Os Hesperiidae (Lepidoptera, Hesperioidea) da RPPN Klagesi, Santo Antônio do Tauá, Pará, Brasil: nova contribuição para o conhecimento da biodiversidade da área de endemismo Belém

The Hesperiidae (Lepidoptera, Hesperioidea) from RPPN Klagesi, Santo Antônio do Tauá, Pará, Brazil: a new contribution to biodiversity's knowledge of Belém endemism area

Resumos

Embora a região Belém seja uma das áreas mais exploradas da Amazônia com coletas desde o século XVIII, grande parte das informações se encontra dispersa em coleções internacionais, o que dificulta a reunião de dados e interpretações biogeográficas. Visando ampliar o conhecimento da fauna de lepidópteros da região, o presente estudo levantou uma lista de 225 espécies de Hesperiidae encontradas na RPPN Klagesi durante aproximadamente 24 anos de amostragens esporádicas, embora mais freqüentemente na última década. São adicionadas 113 espécies previamente não relacionadas para a região, a qual passa a ser a área de maior riqueza conhecida de Hesperiidae dentre todas as regiões de endemismo da Amazônia brasileira até então inventariadas. No entanto, o conhecimento da diversidade de Hesperiidae em outras áreas de endemismo é tão restrito, que a riqueza de espécies deve ser utilizada apenas como indicador de esforço amostral ao invés de inferências biogeográficas. Três das regiões de endemismo ainda não apresentam nenhum inventário de fauna (Xingú, Napo e Imeri), enquanto as demais são reconhecidas por um ou poucos inventários. Portanto, para que a lepidopterofauna amazônica seja realmente conhecida e utilizada em estudos de biogeografia e conservação, são necessários esforços direcionados nestas regiões ainda totalmente desconhecidas ou mesmo a reunião de informações sobre coletas já realizadas, cujo material se encontra disperso em coleções pelo mundo.

inventário; distribuição; borboletas; Floresta Amazônica


The region of Belém is one of the best known area of the Amazon Forest, given its scientific explorations since the 18th century. However much of the informations about the biological diversity of the region is scattered at several museums around the world, thus making it harder to access and to propose biogeographical hypothesis.. Aiming to contribute to the knowledge of lepidopterological diversity of the region, the present study lists 225 species of Hesperiidae present at Private Natural Reserve Klagesi registered during approximately 24 years of sporadically collecting, although more frequently on the past decade. One hundred and thirteen species not yet registered in endemism's region of Belém are added, which makes it the richest of all Amazonian endemism areas in Brazil. However, the Amazonian skippers are so poorly known that this richness index can only be used for effort comparisons instead of biogeographical or ecological inferences. Three of the endemism regions still lack information about their diversity (Xingú, Napo and Imeri), while others are known basically from one or a few inventories. Therefore, focused sampling at those unknown areas or gathering information at international museums are indispensable strategies to obtain a better knowledge of Amazonian butterfly diversity so they can be used for biogeographical studies and conservation management.

inventory; distribution; skippers; Amazon Forest


INVERTEBRADOS

Os Hesperiidae (Lepidoptera, Hesperioidea) da RPPN Klagesi, Santo Antônio do Tauá, Pará, Brasil: nova contribuição para o conhecimento da biodiversidade da área de endemismo Belém

The Hesperiidae (Lepidoptera, Hesperioidea) from RPPN Klagesi, Santo Antônio do Tauá, Pará, Brazil: a new contribution to biodiversity's knowledge of Belém endemism area

Olaf H. H. Mielke; Eduardo Carneiro; Mirna M. Casagrande

Laboratório de Estudos de Lepidoptera Neotropical, Departamento de Zoologia, UFPR. Caixa Postal 19020, 81531-980 Curitiba, Paraná, Brasil. omhesp@ufpr.br

RESUMO

Embora a região Belém seja uma das áreas mais exploradas da Amazônia com coletas desde o século XVIII, grande parte das informações se encontra dispersa em coleções internacionais, o que dificulta a reunião de dados e interpretações biogeográficas. Visando ampliar o conhecimento da fauna de lepidópteros da região, o presente estudo levantou uma lista de 225 espécies de Hesperiidae encontradas na RPPN Klagesi durante aproximadamente 24 anos de amostragens esporádicas, embora mais freqüentemente na última década. São adicionadas 113 espécies previamente não relacionadas para a região, a qual passa a ser a área de maior riqueza conhecida de Hesperiidae dentre todas as regiões de endemismo da Amazônia brasileira até então inventariadas. No entanto, o conhecimento da diversidade de Hesperiidae em outras áreas de endemismo é tão restrito, que a riqueza de espécies deve ser utilizada apenas como indicador de esforço amostral ao invés de inferências biogeográficas. Três das regiões de endemismo ainda não apresentam nenhum inventário de fauna (Xingú, Napo e Imeri), enquanto as demais são reconhecidas por um ou poucos inventários. Portanto, para que a lepidopterofauna amazônica seja realmente conhecida e utilizada em estudos de biogeografia e conservação, são necessários esforços direcionados nestas regiões ainda totalmente desconhecidas ou mesmo a reunião de informações sobre coletas já realizadas, cujo material se encontra disperso em coleções pelo mundo.

Palavras-chave: inventário, distribuição, borboletas, Floresta Amazônica

ABSTRACT

The region of Belém is one of the best known area of the Amazon Forest, given its scientific explorations since the 18th century. However much of the informations about the biological diversity of the region is scattered at several museums around the world, thus making it harder to access and to propose biogeographical hypothesis.. Aiming to contribute to the knowledge of lepidopterological diversity of the region, the present study lists 225 species of Hesperiidae present at Private Natural Reserve Klagesi registered during approximately 24 years of sporadically collecting, although more frequently on the past decade. One hundred and thirteen species not yet registered in endemism's region of Belém are added, which makes it the richest of all Amazonian endemism areas in Brazil. However, the Amazonian skippers are so poorly known that this richness index can only be used for effort comparisons instead of biogeographical or ecological inferences. Three of the endemism regions still lack information about their diversity (Xingú, Napo and Imeri), while others are known basically from one or a few inventories. Therefore, focused sampling at those unknown areas or gathering information at international museums are indispensable strategies to obtain a better knowledge of Amazonian butterfly diversity so they can be used for biogeographical studies and conservation management.

Keywords: inventory, distribution, skippers, Amazon Forest

INTRODUÇÃO

As justificativas para a realização de inventários de lepidopterofauna no Brasil se direcionam basicamente para a ausência de informações sobre a biodiversidade local e/ou escassez de amostragens direcionadas ao grupo estudado. De fato, mesmo com amplas regiões no Brasil ainda são desconhecidas (Santos et al. 2008), a região de Belém certamente não se enquadra nesta categoria. Por oferecer a entrada para a região Amazônica e ser de fácil acesso, muitos naturalistas utilizavam a cidade de Belém (geralmente mencionada em estudos antigos simplesmente como Pará) como principal ponto para coletas de borboletas e envio de material para a Europa (Wallace 1853; Bates 1989). Assim, uma quantidade significativa de informações sobre a biodiversidade de diversos grupos de borboletas na região se encontra dispersa em diferentes museus e coleções brasileiras e estrangeiras, sendo que apenas duas listas foram publicadas para esta região até o momento (Stichel 1923; Mielke 1973). Para Hesperiidae em especial, a única lista disponível (Mielke 1973) acumula significativo esforço amostral (43 dias de coleta), embora concentrado em uma única estação do ano.

Embora a floresta amazônica, como um todo, ainda não se mostre significativamente ameaçada por pressões antrópicas, algumas de suas áreas de endemismo (sensu Cracraft 1985 e Silva et al. 2002) já apresentam índices de desmatamento significativo (Gascon et al. 2001). A região de endemismo de Belém, em especial, além de ter tido cerca de dois terços de sua área desmatada, apresenta também a menor totalidade de áreas protegidas (Silva et al. 2005), contribuindo para que seja considerada a área de endemismo de maior ameaça para a biodiversidade da Amazônia.

Sendo assim, embora a região de Belém ter sido bem amostrada desde o século XVIII, ainda faltam estudos que reunam tais informações para melhor descrever a região e respectiva fauna, a qual nos dias atuais se encontra sobre forte interferência humana. Desta forma, o presente estudo apresenta uma lista de espécies de Hesperiidae (Lepidoptera, Hesperioidea) da Reserva Particular do Patrimônio Natural (RPPN) Klagesi, uma reserva localizada no município de Santo Antônio de Tauá, nos arredores de Belém, objetivando contribuir para o conhecimento da fauna da área de endemismo Belém e acrescer dados sobre a biodiversidade amazônica.

MATERIAL E MÉTODOS

A RPPN Klagesi (-1.1663 S e -48.1296 W) se localiza no município de Santo Antônio do Tauá, Pará, a 40m de altitude. Constitui atualmente um fragmento de 23 ha de floresta ombrófila densa de terra firme com pouca declividade. O clima é do tipo Af - tropical úmido sem estação seca (classificação de Köppen-Geiger), com temperatura média anual em torno de 26ºC e precipitação variando de 2500 a 3000 mm.

A presente lista foi obtida através de coletas aleatórias realizadas na RPPN Klagesi pelo proprietário e pesquisador autônomo Pierre Jauffrett, o qual amostrou intensamente a reserva entre os anos de 1985 e 2009 (mais frequentemente na última década), compreendendo todas as estações do ano. A nomenclatura e classificação das espécies seguiram Mielke (2004; 2005). Todos os espécimes aqui relacionados se encontram tombados na coleção entomológica Pe. Jesus Santiago Moure situada no Departamento de Zoologia da Universidade Federal do Paraná.

RESULTADOS E DISCUSSÃO

Foram relacionadas, ao total, 225 espécies de Hesperiidae encontradas na RPPN Klagesi, dentre elas: 7 Pyrrhopyginae, 116 Pyrginae e 102 Hesperiinae, ultrapassado o número de espécies relacionadas por Mielke (1973) para outras localidades de Belém (Utinga) e arredores (Capim, Ourém e Viseu). É importante ressaltar que o esforço amostral empregado nessas regiões é também menor e que, portanto, não é adequado comparar diretamente a riqueza e composição entre as localidades. Para a região de endemismo Belém, o presente estudo adiciona 113 espécies à lista disponibilizada por Mielke (1973), totalizando 272 espécies (Tabela 1). Sendo assim, a região se torna, atualmente, a mais rica em número de espécies de Hesperiidae até então coligidas entre as áreas de endemismo amazônicas brasileiras (Tabela 2).

A riqueza entre as áreas de endemismo não foi aqui utilizada para comparações ecológicas ou biogeográficas, mas sim para enfatizar o baixo esforço amostral empregado em cada uma delas. Mielke (1973) estimou que na região das Guianas pudessem existir aproximadamente 400 espécies de Hesperiidae, valor ultrapassado na área de endemismo Inambari no Peru (411 spp. coligidas na Reserva de Tambopata e Parque Nacional Del Manu, Madre de Dios) (Lamas 1981; Lamas 1985; Robbins et al. 1996). No entanto, no Brasil, nenhuma área de endemismo sequer se aproxima desta riqueza, devido principalmente ao baixo esforço amostral empregado em levantamentos amazônicos (Santos et al. 2008). Em contrapartida, observa-se nas localidades peruanas um intenso esforço amostral realizado durante mais de um ano de coleta em cada um dos estudos. A ausência de inventários no Brasil para três áreas de endemismo brasileiras (Xingu, Napo e Imeri) se deve ainda às restrições de acesso a tais localidades, além da falta de incentivos e infra-estrutura local ao pesquisador (Mielke et al. 2011).

Apesar da realização de muitas coletas na região de Belém, a sua fauna, assim como de outras regiões brasileiras, continua mal representada em inventários publicados. Outras regiões amazônicas também foram exploradas sem que apresentassem seus resultados na forma de inventários publicados (p.ex. Santarém, Óbidos, Manaus, Jarú e Alto Juruá). Até que os dados destas coletas sejam compilado, publicados e novos registros possam ser agregados, a compreensão acerca dos limites de distribuição das espécies amazônicas e suas áreas de endemismo permanecerão desconhecidas para a ciência.

AGRADECIMENTOS

Os autores agradecem ao Sr. Pierre Jauffret, proprietário da RPPN Klagesi, que faleceu de modo trágico justamente por seu empenho em conservar um dos poucos fragmentos remanescentes de Floresta Amazônica, objeto do presente estudo. Estendemos os agradecimentos ao seu filho Jacques C. Jauffret e aos demais familiares. Os autores agradecem ao Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) pelo financiamento parcial deste estudo, assim como pelas bolsas de produtividade (Olaf Hermann Hendirk Mielke, Mirna Martins Casagrande) e de doutorado (Eduardo Carneiro).

BIBLIOGRAFIA CITADA

Recebido em 13/02/2011

Aceito em 01/06/2011

  • Bates, H. W. 1989. The naturalist on the river Amazonas. John Murray, London. 351 pp.
  • D'Almeida, R.F. 1937. Excursão scientifica aos rios Cuminá e Trombetas. Memórias do Instituto Oswaldo Cruz, 32: 235-298.
  • Cracraft, J. 1985. Historical biogeography and patterns of differentiation within the South American avifauna: areas of endemism. Ornithological Monographs, 36: 49-84.
  • Ebert, H. 1965. Uma coleção de borboletas (Lepid. Rhopal.) do Rio Amapari (território do Amapá) com anotações taxonômicas sobre Rhopalocera do Brasil. Papéis Avulsos do Departamento de Zoologia, 18: 65-85.
  • Emmel, T.C.; Austin, G.T. 1990. The tropical rain forest butterfly fauna of Rondonia, Brasil: species diversity and conservation. Tropical Lepidoptera, 1: 1-12.
  • Garwood, K.; Lehman, R.; Carter, W.; Carter, G. 2009. Butterflies of Southern Amazonia. 2Ş ed. McAllen Publishing, Texas. 374 pp.
  • Gascon, C.; Bierregaard Jr, R.O.; Laurance, W.F.; Rankin-de-Merona, J. 2001. Deforestation and forest fragmentation in the Amazon. p. 22-30 In: Bierregaard Jr., R. O.; Gascon, C.; Lovejoy, T. E.; Mesquita, R. (Eds.). Lessons from Amazonia: the ecology and conservation of a fragmented forest. Yale University Press, New Haven.
  • Lamas, G. 1981. La fauna de mariposas de la Reserva de Tambopata, Madre de Dios, Perú (Lepidoptera, Papilionoidea y Hesperioidea). Revista de la Sociedad Mexicana de Lepidopterología, 6: 23-40.
  • Lamas, G. 1985. Los Papilionoidea (Lepidoptera) de la zona reservada de Tambopata, Madre de Dios, Perú. I. Papilionidae, Pieridae y Nymphalidae. Revista Peruana de Entomología, 27: 59-73.
  • Mielke, O.H.H. 1973. Contribuição ao estudo dos Hesperiidae americanos. III Espécies coletadas em duas excursões ao Pará e Amapá, Brasil (Lepidoptera). Acta Biológica Paranaense, 2: 17-40.
  • Mielke, O.H.H. 2004. Hesperiidae. p. 3-11, 25-86 In: Lamas, G. (ed.) Checklist: Part 4a. Hesperioidea - Papilionoidea. In Heppner, J. B. (ed.) Atlas of Neotropical Lepidoptera. Volume 5A. Association of Tropical Lepidoptera, Gainesville. XXXV + 439pp.
  • Mielke, O.H.H. 2005. Catalogue of the American Hesperioidea Vols 1-6. Sociedade Brasileira de Zoologia, Curitiba. 1536 p. (6 vol.
  • Mielke, O.H.H.; Casagrande, M. M. 1991. Lepidoptera: Papilionoidea e Hesperioidea coletados na Ilha de Maracá, Alto Alegre, Roraima, parte do projeto Maracá, com uma lista complementar de Hesperiidae de Roraima. Acta Amazônica, 21: 175-210.
  • Mielke, O.H.H.; Carneiro, E.; Casagrande, M. M. 2011 Borboletas (Lepidoptera: Papilionoidea e Hesperioidea) do Parque Estadual do Chandless e arredores, Acre, Brasil. Biota Neotropica, 10: 1-15.
  • Robbins, R.K.; Lamas, G.; Mielke, O.H.H.; Harvey, D.J.; Casagrande, M.M. 1996. Taxonomic composition and ecological structure of the species-rich butterfly community at Pakitza, Parque Nacional del Manu, Perú. p. 217-252. In: Wilson, D.E.; Sandoval, A. (Eds). Manu. The Biodiversity of Southeastern Peru. La Biodiversidad del Sureste del Perú. Lima, Editorial Horizonte.
  • Santos, E.C.; Mielke, O.H.H.; Casagrande, M.M. 2008. Inventários de borboletas no Brasil: estado da arte e modelo de áreas prioritárias para pesquisa com vistas à conservação. Natureza & Conservação, 6: 68-90.
  • Silva, J.M.C.; Novaes, F.C.; Oren, D.C. 2002. Differentiation of Xiphocolaptes (Dendrocolaptidae) across the river Xingu, Brazilian Amazonia: recognition of a new phylogenetic species and biogeographic implications. Bulletin of the British Ornithologists' Club, 122: 185-194.
  • Silva, J.M. C.; Rylands, A.B.; Fonseca, G.A.B. 2005. O destino das áreas de endemismo da Amazôni a. Megadiversidade, 1: 124-131.
  • Stichel, H. 1923. Beiträge zur Kenntnis der Riodinidenfauna Südamerikas. IV. Nord-Brasilien (Grão-Para). Zeitschrift für wissenschaftliche Insektenbiologie, 18: 268-283, 305-316.
  • Wallace, A.R. 1853. A narrative of travels on the Amazon and Rio Negro, with an account of the native tribes and observations on the climate, geology, and natural history of the Amazon valley. Reeve & Co., London. 541 pp.

Datas de Publicação

  • Publicação nesta coleção
    06 Mar 2012
  • Data do Fascículo
    Jun 2012

Histórico

  • Recebido
    13 Fev 2011
  • Aceito
    01 Jun 2011
Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia Av. André Araujo, 2936 Aleixo, 69060-001 Manaus AM Brasil, Tel.: +55 92 3643-3030, Fax: +55 92 643-3223 - Manaus - AM - Brazil
E-mail: acta@inpa.gov.br