SciELO - Scientific Electronic Library Online

SciELO - Scientific Electronic Library Online

PRESS RELEASE

LIMA, Fernanda de Azevedo; AMAZONAS, Maria Cristina Lopes de Almeida; BARRETO, Carmem Lúcia Brito Tavares  and  MENEZES, Walfrido Nunes de. Sons and daughters with a parent hospitalized in an Intensive Care Unit. Estud. psicol. (Campinas) [online]. 2013, vol.30, n.2, pp. 199-209. ISSN 0103-166X.  http://dx.doi.org/10.1590/S0103-166X2013000200006.



 

Filhos com a mãe ou o pai internado em uma unidade de terapia intensiva

 

 

Professores da Universidade Católica de Pernambuco, da Faculdade Estácio do Recife e da Faculdade IBGM buscaram compreender a experiência de filhos que possuem a mãe ou o pai internado em uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI), segundo artigo publicado na Revista Estudos de Psicologia, da PUC-Campinas, volume 30, número 2, p.199-209 e constataram que os sentimentos mais vividos por eles foram o sofrimento, medo e temor da morte do (a) genitor (a). As maiores preocupações foram referentes ao fato de o (a) paciente ficar a maior parte do tempo sozinho (a) nesta unidade. Houve desconfiança quanto ao tratamento oferecido pela equipe de saúde ao paciente. Também existiu perda da motivação, por parte desses filhos, de realizar suas rotinas, porém, foi constatada a existência da reestruturação positiva, tais como: o crescimento pessoal, espiritual, profissional e satisfação em relação ao tratamento dispensado à família, pela equipe de saúde do hospital. Estes dados indicam as maiores necessidades dos filhos durante a internação de seus genitores na UTI e podem subsidiar uma prática mais efetiva da equipe de saúde junto a essa população. 

Participaram desta pesquisa dez filhos de pacientes internados em uma Unidade de Terapia Intensiva de um hospital particular da cidade do Recife, Estado de Pernambuco, Brasil. A amostra foi composta por pessoas de ambos os sexos, cuja média de idade foi de 44 anos. Os instrumentos utilizados foram: uma Ficha Sociodemográfica e uma Entrevista Semiestruturada. Para o tratamento das entrevistas utilizou-se a Análise de Conteúdo.

Os autores ressaltaram que a falta de informação sobre a rotina de uma Unidade de Terapia Intensiva faz com que os familiares que vêm visitar seus parentes fiquem apreensivos em relação ao estado em que estes se encontram, ocasionando angústia e medo neles. "O psicólogo deve realizar o acompanhamento psicológico a esses filhos, oferecendo um espaço para que eles expressem os sentimentos vivenciados, fantasias e falsos conceitos sobre a doença ou este local, o que pode possibilitar o enfrentamento da situação" afirma Fernanda Lima, psicóloga e professora das Faculdades Estácio do Recife e IBGM.

"Nesse momento, seria oportuno um trabalho de grupo, orientado por um profissional de psicologia, que permitisse a expressão e a troca desses sentimentos entre os familiares do paciente" assegura a professora Dr. Cristina Amazonas, professora e coordenadora geral de Pós Graduação da Universidade Católica de Pernambuco.

Os autores perceberam, ainda, que essa experiência (ter o pai ou a mãe neste modo de internação) significa, também, crescimento para os participantes. O que se destaca é um aumento da experiência de espiritualidade e da fé; alguns mencionam que se tornaram filhos melhores; afirmam, também, que se tornaram mais humanos; destacando que este é um momento em que se adquire mais paciência e há uma chance de se ter um crescimento pessoal.

A Unidade de Terapia Intensiva é um setor de alta complexidade e de grande aparato tecnológico, destinado ao internamento de paciente grave ou com chances de recuperação. Diante disso, torna-se importante uma filosofia de cuidados integrais oferecidos à família e ao paciente que se encontra nesta situação, com a proposta de oferecer o cuidado, visando à redução do impacto da doença e o gerenciamento das expectativas do doente e dos familiares.

Acredita-se ser relevante a realização de pesquisas que ressaltem esta temática, a fim de que programas de intervenções humanizadas para com estes filhos, bem como a outros familiares de pacientes em UTI, sejam implantados nos hospitais.

 

 

Contato:
Fernanda de Azevedo Lima
Faculdade Estácio do Recife
E-mail: nandamarina_psi@yahoo.com.br
Fone: +55 (81) 9797-7131