Dispersão de sementes de Hymenaea courbaril (Fabaceae) em uma floresta tropical úmida com exploração madeireira na Amazônia peruana

Foi estudada a dispersão de sementes de Hymenaea courbaril, seguindo o destino de 585 sementes marcadas com imãs e expostas a potenciais dispersores, colocadas em agregados no interior e próximo de uma faixa de floresta cortada, na Amazónia peruana. Mamíferos retiraram frutos de todos os agregados, localizados no interior da floresta, na sua borda, e na clareira. As taxas de remoção foram baixas - mediana de 8.1 frutos/mês em agregados mantidos com 8-10 frutos - mas foram mais altas em agosto que nos primeiros meses do ano. A maior parte dos frutos foi abandonada próxima do agregado de origem ou as suas sementes foram consumidas, mas > 13% foram dispersos com sucesso. A maior parte das sementes dispersas foi enterrada, o que favorece a germinação. A distância máxima de dispersão de sementes vivas foi de 12.1 m (mediana 3.1 m), mas outros imãs foram transportados até 34 m, indicando que as sementes foram dispersas mais longe, mas foram consumidas depois. Cutiaras (muito provavelmente Myoprocta pratti) e cutias (Dasyprocta fuliginosa) parecem ter sido os principais agentes de dispersão. A dispersão de sementes da floresta para o interior da clareira foi rara, sugerindo que apesar de alguns roedores dispersarem H. courbaril, não se pode ficar dependente deles para o repovoamento desta e de outras espécies em clareiras recentes.

Caesalpinioideae; Dasyprocta fuliginosa; Myoprocta pratti; predação de sementes; manejo floresta


Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia Av. André Araujo, 2936 Aleixo, 69060-001 Manaus AM Brasil, Tel.: +55 92 3643-3030, Fax: +55 92 643-3223 - Manaus - AM - Brazil
E-mail: acta@inpa.gov.br