modo, as características peculiares de cada estilo não são exploradas de maneira aprofundada.

Os resultados dos estudos encontrados estão de acordo com os objetivos propostos pelos autores e as diferentes metodologias. Todavia as publicações analisadas apresentam caráter descritivo e poucas orientações para intervenção. O enfoque à avaliação vocal foi dado com maior frequência, restringindo a compreensão global do fenômeno. O procedimento mais utilizado nas pesquisas foi a avaliação perceptivo-auditiva, tendo em vista que é esta também é a forma avaliativa mais frequente na prática clínica. Ressalta-se, contudo, a importância de instrumentos complementares, como a análise acústica, para o enriquecimento dos dados das pesquisas.

Sugere-se que novas pesquisas sejam desenvolvidas considerando outros aspectos além da voz do cantor, como os hábitos de saúde geral e de bem estar vocal, condições de trabalho e aspectos da identidade social. O avanço em pesquisas controladas é aspecto essencial para a credibilidade da Fonoaudiologia enquanto área de conhecimento e para o desenvolvimento de novas práticas baseadas em evidências.

 

REFERÊNCIAS

1. Couto AC. Música popular e aprendizagem: algumas considerações. Opus [Internet]. 2009 Dez [citado 2011 Jan 10];15(2),89-104. Disponível em: http://www.anppom.com.br/opus/opus15/206/206-Couto.pdf.         [ Links ]

2. Drumond LB. "Canto em qualquer canto": um estudo sobre voz, trabalho e motivação com cantores populares [dissertação]. Vitória: Universidade Federal do Espírito Santo; 2011.         [ Links ]

3. Behlau M. Práticas baseadas em evidências para o tratamento dos distúrbios da voz [editorial II]. Rev CEFAC. 2008 Dez [citado 2010 Dez 19];10(4). Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rcefac/v10n4/v10n4a02.pdf.         [ Links ]

4. Brasil. Lei Federal n. 3.857, de 22 de Dezembro de 1960. Cria a Ordem dos Músicos do Brasil e Dispõe sobre a Regulamentação do Exercício da Profissão de Músico e dá outras Providências. [citado 2010 Dez 19]. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L3857.htm.         [ Links ]

5. Andrada e Silva MA, Barbosa RA. A voz cantada. In: Oliveira IB, de Almeida AA, Raize T. Voz profissional: produção científica da fonoaudiologia brasileira - Versão revisada e ampliada (2005-2007) [Internet] [citado 2011 Jan 10]. Disponível em: http://www.sbfa.org.br/portal/voz_profissional/index.htm.         [ Links ]

6. Bardin L. Análise de conteúdo. 3a ed. Lisboa: Edições 70; 2004.         [ Links ]

7. Santos AR. Metodologia científica: a construção do conhecimento. 5a ed. Rio de Janeiro: DP&A; 2002.         [ Links ]

8. Andrade SR, Cielo CA. A ciência fonoaudiológica e a arte do canto coral. Fono Atual. 2005;8(33):59-68.         [ Links ]

9. Camargo TF, Barbosa DA, Teles LC. Características da fonetografia em coristas de diferentes classificações vocais. Rev Soc Bras Fonoaudiol. 2007;12(1):10-7.         [ Links ]

10. Loiola CM, Ferreira LP. Coral amador: efeitos de uma proposta de intervenção fonoaudiológica. Rev CEFAC. 2010;12(5):831-41.         [ Links ]

11. Rehder MI, Behlau M. Análise vocal perceptivo-auditiva e acústica, falada e cantada de regentes de coral. Pró-Fono. 2008;20(3):195-200.         [ Links ]

12. Rehder MI, Behlau M. Perfil vocal de regentes de coral do estado de São Paulo. Rev CEFAC. 2008;10(2):206-17.         [ Links ]

13. Rocha TF, Amaral FP, Hanayama EM. Extensão vocal de idosos coralistas e não coralistas. Rev CEFAC. 2007;9(2):248-54.         [ Links ]

14. Soares EB, Brito CM. Hábitos e perfil vocal em coralistas. Acta ORL [Internet]. 2009 Mar [citado 2011 Jan 10];27(1):28-35. Disponível em: http://www.actaorl.com.br/PDF/27-01-05.pdf.         [ Links ]

15. Laureano JM. Alterações na tessitura da voz cantada em mulheres no climatério [tese]. Ribeirão Preto: Universidade de São Paulo; 2009.         [ Links ]

16. Rehder MI. Análise perceptivo-auditiva e acústica da emissäo de vogal sustentada falada e cantada de regentes de coral [tese]. São Paulo: Universidade Federal de São Paulo; 2002.         [ Links ]

17. Mello EL, Maia SM, Andrada e Silva MA. Voz cantada e a constituição da relação mãe-bebê. Rev CEFAC. 2009;11(1):127-33.         [ Links ]

18. Ghiringhelli R, Gordo A, Guedes ZC. Orientação e prevenção de abusos vocais em um grupo de cantores amadores da paróquia Nossa Senhora da Esperança (São Paulo). Acta ORL [Internet]. 2010 Jun [citado 2011 Jan 10]; 28(2):56-60. Disponível em: http://www.actaorl.com.br/PDF/v28n2a03.pdf.         [ Links ]

19. Leite GC, Assumpção R, Campiotto AR, Andrade e Silva MA. O canto nas igrejas: o estudo do uso vocal dos coralistas e não-coralistas. Distúrb Comun. 2004;16(2):145-280.         [ Links ]

20. Penteado RZ, Silva CB, Pereira PF. Aspectos de religiosidade na saúde vocal de cantores de grupos de louvor. Rev CEFAC. 2008;10(3):359-68.         [ Links ]

21. Faria DM. Comportamento vocal e características do ambiente em cantores do Grupo de Louvor [dissertação]. São Paulo: Pontifícia Universidade Católica de São Paulo; 2004.         [ Links ]

22. Gonçalves A, Amin E, Behlau M. Análise do grau global e tensão da voz em cantores de roque. Pró-Fono. 2010;22(3):195-200.         [ Links ]

23. Zampieri SA, Behlau M, Brasil OO. Análise de cantores de baile em estilo de canto popular e lírico: perceptivo-auditiva, acústica e da configuração laríngea. Rev Bras Otorrinolaringol. 2002;68(3):378-86.         [ Links ]

24. Bezerra AA. A caracterização do vibrato nos gêneros lírico e sertanejo: aspectos acústicos e perceptivo-auditivos [dissertação]. São Paulo: Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo; 2006.         [ Links ]

25. Andrada e Silva MA. Tipologia da voz no samba carioca [tese]. São Paulo: Pontifícia Universidade Católica de São Paulo; 2001.         [ Links ]

26. Alves KL. Configurações do trato vocal na fonação habitual e no canto popular [dissertação]. Curitiba: Universidade Tuiuti do Paraná; 2006.         [ Links ]

27. Rosa PP, Goulart BN, Costa EF, Capp E. Levantamento da saúde vocal de uma amostra de cantores de pagode do município de Porto Alegre. Pró-Fono. 2000;12(2):87-91.         [ Links ]

28. Nishimura CM, Camargo Z, Cordeiro GF, Pinho SM. Características vocais do canto japonês nos gêneros enka e mudo enka. Rev CEFAC. 2006;8(4):493-500.         [ Links ]

29. Penteado RZ, Rosa CB, Barbosa LA. Perfil e saúde vocal de cantores de Cururu. Distúrb Comun. 2008;20(2):257- 66.         [ Links ]

30. Da Silva EG, de Luna CL. Análise perceptivo-auditiva de parâmetros vocais em cantores da noite do estilo musical brega da cidade do Recife. Rev CEFAC. 2009;11(3):457-64.         [ Links ]

31. Andrada e Silva MA, Ferreira LP, Costa HO. Caracterização de um grupo de cantores da noite: um enfoque fonoaudiológico. Acta ORL [Internet]. 2008 Dez [citado 2011 Jan 10];26(4):231-234. Disponível em: http://www.actaorl.com.br/PDF/26-04-05.pdf.         [ Links ]

32. Oliveira SC. A voz de Roberto Carlos: avaliação perceptivo-auditiva, análise acústica e a opinião do público [dissertação]. São Paulo: Pontifícia Universidade Católica de São Paulo; 2007.         [ Links ]

33. Castilho LC. Fonoaudiólogo e cantor popular: o atendimento em questão [dissertação]. Curitiba: Universidade Tuiuti do Paraná; 2001.         [ Links ]

34. Gava Júnior W, Ferreira LP, Andrada e Silva MA. Apoio respiratório na voz cantada: perspectiva de professores de canto e fonoaudiólogos. Rev CEFAC. 2010;12(4):551- 62.         [ Links ]

35. De Sousa JM, Andrada e Silva MA, Ferreira LP. O uso de metáforas como recurso didático no ensino do canto: diferentes abordagens. Rev Soc Bras Fonoaudiol. 2010;15(3):317-28.         [ Links ]

36. Souza DP, Silva AP, Jarrus ME, Pinho SM. Avaliação fonoaudiológica vocal em cantores infanto-juvenis. Rev CEFAC. 2006;8(2):216-22.         [ Links ]

37. Mello EL, Andrada e Silva MA. O corpo do cantor: alongar, relaxar ou aquecer? Rev CEFAC. 2008;10(4):548-56.         [ Links ]

38. Mota LA, Santos CM, Barbosa KM, Nascimento Neto JR. Disfonia em cantores: revisão de literatura. Acta ORL [Internet]. 2010 Mar [citado 2011 Jan 10];28(1):27-31. Disponível em: http://www.actaorl.com.br/PDF/v28n1a06.pdf.         [ Links ]

39. Hanayama EM. Voz metálica: estudo das características fisiológicas e acústicas [dissertação]. São Paulo: Universidade de São Paulo; 2003.         [ Links ]

40. Cervi G. Estudo dinâmico da fonação por imagem e análise perceptivo-auditiva do som agudo em cantores populares [dissertação]. Curitiba: Universidade Tuiuti do Paraná; 2008.         [ Links ]

41. Dassie-Leite AP, Duprat AC, Busch R. Comparação de hábitos de bem estar vocal entre cantores líricos e populares. Rev CEFAC. 2011;13(1):123-31.         [ Links ]

 

 

Endereço para correspondência:
Domingos Sávio Ferreira de Oliveira
Av. Jornalista Alberto Francisco Torres, 251/302, Icaraí
Niterói (RJ), Brasil, CEP: 24230-003.
E-mail: savioclinvoz@hotmail.com

Recebido em: 21/4/2011
Aceito em: 11/8/2011

 

 

Trabalho desenvolvido pelo Núcleo de Estudo da Voz Falada e Cantada e suas alterações - CLINVOZ - Niterói (RJ), Brasil.