SciELO - Scientific Electronic Library Online

SciELO - Scientific Electronic Library Online

PRESS RELEASE

LOPES, Andressa Pereira  e  REZENDE, Manuel Morgado. Ansiedade e consumo de substâncias psicoativas em adolescentes. Estud. psicol. (Campinas) [online]. 2013, vol.30, n.1, pp. 49-56. ISSN 0103-166X.  http://dx.doi.org/10.1590/S0103-166X2013000100006.



 

Pesquisa investiga relação entre ansiedade e uso de drogas por adolescentes

 

 

Intrigada com a crescente problemática das drogas, a Psicóloga e Doutoranda Andressa Pereira Lopes decidiu estudar a relação entre ansiedade e consumo de substâncias psicoativas em adolescentes da cidade de Maceió-Alagoas. Em parceria com o Professor Doutor Manoel Morgado Rezende, produziu artigo publicado esta semana na revista científica Estudos de Psicologia de Campinas, onde os pesquisadores constatam que o consumo de drogas tem aumentado, sendo o álcool a substância lícita mais consumida e o solvente, a ilícita mais utilizada pelos jovens da capital alagoana, que apresentaram nível moderado de ansiedade (28,0%). O estudo apontou ainda a necessidade da realização de projetos de prevenção de drogas e promoção de saúde que visem aumentar a reflexão sobre o estilo de vida e a ansiedade.

A pesquisa foi realizada com estudantes entre 14 e 18 anos das redes pública e privada de ensino, utilizando questionário de consumo de substâncias psicoativas, escala para verificar a ansiedade e testes estatísticos. O hábito de consumo de drogas foi estudado em diversas modalidades: 82,1% dos participantes relataram já ter consumido alguma substância psicoativa pelo menos uma vez na vida, enquanto 17,4% afirmaram nunca ter usado; 71,0% relataram ter feito uso de drogas nos 12 meses anteriores à realização da pesquisa; 31,4% disseram fazer uso dessas substâncias pelo menos uma vez ao mês; 12,8% afirmaram fazer uso freqüente de seis a mais vezes por mês; e 13,5% relataram o uso pesado de drogas de vinte a mais vezes por mês.

O consumo de substâncias psicoativas encontrou relação com a ansiedade no caso de jovens que usaram solventes e energéticos pelo menos uma vez na vida; que fizeram uso de cigarro e álcool pelo menos uma vez ao ano; e por aqueles que fazem uso frequente de álcool. "Todas as pessoas têm ansiedade. O principal problema de se consumir substâncias psicoativas para lidar com esse sentimento é a possibilidade de gerar dependência, mais uma série de problemas que a dependência traz com ela", avalia a Psicóloga Andressa Pereira Lopes. "Na adolescência, o jovem geralmente está aprendendo a lidar com situações ansiogênicas que repercutirão na sua vida adulta. O fato de se fazer uso recorrente de substâncias psicoativas para lidar com essas situações faz com que esses jovens não desenvolvam repertório suficiente para tratar de questões corriqueiras da vida", afirma a Psicóloga.

Apesar do nível de ansiedade apresentado nos dados da pesquisa ter sido moderado, os pesquisadores dizem que é necessário compreender a ansiedade nessa faixa da população e investigar os sintomas mais freqüentes, para se realizar projetos mais direcionados.

Em comparação com dados de 2004 do Centro Brasileiro de Informações sobre Drogas Psicotrópicas (Cebrid), houve um aumento no consumo de substâncias como álcool, ansiolíticos e anfetaminas, o que merece atenção, pois o fato da primeira ser legalizada e as outras duas substâncias não apresentarem conseqüências tão visíveis para a sociedade parece protelar a abordagem do problema. Para Andressa Lopes, a educação é uma ferramenta indispensável para lidar com a situação. "Modificar a realidade é um trabalho complexo e que se inicia com a educação, num processo que deve envolver a família, a escola, a mídia, o governo e toda a sociedade civil", avalia a pesquisadora.

****************

A pesquisa teve o apoio da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)

****************************

Contato: Andressa Pereira Lopes
Faculdade Integrada Tiradentes, Curso de Psicologia.
andressa_lopes@hotmail.com
(82) 9990-1777