Studies of the guild of ant-following birds at Belém, Brazil

Sumário

1. Nas matas das Reservas Aurá e Mocambo de Belém, Brasil, a associação de aves que seguem persistentemente as formigas de correição inclue sete espécies importantes. As aves consideradas como seguidoras professionais de correição pelo fato de elas obterem mais de 50% de sua alimentação junto às formigas são: três formicariideos, um grande (Phlegopsis nigromaculata), um médio (Pyriglena leuconota) e um pequeno (Hylophylax poecilonota); três dendrocolaptídeos, um grande (Dendrocolaptes certhia), e dois médios (Dendrocincla fuliginosa e D. merula); e um tanagrídeo (Eucometis penicillata). Embora relatado na área, um cuculídeo (Neomorphus geoffroyi) não foi observado em Belém. 2. Estas sete espécies de aves seguiam as formigas de correição, Eciton burchelli, em três tipos de mata: capoeira, terra firme e várzea. Algumas espécies eram mais comuns em um dos tipos de habitat, mas elas frequentemente moviam com as formigas de um habitat para outro. Trinta e sete espécies de aves ocasionais ou amadoras também seguiram as formigas, principalmente em capoeira. Muitas espécies amadoras, que não seguem persistentemente as formigas de correição, eram restritas à um tipo de habitat. 3. Diferenças em tamanho entre as três formicariideos profissionais não são refletidos em comprimento de bico, e as diferenças principais parecem ser em habitat e em exclusão da ave menor e mais rápida em movimentos por dominância pelas aves maiores e mais lentas em movimentos. Os dendrocolaptídeos dividem-se em tamanho e comprimento de bico ou em captura de alimentos próximo do chão ou no alto. 4. Os formicariideos profissionais em geral capturam seus alimentos no chão ou próximo ao chão acima das correições das formigas, enquanto os dendrocolaptídeos profissionais capturam seus alimentos principalmente mais acima e vêm próximo ao chão sòmente quando os formicariideos não estão presentes ou estão nas vizinhanças. Dendrucincla merala, um dendrocolaptídeo de tamanho médio captura seus alimentos próximo ao chão, mas tende a pousar em troncos grandes ao invés de troncos pequenos usados pelos formicariideos. O tanagrídeo, Eucometis penicillata, pousa em ramos grossos ou finos mas tende a ficar nas florestas de várzea ou seguir outros bandos de aves longe das formigas de correição. 5. As aves amadoras em seguir as formigas de correição capturam alimentos geralmente em alturas acima de 2 m, de maneira que superpõem aos hábitos das aves profissionais. Muitos aves amadoras em seguir as formigas têm a tendência de pousar em ramos finos, horizontais enquanto capturam alimentos e portanto não interferem grandemente com os hábitos dos dendrocolaptídeos profissionais que preferem grandes troncos verticais. Os dendrocolaptídeos não profissionais geralmente investigam as superfícies dos troncos em que sobem enquanto os profissionais observam cuidadosamente superfícies adjacentes aos troncos em que estão pousados.

Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia Av. André Araujo, 2936 Aleixo, 69060-001 Manaus AM Brasil, Tel.: +55 92 3643-3030, Fax: +55 92 643-3223 - Manaus - AM - Brazil
E-mail: acta@inpa.gov.br