SciELO - Scientific Electronic Library Online

SciELO - Scientific Electronic Library Online

Article References

FICO, Carlos. História do Tempo Presente, eventos traumáticos e documentos sensíveis: o caso brasileiro. Varia hist. [online]. 2012, vol.28, n.47, pp. 43-59. ISSN 0104-8775.  http://dx.doi.org/10.1590/S0104-87752012000100003.


    3 Ver, por exemplo, WSCHEBOR, Isabel e MARKARIAN, Vania. (orgs.) Archivos y derechos humanos: los casos de Argentina, Brasil y Uruguai. Montevideo: Archivo General de la Universidad de la República, 2009. [ Links ]


    4 Ver, a propósito, Richard Rorty em HASKELL, Thomas L. Objectivity: perspective as problem and solution. History and Theory, v.43, n.3, p.346, oct. 2004; [ Links ]

    Martin Broszat em KLESSMANN, Christoph e SABROW, Martin. Contemporary History in Germany after 1989. Contemporary European History, v.6, n.2, p.220, jul. 1997; [ Links ]

    CHARTIER, Roger. Le regard d'un historien moderniste. In: Institut D'Histoire du Temps Present. Ecrire l'histoire du temps présent: en hommage à François Bédarida. Paris, CNRS, 14 mai. 1992. [ Links ]

    Actes de la journée d'études de l'IHTP. Paris: CNRS Éditions, 1993, p.252; LAGROU, Pieter. Sobre a atualidade da História do Tempo Presente. In: PÔRTO JR, Gilson. História do Tempo Presente. Bauru: EDUSC, 2007, p.34; [ Links ]

    HOBSBAWM, Eric. O presente como história. In: Sobre história: ensaios. São Paulo: Companhia das Letras, 1998, p.245. [ Links ]


    5 Sobre a ideia de que o tempo presente "não terminou" ver, entre outros, WOODWARD, Llewellyn. The study of Contemporary History. Journal of Contemporary History, v.1, n.1, p.1-13, 1966. [ Links ]


    7 KARKOV, Catherine E. Text and picture in Anglo-Saxon England: narrative strategies in the Junius 11 Manuscript. Cambridge: Cambridge University Press, 2001, p.177; [ Links ]

    ERNST, Fritz. Zeitgeschehen und Geschichtschreibung: Eine Skizze. Welt als Geschichte, v.17, p.141, 1957. [ Links ]


    9 Ver, por exemplo, a famosa afirmação de Wilhelm von Humboldt, em 1797, de que "o último e derradeiro juízo fica sempre reservado para a posteridade". HUMBOLDT, Wilhelm von. Gesammelte Schriften, Berlin, Deutsche Akademie der Wissenschaften zu Berlin, v.2, p.30, 1904. [ Links ]


    12 RANKE, Leopold von. Burnet's history of his own times. In: A history of England principally in the seventeenth century, 1859-1869. Oxford, 1875,p.46. [ Links ]


    14 Os trechos entre aspas simples são de Ranke apud KRIEGER, Leonard. Ranke: The meaning of History. Chicago: The University of Chicago Press, 1977, p.271. [ Links ]


    15 COULANGES, Fustel de. La mission de l'historien. In: SAUVIGNY, G. Bertier de. (ed.) Recherches et questions. Notes sur l'histoire en France au XIXesiècle. Suivies d'extraits des historiens français du XIXesiècle. Paris: Collection Ressources, 1913, p.664-665. [ Links ]


    16 MONOD, Gabriel. Introduction: du progrès des études historiques en France depuis le XVIesiècle. Revue Historique, Paris, Librairie Germer Bailliére et Cie, t.1, année 1, p.37, Janvier à Juin 1876. [ Links ]


    18 KOSELLECK, Reinhart. Ponto de vista, perspectiva e temporalidade. Contribuição à apreensão historiográfica da história. In: Futuro passado: contribuição à semântica dos tempos históricos. Rio de Janeiro: Contraponto, PUC-Rio, 2006, p.174. [ Links ]


    19 LAGROU, Pieter. L'histoire du temps présent en Europe depuis 1945, ou comment se constitue et se développe un nouveau champ disciplinaire. La Revue pour l'Histoire du CNRS, n.9, nov. 2003. [ Links ]


    20 ROUSSO, Henry. El duelo es imposible y necesario. Entrevista concedida a Claudia Feld. Puentes, Dic. 2000, p.32. [ Links ]


    22 Sobre o tema consultar WIEVIORKA, Annette. L'ère du témoin. Paris: Plon, 1998. [ Links ]


    23 Não obstante, consulte a instigante reflexão sobre a questão do distanciamento histórico de HOLLANDER, Jaap Den. Contemporary History and the art of self-distancing. History and Theory, n.50, p.51-67, dec. 2011. [ Links ]


    25 LACAPRA, Dominick. Historia em tránsito: experiencia, identidad, teoría crítica. Buenos Aires: Fondo de Cultura Económica, 2006, p.94-95. [ Links ]


    26 Veja, a propósito, o sempre renovado ensaio de Michel De Certeau, "Psicanálise e história", que agora conta com boa edição brasileira: CERTEAU, Michel de. História e Psicanálise: entre ciência e ficção. Tradução de Guilherme João de Freitas Teixeira. Belo Horizonte: Autêntica, 2011. (Coleção História & Historiografia coordenada por Eliana de Freitas Dutra). [ Links ]


    27 CATELA, Ludmila da Silva. Violencia política y dictadura en Argentina: de memorias dominantes, subterráneas y denegadas In: FICO, Carlos et al. (orgs.) Ditadura e democracia na América Latina: balanço histórico e perspectivas. Rio de Janeiro: FGV, 2008, p.179-199. [ Links ]


    29 Ver, a propósito, SENKMAN, Leonardo. El horizonte de la Shoa y el nazismo en la memoria del terrorismo de estado en Argentina y Chile. Revista Digital do NIEJ, n.5, ano 3, p.18-29, 2011. [ Links ]


    31 Sobre as perdas de indivíduos em situações diferentes como na África do Sul ou na Alemanha, ver LACAPRA, Dominick. Trauma, absence, loss. Critical Inquiry, v.25, n.4, p.698, summer 1999. [ Links ]


    32 HUYSSEN, Andreas. En busca del tiempo futuro. Puentes, n.2, p.15, 18, 19, 22 e 23. [ Links ]


    33 SARLO, Beatriz. Tempo passado: cultura da memória e guinada subjetiva. São Paulo/Belo Horizonte: Companhia das Letras/UFMG, 2007, p.46. [ Links ]


    34 Sobre a campanha pela anistia, consultar GRECO, Heloisa Amélia. Dimensões fundacionais da luta pela anistia. 2003. Tese (Doutorado em História), UFMG, Belo Horizonte; [ Links ]

    DEL PORTO, Fabíola Brigante. A luta pela anistia no regime militar brasileiro: a constituição da sociedade civil no país e a construção da cidadania. 2002. Dissertação (Mestrado em Ciências Políticas), UNICAMP, Campinas. [ Links ]


    36 Para maiores detalhes consultar FICO, Carlos. A negociação parlamentar da anistia de 1979 e o chamado "perdão aos torturadores". Revista Anistia Política e Justiça de Transição, Brasília, Ministério da Justiça, n.4, p.318-333, jul./dez. 2010. [ Links ]


    38 Sobre o impacto da morte e do funeral de Tancredo Neves consultar MARCELINO, Douglas Attila. O corpo da Nova República: funerais de presidentes e memória de Tancredo Neves. 2011. Tese (Doutorado em História), UFRJ, Rio de Janeiro. [ Links ]


    45 Ver, por exemplo, AQUINO, Maria Aparecida de, MATTOS, Marco Aurélio Vannucchi e SWENSSON JR, Walter Cruz (orgs.). No coração das trevas: o DEOPS/SP visto por dentro. São Paulo: Arquivo do Estado/Imprensa Oficial, 2001; [ Links ]

    PIMENTA, João Paulo Garrido. Os arquivos do DEOPS-SP: nota preliminar. Revista de História, São Paulo, v.132, p.149-154, 1995; [ Links ]

    LEITÃO, Alfredo. Fundo Deops: organização e manutenção. In: SILVA, Zélia Lopes da. Arquivos, patrimônio e memória: trajetórias e perspectivas. São Paulo: Unesp, 1999; [ Links ]

    KOSSOY, B., SOBRINHO, F. Couto e CARNEIRO, M. L. T. (orgs.) PROIN: projeto integrado. Arquivo Público do Estado e Universidade de São Paulo. São Paulo: Humanitas; FAPESP, 1996. [ Links ]


    46 RIO DE JANEIRO, Arquivo Público do Estado do Rio de Janeiro. Os Arquivos das polícias políticas: reflexos de nossa história contemporânea. Rio de Janeiro: Faperj, 1994; [ Links ]

    RIO DE JANEIRO, Arquivo Público do Estado do Rio de Janeiro. Dops: a lógica da desconfiança. Rio de Janeiro: O Arquivo, 1996; [ Links ]

    RIO DE JANEIRO, Arquivo Público do Estado do Rio de Janeiro. Catálogo de folhetos apreendidos pelas polícias políticas. Rio de Janeiro: O Arquivo, 2001; [ Links ]

    RIO DE JANEIRO, Arquivo Público do Estado do Rio de Janeiro. Catálogo de livros apreendidos pelas polícias políticas. Rio de Janeiro: O Arquivo, 2001; [ Links ]

    DAVIS, Darién. The arquivos das polícias políticas of the State of Rio de Janeiro. Latin American Research Review, v.31, n.1, p.99-104, 1996; [ Links ]

    FURTADO, Eliana e RAMALHO, Lúcia. A política de acesso do Aperj ao acervo Dops. Arquivo & História, n.3, 1997; [ Links ]

    RIO DE JANEIRO. Arquivo Público do Estado do Rio de Janeiro. Inventário preliminar do Fundo Departamento de Ordem Política e Social do Estado da Guanabara. Rio de Janeiro, 2001. [ Links ]


    47 Para maiores detalhes sobre esse episódio consultar FICO, Carlos. Como eles agiam. Os subterrâneos da ditadura militar: espionagem e polícia política. Rio de Janeiro: Record, 2001, p.25-27. [ Links ]


    51 Ver, por exemplo, OTAVIO, Chico. Professor se demite em protesto contra sigilo. O Globo, Rio de Janeiro, 3 nov. 2010, p.10; [ Links ]

    RÖTZSCH, Rodrigo. Historiador protesta contra censura do Arquivo Nacional. Folha de São Paulo, SP, 4 nov. 2010, p.5; [ Links ]

    BOGHOSSIAN, Bruno. Historiador renuncia por falta de acesso ao Arquivo Nacional. O Estado de S. Paulo, São Paulo, 4 nov. 2010, p.14. [ Links ]


    54 Para uma avaliação da historiografia sobre o regime militar ver FICO, Carlos. Além do golpe: versões e controvérsias sobre 1964 e a ditadura militar. Rio de Janeiro: Record, 2004. [ Links ]


    55 Para exemplo de uma abordagem da grande imprensa com claro enfoque negativo, mas com informações muito precisas consulte DIEGUEZ, Consuelo. Conciliação, de novo. Piauí, n.64, p.26-36, jan. 2011. [ Links ]