SciELO - Scientific Electronic Library Online

SciELO - Scientific Electronic Library Online

PRESS RELEASE

MARENGO, José Antônio. Água e mudanças climáticas. Estud. av. [online]. 2008, vol.22, n.63, pp. 83-96. ISSN 0103-4014.  http://dx.doi.org/10.1590/S0103-40142008000200006.



http://dx.doi.org/10.1590/S0103-40142008010200001 

Água e mudanças climáticas

 

 

José Antônio Marengo 
Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais
marengo@cptec.inpe.br

 

 

Como uma revisão do conhecimento sobre mudanças de clima e água no Brasil e na América do Sul, José Antônio Marengo procura discutir alguns resultados e estudos do Painel Intergovernamental de Mudanças Climáticas (IPCC) e do Relatório de Clima do Inpe, relacionando-os a importantes aspectos da atualidade como, por exemplo, o econômico e a gestão do recurso água nas diferentes regiões do Brasil, e como isso pode mudar num cenário de mudanças de clima.

Alguns números e proporções referentes à água e ao planeta Terra são demonstrados pelo autor: dois terços de sua superfície são ocupados pelo recurso em questão. Entretanto, 98% da água disponível no planeta são salgadas. Nesse contexto, segundo as palavras de Marengo, “o Brasil tem posição privilegiada no mundo, em relação à disponibilidade de recursos hídricos.”

 O clima é responsável por grande parte da disponibilidade dessa água. O ciclo anual das chuvas e de vazões no Brasil varia entre bacias, e de fato a variabilidade interanual do clima, associada aos fenômenos de El Niño, La Niña, ou à variabilidade na temperatura da superfície do mar do Atlântico Tropical e Sul podem gerar anomalias climáticas. São essas anomalias que têm levantado grande preocupação entre cientistas, políticos, meios midiáticos e na população em geral.

O autor apresenta o relatório Stern, um documento divulgado em outubro de 2006 pelo principal economista do governo britânico, Stern. Segundo ele, uma elevação de temperatura por volta de 3ºC poderá acarretar seca na Europa, falta de água para até quatro bilhões de pessoas e milhões de novos casos de desnutrição.

 Marengo nos mostra algumas problemáticas regionais a partir das informações coletadas e pesquisas realizadas sobre os recursos hídricos e as mudanças climáticas. Na Amazônia, segundo o autor, “a situação é caótica e preocupante”. A bacia hidrográfica do Rio Amazonas contém 70% da disponibilidade mundial de água doce, porém essa condição está ameaçada. Uma forte estiagem atingiu o Leste da região trazendo graves conseqüências: milhares de peixes mortos que apodreceram nos leitos de afluentes do Amazonas que serviam de fonte de água, alimentos e meios de transporte para comunidades ribeirinhas. As chances de ocorrerem períodos de intensa seca na região da Amazônia podem aumentar dos atuais 5% para até 90% em 2100.

No Nordeste do Brasil, o maior problema seria o aumento da seca e da falta de água. Na Bacia do Prata, região sul do Brasil, “o aumento sistemático das chuvas pode também ser observado nos registros hidrológicos que apresentam tendências positivas.” De acordo com José Antônio Marengo, “existem amplas evidências de que mudanças no uso da terra nas bacias dos rios Alto Paraná, Paraguai e Uruguai podem ter contribuído para um aumento no fluxo médio do Rio Paraná desde 1970. Esse incremento na vazão dos rios aconteceu depois de grandes áreas terem experimentado o desmatamento ou mudanças no uso da terra.”

Nas palavras finais do próprio autor, “ainda não se tem uma figura clara e certa sobre os possíveis impactos da mudança do clima na distribuição espacial e temporal do recurso água no continente. As incertezas ainda representam obstáculos para o planejamento operacional e gerenciamento do recurso água, mas mesmo assim esse fato não pode ser utilizado para evitar ações imediatas.”

 

 

O artigo Água e mudanças climáticas, de autoria de José Antônio Marengo, publicado na Revista Estudos Avançados pode ser encontrado no link: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-40142008000200006&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt