Adaptation of constant effort sampling and of removal trapping for the estimation of populations of microscopic organisms in dense substrates (* * — This study was supported by a joint project between CNPq, OEA and SUFRAMA: "Ecologia da Floresta Tropical". )

Ilse Walker Maryolanda Trindade Lages Sobre os autores

Resumo

Altas densidades de tecamebas (Rhizopoda, Protozoa) foram encontradas no substrato misto de detritos e areia nos igarapés de floresta primária na região de Manaus (Reservas florestais Ducke e km 60 BR-174). Foi desenvolvido o método para determinar as densidades relativas de amebas entre vários igarapés e a densidade absoluta (n°/ml substrato). Amostras deste substrato foram postas sob o estéreo-microscópio e procurava-se amebas durante 10 min. em cada amostra. As tecas encontradas eram tiradas da placa de petri e contadas. O método depende do fato de procura: precisa-se mais tempo por organismo na medida em que diminui a densidade. Se não há procura, o que quer dizer, se são vistos mais organismos de que há tempo de tirar da placa em 10 min., o método somente pode ser aplicado se todas as amostras são diluídas com substrato semelhante sem organismos. O método pode ser aplicado em geral para amostragens de micro-organismos em qualquer substrato denso desde que a quantidade de material por área e a área pesquisada (tamanho da placa ou área da placa) sejam adequados, e que o observador familiarize-se com o material e o método até serem obtidos resultados reproduzíveis. O método para determinar densidades relativas é robusto: obtém-se os mesmos resultados com 20 e 40 ml de suspensão de material por placa, mesmo se a procura estende-se sobre a área total ou apenas sobre a metade de placa. Assim, dentre limites metodológicos bastante amplos, os resultados refletem a densidade de amebas por substrato; portanto, a amostragem no igarapé não precisa ser feito com precisão volumétrica, o que seria impossível em visto do material ser heterogêneo (areia e detritos). A determinação da densidade absoluta depende da diminuição do número de amebas durante sucessivas contagens de 10 min. na mesma amostra. O número de amebas tiradas por 10 min, em relação ao número total já retirados segue uma regressão linear. Isto significa que, apesar da subjetividade individual da procura sob um microscópio, a probabilidade média de encontrar uma ameba em qualquer amostra por 3 observadores já bem treinados é constante. Desta regressão calcula-se o número total de amebas por placa. Uma série de tais regressões de amostras com diversas densidades, conduz, com precisão matemática (e em realidade), a uma regressão linear entre as primeiras contagens e os totais por placa. Portanto, esta linha permite estimar o número total de organismos por amostra (= por placa) desde que seja conhecido o número de uma única contagem de 10 min. Resultados realísticos obtém-se somente se a robustez a respeito da quantidade e da área pesquisada é sacrificada: é preciso amostras suficientemente pequenas para serem imediatamente sensíveis à diminuição de organismos durante o processo. A densidade média, absoluta, encontrada em vários igarapés, varia entre 82 e 402 tecamebas por 1 ml de substrato sedimentado em uma suspensão aquática. Mesmo que seja uma fração somente viva por tempo (e sempre encontram-se amebas vivas), estes números indicam que as tecamebas são um fator importante na rede alimentar e de decomposição nos igarapés da floresta amazônica.

Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia Av. André Araujo, 2936 Aleixo, 69060-001 Manaus AM Brasil, Tel.: +55 92 3643-3030, Fax: +55 92 643-3223 - Manaus - AM - Brazil
E-mail: acta@inpa.gov.br