Privação alimentar não afeta o crescimento de juvenis de tambacu

Arlan de Lima PAZ Yugo Moraes PASTRANA Lian Valente BRANDÃO Sobre os autores

RESUMO

O objetivo do estudo foi avaliar a eficiência da privação alimentar sobre o desempenho zootécnico de tambacu (Piaractus mesopotamicus x Colossoma macropomum). Para isso, 171 animais (massa: 11,4 ± 1.5 g; comprimento total: 8.0 ± 0.4 cm) foram alocados em nove tanques (19 peixes/tanque; n=3). Os peixes foram alimentados todos os dias (controle), alimentados durante seis dias seguidos de um dia de privação alimentar (6F/1D) e durante cinco dias seguidos de dois dias de privação alimentar (5F/2D). Após 77 dias, todos os animais alcançaram índices de crescimento similares. Somente os animais submetidos a dois dias de privação apresentaram hiperfagia. Houve redução do consumo total de ração em 3,8 e 10,8% para os tratamentos 6F/1D e 5F/2D, respectivamente. Os nossos resultados demonstram que os juvenis de tambacu exibiram crescimento compensatório total quando submetidos a privação alimentar, e a estratégia de 2 dias de privação alimentar pode reduzir significativamente os custos de produção de tambacu.

Palavras-chave:
piscicultura; estratégia alimentar; crescimento compensatório

Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia Av. André Araujo, 2936 Aleixo, 69060-001 Manaus AM Brasil, Tel.: +55 92 3643-3030, Fax: +55 92 643-3223 - Manaus - AM - Brazil
E-mail: acta@inpa.gov.br