SciELO - Scientific Electronic Library Online

SciELO - Scientific Electronic Library Online

PRESS RELEASE

Ciênc. saúde coletiva vol.18 no.5 Rio de Janeiro May 2013



 

Vigilância em Saúde: experiências e perspectivas

 

 

O número 18.5 de maio de 2013 da Revista Ciência & Saúde Coletiva, intitulado "Vigilância em Saúde: experiências e perspectivas" focaliza particularmente os vários aspectos da vigilância no processo de descentralização do sistema de saúde brasileiro. Nesses 25 anos do Sistema Único de Saúde - SUS ocorreu um grande dinamismo organizacional promovido pela gestão tripartite do Sistema com suas indispensáveis prerrogativas de centralização de ações, e ao mesmo tempo, com a criação de rearranjos regionais e valorização dos sistemas locais. Esse processo de descentralização que visa a promover a transferência de serviços, responsabilidades e recursos federais para as instâncias de gestão estadual e municipal requer: (1) decisivas e fortes ações para o desenvolvimento das práticas de promoção, prevenção e atenção em todos os eixos do sistema e das organizações gestoras; (2) monitoramente para que esse movimento ocorra segundo os princípios do SUS; e (3) o aprimoramento da qualificação dos gestores e dos profissionais de diversos serviços, setores e instituições.

No atual contexto do sistema de saúde brasileiro, a Vigilância em Saúde é uma estratégia que tem foco no cuidado, e visa a assegurar que ações de promoção da saúde, de prevenção, de controle dos agravos e de atenção aos doentes ocorram segundo os princípios do SUS. As ações de Vigilância devem levar em conta o contexto socioeconômico diverso e as características peculiares a um país continental em franco processo de desenvolvimento. Consequência dessa complexidade observam-se no quadro dos problemas de saúde, altas taxas de morbidade e mortalidade por doenças crônicas não transmissíveis, persistência de doenças associadas à pobreza e à exclusão social, emergência de novas doenças e o crescimento da violência e dos acidentes de transporte e de trabalho. Entre os importantes e mais atuais papéis da Vigilância em Saúde estão ainda o de estar atenta ao envelhecimento da população, ao que isso repercute na saúde e a organização de serviços para atendê-los, de um lado; e de outro, a ocorrência de novos agravos provocados pela reestruturação produtiva e pela emergência de grandes empreendimentos nacionais que trazem novos desafios para o setor.

A Revista Ciência & Saúde Coletiva, neste número, traz uma seleção de artigos relacionados aos temas acima anunciados. Inicia-se com um debate sobre a proposta de monitoramento da gestão descentralizada da vigilância em saúde, com foco no desempenho e na qualidade. E traz uma série textos fundamentados em pesquisas que abordam (1) os sistemas de informação essenciais para o monitoramento das ações; (2) uma reflexão sobre riscos e vulnerabilidades individuais e coletivas frequentes no cenário laboral, demográfico e epidemiológico; (3) as causas e características dos acidentes de transporte terrestre, (4) a violência em diversificadas situações, sua notificação e propostas de prevenção, (5) a situação de saúde de grupos sociais e populações em diferentes contextos, (6) avaliação e discussão de aspectos diferenciados de algumas doenças transmissíveis e crônicas não transmissíveis; e (7) uma revisão atualizada sobre em saúde ambiental.

Com essa seleção de textos, espera-se contribuir para as reflexões dos leitores, especialmente sobre como ampliar e aprimorar a formulação de políticas, como melhorar o processo de trabalho desenvolvido nos três níveis do sistema e como redefinir objetos de intervenção e de pesquisa, com vistas à um melhor atendimento às necessidades individuais e coletivas de saúde da população brasileira.

 

Autoria do texto:
Maria Cecília de Souza Minayo
Editora-Chefe
E-mail: cecilia@claves.fiocruz.br