SciELO - Scientific Electronic Library Online

SciELO - Scientific Electronic Library Online

Referências do Artigo

DIMENSTEIN, Magda. Experiências espanholas e sua contribuição à rede de recursos psicossociais no Brasil. Estud. psicol. (Natal) [online]. 2011, vol.16, n.3, pp. 363-372. ISSN 1413-294X.  http://dx.doi.org/10.1590/S1413-294X2011000300020.

    Barros, C. M., & Dimenstein, M. (2010). O Apoio Institucional como dispositivo de reordenamento dos processos de trabalho na Atenção Básica. Estudos e Pesquisas em Psicologia (Online), 1, 48-67. [ Links ]

    Camuri, D., & Dimenstein, M. (2010). Processos de trabalho em saúde: práticas em saúde mental na Estratégia de Saúde da Família. Saúde e Sociedade, 19, 803-813. [ Links ]

    Desviat, M. (2009, novembro). Conjeturas en torno a un modelo en crisis. XI Jornadas de Actualización en Psiquiatria y Salud Mental. "Crisis del modelo y modelos modelos de crisis". Manuscrito não publicado. [ Links ]

    Desviat, M. (2010). Los avatares de una ilusión: la reforma psiquiátrica en España. Manuscrito não publicado. [ Links ]

    Dimenstein, M., Severo, A. K. S., Brito, M., Soares, A. L., Medeiros, V. A. B., & Bezerra, E. N. R. (2009). O Apoio Matricial em Unidades de Saúde da Família: experimentando inovações em Saúde Mental. Saúde e Sociedade, 18, 63-74. [ Links ]

    Dimenstein, M., Sales, A. L., Galvão, E., & Severo, A. K. (2010). Estratégia da Atenção Psicossocial e participação da família no cuidado em saúde mental. Physis, 20(4), 1209-1226. [ Links ]

    Dimenstein, M., Neves, R., Paulon, S., Nardi, H., Bravo, O. A., Galvão, V. A. B. M., Severo, A. K. S., & Figueiró, R. (2010). La difícil y necesaria integración entre la Atención Básica y la Salud Mental en Brasil. Psicología Desde el Caribe, 26, 177-197. [ Links ]

    Dimenstein, M., Sales, A. L., Lima, E. G., & Severo, A. K. S. (2011). Estratégia da Atenção Psicossocial e participação da família no cuidado em saúde mental. Physis, 20, 1209-1226. [ Links ]

    Lussi, I. A. O., Pereira, M. A. O., & Pereira Junior, A. (2006). A proposta de reabilitação psicossocial de Saraceno: um modelo de auto-organização? Revista Latino-Americana de Enfermagem, 14(3), 448-456. [ Links ]

    Mângia, E. F., & Muramoto, M. T. (2009). Modelo de Matriz. Ferramenta para a construção de boas práticas em saúde mental comunitária. Revista de Terapia Ocupacional, 20(2), 118-125. [ Links ]

    Ramos, F. (2010, 18 de junho). A Reforma que a Reforma Aguarda: o desafio Inadiável da Educação em Saúde Mental. Texto de Apoio à IV CNSM. Manuscrito não publicado. Disponibilizado pelo autor no grupo de discussão da Escola de Saúde Mental do Rio de Janeiro. [ Links ]

    Sacardo, D. P., Fortes, P. A. C., & Tanaka, O. Y. (2010). Novas Perspectivas na gestão do sistema de saúde da Espanha. Saúde e Sociedade, 19(1), 170-179. [ Links ]

    Teixeira, R. R (2009). Humanização: transformar as práticas de saúde, radicalizando os princípios do SUS. Interface, 13(1), 785-789. [ Links ]

    Vasconcelos, E. M. (1997). Desinstitucionalização e interdisciplinaridade em saúde mental. Cadernos do IPUB, 7, 19-41. [ Links ]

    Vasconcelos, E. M. (2010, 10 de março). Desafios políticos no campo da saúde mental na atual conjuntura: uma contribuição ao debate da IV Conferência Nacional (Grupo de discussão online). Recuperado de www.ESAM_Rio_Forum@yahoogrupos.com.br [ Links ]

    Yasui, S., & Costa-Rosa, A. (2008). A Estratégia Atenção Psicossocial: desafio na prática dos novos dispositivos de Saúde Mental. Saúde em Debate, 32(78/79/80), 27-37. [ Links ]