SciELO - Scientific Electronic Library Online

SciELO - Scientific Electronic Library Online

Article References

LUCENA, Regina Célia Borges. Novas regras e velhos desafios na regulação da propaganda de medicamentos. Physis [online]. 2012, vol.22, n.2, pp. 701-712. ISSN 0103-7331.  http://dx.doi.org/10.1590/S0103-73312012000200016.

    ANVISA. Resolução de Diretoria Colegiada (RDC) 102/2000. Disponível em http://www.anvisa.gov.br/legis/resol/2000/102_00rdc.htm. Acesso em: 01 maio 2011. [ Links ]

    ANVISA. Resolução de Diretoria Colegiada (RDC) 96/2008. Disponível em http://www.anvisa.gov.br/propaganda/rdc/rdc_96_2008_consolidada.pdf. Acesso em: 01 maio 2011. [ Links ]

    AQUINO, D.S. Por que o uso racional de medicamentos deve ser uma prioridade? Ciência & Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 13 (Supl.), p. 733-736, 2008. [ Links ]

    BARROS, J.A.C. Estratégias mercadológicas da indústria farmacêutica e o consumo de medicamentos. Revista de Saúde Pública, São Paulo, v. 17, p. 377-86, 1983. [ Links ]

    BARROS, J.A.C.; JOANY, S. Anúncios de medicamentos em revistas médicas: ajudando a promover a boa prescrição? Ciência & Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 7, p. 891-898, 2002. [ Links ]

    BARROSO, R.L. Da falta de efetividade à judicialização excessiva: direito à saúde, fornecimento gratuito de medicamentos e parâmetros para a atuação judicial. Revista Interesse Público, Belo Horizonte, v. 46, p. 1-36, 2007. [ Links ]

    BORGES, D.C.L. Uma análise das ações judiciais para o fornecimento de medicamentos no âmbito do SUS: o caso do Estado do Rio de Janeiro no ano de 2005. 2007. 117 p. Dissertação (Mestrado em Saúde Pública) – Escola Nacional de Saúde Pública Sérgio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz, Rio de Janeiro, 2007. [ Links ]

    BRASIL. MINISTÉRIO DA SAÚDE. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Estudo comparado: regulamentação da propaganda de medicamentos. Brasília: Ministério da Saúde, 2005. [ Links ]

    BRITO, R.L. Análise da política de descentralização das ações de Vigilância Sanitária no Brasil: do debate sobre o repasse de recursos ao compromisso com a responsabilidade sanitária. Recife. 205 p. Dissertação (Mestrado em Saúde Pública) – Centro de Pesquisas Aggeu Magalhães, Fundação Oswaldo Cruz, Recife, 2007. [ Links ]

    CRUZ, V. Estado e regulação: fundamentos teóricos. In: RAMALHO, P.I.S. (Org.). Regulação e agências reguladoras: governança e análise de impacto regulatório. Brasília: Anvisa, 2009. p. 53-86. [ Links ]

    CUNHA, M.F.C. A racionalidade da mercantilização da doença. 2008. 159 p. Dissertação (Mestrado em Saúde Pública) – Faculdade de Saúde Pública, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2008. [ Links ]

    DANIELS, N.; SABIN, J.E. Our lives in whose hands? In: _____. Setting limits fairly: can we learn to share medical resources. New York: Oxford University Press, 2002. p. 1-12. [ Links ]

    MENDONÇA, R.T.; MARINHO, J.L. Discussão sobre intoxicações por medicamentos e agrotóxicos no Brasil de 1999 a 2002. Revista Eletrônica de Farmácia, Goiânia, v. 2, p. 45-63, 2005. [ Links ]

    NASCIMENTO, A.C. A persistirem os sintomas o médico deverá ser consultado: isto é regulação? 2003. 124 p. Dissertação (Mestrado em Saúde Pública) – Instituto de Medicina Social, Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2003. [ Links ]

    NASCIMENTO, A.C. Propaganda de Medicamentos. É possível regular? Rio de Janeiro. 289 p. Tese (Doutorado em Saúde Coletiva) – Instituto de Medicina Social, Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2007. [ Links ]

    OFICINA DE TRABALHO SOBRE REGULAÇÃO DA PROPAGANDA DE MEDICAMENTOS NO BRASIL. Contribuição ao debate e proposições à CP 84/2005 da Anvisa. Rio de Janeiro: Escola Nacional de Saúde Pública Sérgio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz, 2005. Disponível em <http://www.fiocruz.br/ccs/media/alvaro_nascimento.pdf>. Acesso em: 26 maio 2010. [ Links ]

    ORGANIZACIÓN MUNDIAL DE LA SALUD. Criterios éticos para la promoción de medicamentos. Genebra: WHO, 1988. [ Links ]

    PFAFFENBACH, G.; CARVALHO, O.M.; BERGSTEN-MENDES, G. Reações adversas a medicamentos como determinantes da admissão hospitalar. Revista da Associação Médica Brasileira, São Paulo, v. 48, p. 237-241, 2002. [ Links ]

    ROZENFELD, S. Agravos provocados por medicamentos em hospitais do Estado do Rio de Janeiro, Brasil. Revista de Saúde Pública, São Paulo, v. 41, p. 1-8, 2007. [ Links ]

    SEIBERT, S.L. et al. Medicalização x humanização: o cuidado ao parto na história. Revista de Enfermagem, Rio de Janeiro, v. 13, p. 245-251, 2005. [ Links ]

    SILVA, F.V.N. Considerações sobre a judicialização do acesso à saúde. Revista da Escola de Direito, Pelotas, v. 68, p. 67-93, 2006. [ Links ]

    SYRETT, K. Why 'Ration' Healthcare Resources? In: _____. Law, legitimacy and the rationing of health care. Cambridge: Cambridge University Press, 2007. p. 15-44. [ Links ]

    TESSER, C.D. Medicalização social (I): o excessivo sucesso do epistemicídio moderno na saúde. InterfaceComunicação, Saúde, Educação, São Paulo, v. 9, p. 61-76, 2006. [ Links ]