Primeiro estudo fitoquímico e biológico do extrato etanólico de folhas de Capirona decorticans (Rubiaceae)

Fernando Gomes BARBOSA Marina Mariko SUGUI Valéria Dornelles Gindri SINHORIN Rogério de Campos BICUDO Fernando Rafael de MOURA Adilson Paulo SINHORIN Sobre os autores

RESUMO

Capirona decorticans (Rubiaceae) é popularmente usada para tratar verrugas, feridas, micoses e sarna, e como um componente do chá de Ayahuasca. Apesar do uso popular, são limitadas as pesquisas fitoquímicas e farmacológicas sobre a espécie. Portanto, este estudo quantificou compostos fenólicos no extrato etanólico (EE) e na fração hidrometanólica (FM) (406 e 293 mgEAG g-1, respectivamente) de folhas de C. decorticans. Identificamos flavonoides por LC-MS / MS-MMR-ESI (apigenina, rutina, luteolina, miricetina, quercetina, quercetina-3-β-D-glicosídeo, quercetrina), e avaliamos o estresse oxidativo e o efeito mutagênico/antimutagênico de EE e FM em um experimento in vivo utilizando camundongos Swiss e ciclofosfamida (CP) como um indutor de danos no DNA e estresse oxidativo. Os camundongos foram pré-tratados por 15 dias consecutivos com EE ou FM (250 mg kg-1) e injetados intraperitonealmente com CP (25 mg kg-1). Proteínas carboniladas, ácido ascórbico, catalase e substâncias reativas ao ácido tiobarbitúrico foram dosadas em tecidos hepáticos e renais. O efeito mutagênico/antimutagênico foi avaliado através do Teste de Micronúcleo. Houve carbonilação protéica no fígado de animais expostos à CP, que foi reduzida pela FM. Não houve efeito significativo sobre outros marcadores de estresse oxidativo. Os grupos tratados com os extratos apresentaram uma redução percentual significativa (EE = 96% e FM = 71%) na frequência de eritrócitos policromáticos micronucleados induzidos pela PC. O EE também apresentou mutagenicidade quando utilizado isoladamente. O EE e FM das folhas de C. decorticans apresentaram potencial antioxidante equivalente ao observado em outras espécies, não causaram estresse oxidativo, nem toxicidade, e tiveram efeito protetor e antimutagênico, embora a EE tenha apresentado mutagenicidade.

Palavras-chave:
estresse oxidativo; ciclofosfamida; genotoxicidade; compostos fenólicos

Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia Av. André Araujo, 2936 Aleixo, 69060-001 Manaus AM Brasil, Tel.: +55 92 3643-3030, Fax: +55 92 643-3223 - Manaus - AM - Brazil
E-mail: acta@inpa.gov.br